Praça Malvino Reis e Hotel-Estação de Copacabana

Malvino Reis 1910

Hoje estamos tendo um post duplo com o Saudades do Rio que mostra os trabalhos de demolição da velha estação de bondes de Copacabana para a construção do CCC na década de 50 ( http://fotolog.terra.com.br/luizd:1821 ).
Podemos dizer que este é o lugar que o bairro, como conhecemos hoje se iniciou, como ponto final da primeira linha de bondes a chegar no então praticamente deserto areal no fim do séc XIX.
A pioneira estação, de um só andar, no estilo de um bangalô, atendia os anseios do bairro, mas o bairro começava a crescer, em 1903, foi construído um anexo, de dois pavimentos, que abrigava um hotel de veraneio, o qual vemos claramente no extremo direito da imagem do Saudades.
Em 1910 com o contínuo crescimento do bairro, e as obras de alinhamento e  saneamento daAv. Copacabana, que teve o piso elevado em alguns trechos em mais de um metro a primitiva estação  não podia prosperar. Principalmente porque se debruçava praticamente no meio fio da recém urbanizada avenida. Por isso a Light fez uma nova amplicação do seu terminal.
Uma nova ala foi construída, ampliando o hotel e abrigando entre as agora duas alas uma pequena garagem de bonde e a nova estação com muito mais conforto. Havia stand de jornais, restaurant, estar para cavalheiros e senhoras, barbearia e loja de miudezas.  Além disso passava o hotel contar com um jardim virado para a Rua do Barroso, onde nos anos 40 foi construída o estação telefônica.
Nossa foto, tirada por volta de 1910 mostra o complexo da Light novinho, acompanhado dos prédios pioneiros.  O térreo Café Pernambuco, de eterna má fama no bairro desde  1909, onde podemos ver nesse pequeno fragmento de texto “Próximo a estação existe um botequim, onde se reúnem indivíduos que após se embriagarem, saem às ruas dirigindo as senhoras pesadas e imorais palavras” , tradição esta que continuava nos anos 30 onde de outra publicação extraímos: “pede-se a atenção do Sr. Comissário de Polícia ao Café Pernambuco, onde desclassificados, ficam bebericando, à porta do estabelecimento, exibindo imoralmente os bíceps às senhoras e moças que tem o desprazer de usar aquela calçada”….
Do outro lado vemos o sobrado do Au Bom Marché, um dos estabelecimentos pioneiros do bairro, vendendo produtos finos desde 1907, cujo o decadente sobrado chegou até os anos 70 do século passado.
A praça ainda chamada de Malvino Reis estava inurbanizada, como todas as outras do bairro, inclusive em nível inferior à Av. Copacabana, já com suas galerias de esgoto instaladas para em breve conduzirem o efluente da elevatória do 4 distrito da City.
Estamos implantando um novo dispositivo no site, cliquem na imagem do post, todos os da semana já estão funcionais, e iremos com calma implementando nos posts anteriores postados, originalmente, no site. Infelizmente os arquivos recuperados do fotolog não contarão com esse plus.

8 comentários em “Praça Malvino Reis e Hotel-Estação de Copacabana”

  1. Interessante história.
    Gostaria de entender uma coisa. O Luiz fala em local de lojinhas e mercadinho no ponto 110 réis, você conta que era um hotel e outros confortos. Quando ocorreu essa mudança?

    1. Certamente com a decadência do hotel, que deve ter sido acelerada com a inauguração de vários outros hotéis em pontos mais nobres ( Av. Atlântica) ao longo das décadas de 20 e 30.
      Em 1919 foi inaugurado o Londres, o melhor do bairro, em 23 o Copa, em 1928 o proto-apart Atalaia e ao longo dos anos 20 outros pequenos estabelecimentos foram pipocando pelo bairro, e nos anos 30 outros hotéis foram surgindo com o boon definitivo nos anos 40.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

What is 3 + 2 ?
Please leave these two fields as-is:
IMPORTANTE! Para evitar a quantidade enorme de spams, você precisa responder a conta para provar que você é gente de verdade...