Metrô, bons tempos

Nossa imagem remete ao período imediato ao início de funcionamento do metrô, ambicioso projeto do Estado da Guanabara, que previa para nossa época, final da primeira década do séc. XXI, o término da Linha 6, ligando os dois aeroportos da cidade.
Sabemos que nada disso aconteceu, e a implantação do sistema está atrasada décadas, principalmente pela falta de responsabilidade dos populistas governantes que tomaram conta desse estado desde 1982.
Mas hoje o que preocupa é o uso predatório do sistema por sua concessionária, uma empresa que é controlada por outra empresa que detem uns 80% do seu capital, tendo essa empresa uns 90% do seu capital na mão do Banco Oportunity do “banqueiro” Daniel Dantas. Que pelo visto vem tocando uma empresa de transporte de massas como um investimento de títulos em alguma bolsa no mundo. Especulando e arrancando lucros além da capacidade.
Além da superlotação, resultado da ampliação linear da Linha 1, sem a compra de novos carros, a crescente criação de integrações rodoviárias, as quais o metrô não está conseguindo absorver a demanda, o que surgiu como uma boa idéia vai se tornando a crônica de uma  tragédia anunciada.
O leitor mais atento dos jornais e órgãos de comunicação, principalmente na Internet, deve estar percebendo um crescente e preocupante aumento de ocorrências no Metrô, a última ontem, quando um trem teve uma pane eletrica, tendo um princípio de incêndio que encheu a Estação Uruguaiana de fumaça. Mas há relatos de paralizações com composições lotadas por minutos, uma delas em total escuridão e sem ar-condicinado em plena hora do rush. Além das paradas pânicas efetuadas pelo sistema de piloto automático (um computador dos anos 80) em qualquer hora, o que mostra que algo está errado. Há até boatos que contam que pessoas já caíram nos trilhos em virtude do empura-empurra que está acontecendo em algumas estações, e eu já vi gente presa entre o interior e o exterior do trem sendo arrastada até que alguém acionasse o freio de emergência. Além do percepitível desgaste dos vagões que vem demonstrando o uso além do programado para eles, além logicamente do fator idade. mas sabemos que uma máquina submetida a abusos ao longo do tempo se desgasta muito mais rapidamente que outra com um uso até intenso, mas dentro do que foi “engenheirada”.
A agência reguladora do setor, que parece ser inexistente, talvez em breve será instada às falas, quando um tumulto com depredação, ou uma tragédia, mais que anunciada ocorrer.
Bons tempos de um metrô, que tinha problemas, mas com todos seus defeitos era mais transparente na sua eficiência estatal. Hoje em seu lugar temos o silêncio e a ganância de gente que está se mostrando sem condições de operar um negócio desta natureza.
Além logicamente de um ambiente visualmente limpo, sem a balburdia cromática que assola as estações hoje, resultado da incompetência da Metrô-Rio de sequer de cuidar da ambiência das estações.

15 comentários em “Metrô, bons tempos”

  1. O sistema de transporte público no Rio é VERGONHOSO,e o metrô não é excessão!E pensar que o metrô de Buenos Aires,capital da Argentina,tal qual o Rio o era do Brasil,tem linhas muito mais extensas e custo da passagem inferior a R$1,oferecendo muito mais qualidade por um preço muito menor.De fato,André,as integrações por si só,não podem ser vistas como solução,pelo contrário,estão trazendo um contingente de passageiros que só faz piorar a situação de lotação de vagões e estações.Não por culpa deles,claro,e sim por se integrar os transportes sem que haja real capacidade de absorção dos mesmos.Não quero nem ver quando a famigerada linha 1a(aquela que emendará as linhas 2 e 1,passando pela central,e que é vendida como “maravilha” pelo fato de poupar de baldeação os passageiros da linha 2)estiver em vigência.Só gostaria de fazer uma pergunta,a ti,André,extensiva a todos que venham a comentar:Por que ao invés de se fazer esse “remendo” que é a linha 1A,não se finaliza a linha 2 do Estácio até a Carioca??Já pude ler pela internet que o túnel já está escavado…não seria mais fácil fazer o certo pra que seja feito apenas UMA VEZ??Um abraço

    1. Rafael, o túnel não está escavado de todo, e a reativação do shield que se encontra abandonado e só no “chassis” mais ou menos embaixo do HPM no Estácio será demorada. A obra também é cara, o famoso Lote 29 custará 1,25 bilhão aproximadamente ( um dos contratos mais caros que eu já via para fazer um trechinho de metrô), mas o problema que essa Linha 1-A que embora use dinheiro da concessionária, a troco de um aumento do prazo do contrato ( mas certamente tem mais coisa por baixo) custará uns 200 Milhões e jogará no lixo todo o investimento que já foi feito. Fora os problemas operacionais.
      Além disso especialistas renomados dizem que essa linha 1-A ficará estagnada em pouquíssimo tempo e o dinheiro gasto nela, que poderia estar sendo usado em uma obra definitiva será jogado no lixo

  2. 1982? Só no seu último ano de governo o Chagas Freitas se tornou populista? O que este senhor fez em 2 mandatos? E o do Faria Lima? Acho que só concluiram o que estava em andamento e olhe lá. Se eu estiver errado…me ajudem a relembrar.

    1. É inerente o caráter populista do Chaguismo, já presente no seu primeiro governo, ainda à frente da Guanabara, mas mesmo assim as obras e grande parte dos planos de governo, que vinham desde o tempo de Lacerda continaram a ser cumpridos e realizados, não obstante a eterna briga em recursos com o governo federal e a perda do ânimo das remoções das ocupações irregulares.
      Mas o que assitimos após 1982 com a tomada ao poder do Socialismo Moreno, foi uma implosão da máquina administrativa que supera em muito a ida para Brasília ou a Fusão. Toda a estrutura, indo da administração, passando pela fiscalização e até mesmo do Poder de Polícia ( termos administrativos e não policiais) foram desmontados e destruídos.
      A galopante favelização com casas de alvenaria, a decadência de conservação dos equipamentos estaduais, o uso de verbas carimbadas para planos predatórios como a irresponsável construção de CIEP´s e outras medidas assistencialistas promoveram a quebra do IPERJ e do BANERJ, além da bancarrota de várias fundações estaduais. E o mais grave foi o abandono de toda a continuidade administrativa. O governo Brizola foi tão incompetente que nos seus 4 anos conseguiu não retirar a propaganda do governo anterior na boca da Auto-Estrada Lagoa_Barra

      1. E ainda existe quem babe os ovos deste infeliz que teve o efeito devastador de um câncer, para o Estado do Rio de Janeiro. Eu não gosto nem de pronunciar seu nome.

  3. O Metrô é um projeto tão bom para os padrões cariocas que mesmo com tantos desmandos, funciona melhor que qualquer outro transporte da cidade.
    Já a “balbúrdia” na verdade é causada pela ânsia de preencher com propaganda todo e qualquer espaço, chão, teto, degraus de escada, corrimões e até as placas de sinalização, que estão tendo a informação reduzida a um tamanho mínimo para não desviar a atenção dos anúncios. Ia ser legal um movimento popular quebrando aquilo tudo, ou pelo menos cobrindo as placas com adesivos de protesto.

  4. As Agencias Reguladoras funcionam ao contrário do que deveriam, servem todas elas para defender os interesses das concessionárias, não dos usuários.
    Transporte Público, Educação, Saúde devem ficar nas mãos do Estado, nunca da iniciativa privada. Não podem ser um mero “negócio” devido à sua importância estratégica para qualquer país.

    1. Segundo um amigo residente na Autrália, tudo lá é concedido, porém o concessionário sabe que se não prestar um bom serviço ele pode perder a concessão. São feitas avaliações constantes e meso a queixa de usuários a um serviço deficiente pode fazer o controlador a começar a punir ocncessionário, dimunuindo as suas tarifas, não as reajustando quando da época ou esmo franqueando de graça, logicamente ao prejuízo do concessionário, caso hja um mal serviço.
      Com certeza aqui no Rio o metrô não deveria ter sido reajustado, para não dizer que a passagem estivesse a R$1,00 pelos serviços que cada dia pioram mais

  5. Me dá raiva ao ouvir nos vagões “respeitar a lei é uma questão de cidadania”…Qual cidadania, cara pálida ???? A que deixa um vagão (mulheres) vazio e outros tantos abarrotados de gente quase que se matando ???? Tanta lei nesse país….Lei de idoso (que agora se acham os reis da cocada preta), lei da mulher (também se acham igualmente), lei disso, daquilo, daquilo outro….Por que não baixar uma lei que assegure a TODOS (eu disse TODOS, conforme a nossa Constituição manda) os passageiros conforto e bem estar no Metrô, com a obrigação por parte de quem o controla, de adquirir mais vagões, manter e melhorar a infraestrutura ????

  6. A concessão do metrô é criminosa. pois nós construímos o Metrô e a tal concessionária fica com o lucro. Fácil assim né ?
    O metrô já é estatal. Bastava só pagar pelo serviço prestado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

What is 11 + 10 ?
Please leave these two fields as-is:
IMPORTANTE! Para evitar a quantidade enorme de spams, você precisa responder a conta para provar que você é gente de verdade...