Posto II, anos 30

Nossa foto de hoje mostra um dos pontos mais movimentados no início dos anos 30 em Copacabana, o Lido, junto ao Posto II.
Vários aspectos atraíam essa maior frequência, primeiro e determinante a proximidade com o Sauvatage, que ficava instalado na praça, outro ponto era existência a partir do início dos anos 30, do Bar OK, no edifício Ribeiro Moreira, bem como a praça com outro grande atrativo o Bar e Restaurante Lido, um dos pontos chiqs do bairro.
Além do mais, como podemos ver pela foto, o alinhamento da praça, junto a Av. Atlântica, possivelmente criado com a demolição da terrasse que existia no local, criava um recuo no meio-fio, propiciando facilidade de estacionamento, os carros podiam parar à 90 graus além dos que ficavam junto aos canteiros centrais.
Nossa foto é dos primeiros anos da década como podemos atestar pelos carros e pela praia, ainda bem vazia.
Agradecemos o envio da imagem ao amigo Carlos Ponce de Leon de Paiva

15 comentários em “Posto II, anos 30”

  1. Hoje a prefeitura fincaria logo uma placa de estacionamento pago rotativo, no canteiro central teríamos a maldita raça de flanelinhas extorquindo os motoristas, e duvido que encontrássemos um local na areia para sentar. Realmente “Foi um Rio que passou”…

  2. Linda foto: Eram outros tempos ,pessoas com mais educação,
    cidade ainda pequena em população, trânsito menos caótico.
    Hoje a falta de civilidade é marcante.
    Educação é tudo.

    1. Eu imagino que tudo que se vê nas imagens antigas e é lamentado pelos frequentadores dos fotologs fosse resultado de dois fatores: o primeiro obviamente a população muito menor habitando uma cidade que tinha mais ou menos o mesmo tamanho (e infraestrutura) de hoje. O segundo, mais sutil e até “cruel” seria que nesta época a população pobre, que devia ser proporcionalmente muito maior que hoje, era subjugada cultural e esteticamente pela elite “educada”, não tentava impor seus valores (ou falta deles) como acontece hoje.
      Isto é, a perda dos antigos valores culturais e estéticos é um dos resultados da melhoria das condições de vida e aumento do poder das populações mais pobres.

      1. A questão é que a educação e a cultura não acompenhou a melhoria da situação econômica. O nivelamento da sociedade está sendo feito por baixo.

  3. Tinha vontade de saber, se a foto foi feita no inverno.
    Há uma pessoa de terno e chapeu Panamá, no canto inferior direito.
    Por certo ventava bastante; o mar se apresenta encarpelado.
    De qualquer forma , vem a pergunta:- Quando, nos dias atuais, se
    esperaria ver alguem de terno e chapeu, na Av. Atlântica?

  4. O Rafael Netto , tem razão em parte: Talvez a população pobre que existe desde o descobrimento não fosse tão numerosa assim, mas a elite da classe media , afogava essa
    gente pobre. Mas se os governos anteriores tivessem dado
    uma educação decente para esse povo , nossa relação com ele agora sería talvez melhor.Dinheiro só não basta. Tanto que conheço muita gente milionária sem a mínima educação.
    Hoje a cidade com oito milhões de habitantes , que não se modernizou , é praticamente impossível de ser governada.

  5. Prezado André,
    pela primeira vez acessei seu website (cujo endereço vi em nota de uma revista) e fiquei maravilhado. Parabéns por este trabalho feito com tanto carinho, atenção e conhecimento da memória carioca, um verdadeiro e fundamental garimpo. Fiquei encantado também com os comentários de quem o acessa, tão detalhistas, buscando, em cada ângulo, uma tentativa de desvendar o passado ou elucidar alguma parte do mosaico de nossa cidade. Uma beleza, André.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

What is 11 + 15 ?
Please leave these two fields as-is:
IMPORTANTE! Para evitar a quantidade enorme de spams, você precisa responder a conta para provar que você é gente de verdade...