Por motivos de obras nosso arquivo inédito, bem como os livros e demais materiais de consulta estão indisponíveis, portando faremos um repeteco de posts que foram realizados no fotolog desde o início do “foi um RIO que passou”, quando possível com os textos revisados e enriquecidos. O de hoje, publicado em Maio de 2005.

Na foto de hoje, tirada em 1953 vemos o Túnel do Pasmado logo após a sua abertura temos ainda as cicatrizes da abertura do túnel do Pasmado, todo um lado do estádio do Botafogo desapareceu para o prolongamento da Av. Lauro Sodré em direção ao túnel, não só o Botafogo perdeu pedaços de seu estádio o Flamengo e o Fluminense também tiveram partes dos seus estádios ou destruídas ou inviabilizadas com a construção ou alargamento de novas avenidas.
Lá no fundo da foto vemos que, também um enorme número de casas foi demolido e em seu lugar (perto do letreiro da Martini) as fraldas do morro estão expostas e recortadas sendo calçadas por um muro de contenção que chega até nossos dias, vemos também o início da verticalização da área, pois já vemos um prédio da rua Gal Gois Monteiro, a praça Juliano Moreira praticamente desapareceu.
Nos dois lados junto a saída do túnel vemos as cicatrizes urbanas, as calçadas ainda sem nenhum revestimento, bem como à direita a feia cicatriz de uma empena cega, no passar dos anos todos os imóveis perto da saída do túnel desapareceram, em boa resolução bem à esqueda da foto, junto a abóboda do túnel vemos um betoneira, sinal que as obras ainda continuavam.
Nas encostas do túnel a Favela do Pasmado começava a surgir nas encostas do morro, que tiveram seu acesso liberado com a demolição e desapropriação dos imóveis que ficavam na sua fralda, e com a abertura da via sobre a boca do novo túnel.
Uma observação mais detalhada no asfalto no cruzamento do prolongamento da Av. Lauro Sodré coma Gal. Severiano nos mostra que a linha de bonde que existia foi retirada, certamente sendo desviada para outra via, apesar de alí haver um cruzamento de veículos, pois há um sinal de transito indicando isso.
No mais, a foto nos mostra que a mão dupla do túnel do Pasmado, hoje só realizada na hora do “mata paulista”, inversão de mão de várias vias da orla no rush matutino era permanente como podemos comprovar pela pequena mureta segmentando as pistas.
Os carros segundo Jason são :
NAS PISTAS SENTIDO MOURISCO:
(esquerda para direita)
Citroën 11 (é o mais perto do meio-fio, com as “divisas de cabo” na grade);
O pequeno esportivo é um MG TD;
Na frente do MG, já entrando no túnel, um Chevrolet 38 (provavelmente, carro de praça);
A traseira de carro que aparece dentro do túnel (canto inferior direito da foto) me parece de um Chevrolet 53;
NO SENTIDO COPACABANA:
(esquerda para direita)
O carro mais claro é um Ford 1949;
Os dois carros logo ao lado do Ford são Chevrolet (provavelmente 1946-1948).
Infelizmente o projeto do túnel é um dos bens atingidos pela falta de manutenção nos extertores de uma das piores administrações municipais de nossa cidade. O sistema de iluminação com 375 luminárias, modernizadas para vapor de sódio há pouco menos de 10 anos foi desativado, e substituído por projetores presos numa das laterais do túnel, com fiação aérea. Com certeza esse improvisado adranjo é fruto da falta da capacidade da prefeitura em fazer a manutenção do túnel, recolher a população de rua, que furta cabos e do governo estadual através da PM que se omite face aos delitos “menores”como delapidação do mobiliário urbano. Infelizmente pelo secretariado do novo prefeito os horizontes mostram mais do mesmo…..