Hoje estamos fazendo um post duplo com o Saudades do Rio, com o assunto da reurbanização do lugar antes ocupado pelo Palácio Monroe.
A foto do Saudades, uma aérea ( http://fotolog.terra.com.br/luizd:1364 ) mostra o local do antigo Monroe, logo após a conclusão das obras do Metrô, e embora a Cinelândia já estivesse urbanizada, a praça criada com a apressada demolição do palácio por parte do governo federal ainda estava vazia, o que indicava que a sua demolição foi uma ato oportunista por parte de Brasília, não havendo planos por parte da Guanabara e logo depois prefeitura  da Cidade do Rio para reurbanizar o local.
Por pouco não se construiu um prédio federal no local, o que foi impedido pela sociedade civil, que não tinha conseguido derrubar o palácio, embora com inúmeros protestos.
Estando a área vazia ela precisava ser ocupada com algum aparelho urbano, e o escolhido foi o monumental chafariz comprado por P. II na Aústria no séc. XIX para ser instalado no Cais Pharoux e que desde a construção da Perimetral não tinha encontrado seu pouso na cidade, tendo ficado mais de 10 anos na Praça da Bandeira.
Ele então foi instalado no local do demolido palácio e a área, antes ocupada pelos jardins do Monroe transformada em praça e reurbanizada com o mesmo padrão usado na Cinelândia. A área foi redimensionada, ganhando mais uma pista para carros além do mobiliário “rio antigo de mentirinha” que era usado nas áreas tradicionais reurbanizadas pelo Metrô, como os postes com elementos misturados e pintados de marrom metático.
Na nossa foto de 1978, vemos a área praticamente concluída, mas vestígios do velho tecido urbano ainda teimam em aparecer como 3 postes do velho jardim do Monroe abandonados no meio da área recém urbanizada, dois já sem globos.