Restaurante do SAPS

Por motivos de obras nosso arquivo inédito, bem como os livros e demais materiais de consulta estão indisponíveis, portando faremos um repeteco de posts que foram realizados no fotolog desde o início do “foi um RIO que passou”, quando possível com os textos revisados e enriquecidos. O de hoje, publicado em Março de 2005.

Roberto Tumminelli na época em seu fotolog Carioca da Gema, colocou uma impressionante foto de uma fila da manteiga em pleno Largo da Carioca.
A manteiga pelo que transparece na foto e na reportagem do jornal O Globo de onde foi retirada, estava em falta, não por falta de leite, mas sim por uma daquelas entre-safras artificiais causadas pelos produtores, quem podia pagar certamente pagava com agio e a passava no pão.
O governo interviu mediante o SAPS ( Serviço Alimentar da Previdência Social), e como tudo que envolve governo e previdência não funcionou, está aí a foto do Roberto para provar http://www.fotolog.com/tumminelli/9698747
O SAPS foi um típico fruto da política assistecialista do periodo Vargas, onde recursos da previdência social eram desviados para alimentar pessoas que certamente não eram contribuintes, pois na mesma legislação que criou o SAPS, obrigava-se fábricas e escolas a manterem restaurantes de grande capacidade.
Segundo um velho anuário governamental do periodo imediato pós Vargas a missão do SAPS é explicada “Cabe-lhe a assistência técnica e a ajuda a restaurantes de diversas coletividades, bem como a manutenção de seus próprios restaurantes populares, que fornecem, a preço muito baixo, alimentação aos trabalhadores”.
Na foto de 1954 vemos a cozinha de um dos restaurantes do SAPS no então Distrito Federal, possivelmente o grande estabelecimento na Praça da Bandeira.

6 comentários em “Restaurante do SAPS”

  1. Lembro bem do restaurante do SAPS na Praça da Bandeira, por onde sempre passava a caminho do Maracanã.
    A idéia dos restaurantes populares pode ser assistencialista mas muito pior é ficar com fome.

  2. O jornal O Globo publicou matéria sobre a autorização dada pela Câmara para a expansão de prédios do Fórum sobre a área da Pça do Expedicionário e arredores, segundo a matéria incluindo a Ladeira da Misericórdia. Gostaria de sugerir posts sobre a evolução da ocupação da região.

  3. Os restaurantes populares existentes na cidade do Rio de Janeiro nada mais são do que os antigos restaurantes do SAPS onde eram servidas refeições a preço de custo. Só que por causa da politicagem os do SAPS acabaram e espero que os atuais restaurantes populares continuem por muito tempo atendendo a população.

  4. Lembro vagamente do restaurante do SAPS na Rua dos Transportes no DF, era muita gente para almoçar, lembro que no fundo tinha o Núcleo de Custódia, e os detentos vinham ao SAPS buscar as refeições em grandes panelas. Morei na Rua do Sossego, em frente o restaurante em que seu Pedrinho era o gerente, eu tinha apenas 4 anos, tempo de felicidades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

What is 3 + 13 ?
Please leave these two fields as-is:
IMPORTANTE! Para evitar a quantidade enorme de spams, você precisa responder a conta para provar que você é gente de verdade...