andredecourt's foto van 2-12-05

Posto IV 1965

Um avião da esquadrilha da fumaça faz um mergulho em direção aos prédios da região do posto IV em Copacabana.
Essa foto engloba os quarteirões entre a rua Bolivar, Av. Copacanana e metade do quarteirão entre a Constante Ramos e Santa Clara.
No extremo superior direito da foto, vemos que no lugar da fantástica casa dos Smith de Vasconcelos há um terreno baldio, a casa tinha acabado de ser demolida, indo um pouco mais para a esquerda vemos o Ed. Guarujá ainda em seu terreno original, com o jardim na frente, obra do Plano Agache que previa isso para evitar a projeção de sombra na areia da praia, e que pode ser comprovado nessa foto, onde a praia já se encontra encoberta pelo silueta dos outros prédios construídos rente a avenida Atlântica.
Nessa época o bairro já estava muito parecido com hoje, destinguindo-se pelos telhados de algumas casas espremidas pela massa de prédios, notadamente nas ruas Constante Ramos e Domingos Ferreira, além dos telhados do Rian e do Cine Copacabana.
Vemos também a habitual lingua negra da rua Barão de Ipanema, que mesmo com a construção do interceptor oceânico continua dando o ar da graça.

Comments (46)

leflaneur 2-12-05 8:15 …
Fantástico!! Como é feia Copacabana vista de perto… Parece um jogo de montar mal feito…
photomechanica 2-12-05 8:16 …
TAQUIÚSPA!!!
A melhor foto que já apareceu por aqui!!!!
photomechanica 2-12-05 8:18 …
Repito:
A MELHOR foto que já apareceu por aqui!!!!
Voce tem mais desta série??????????????
lucia 2-12-05 8:20 …
TAQUIÚSPA!!!
A melhor foto que já apareceu por aqui!!!!
🙂
riobh 2-12-05 8:22 …
Excelente essa foto!!!
Grande abraço aí!
Postei hoje uma foto de Copacabana no meu fotolog
www.fotolog.net/riobh
Passa lá!!
Abração ae!
andredecourt 2-12-05 8:23 …
Infelizmente para a turma do taquiuspa, não tenho
:-(((
photomechanica 2-12-05 8:24 …
Será que esta foto foi vista por algum terrorista…?
prfragoso 2-12-05 8:26 …
Fantástica!
Provavelmente o autor da foto foi um companheiro de esquadrilha. Fico só imaginando se o foco principal era o “avião” ou os prédios…
reiarthur 2-12-05 8:31 …
Acho que o foco era o avião, mas dado o momento, a tecnologia e tudo mais, a foto é um momento histórico !!!
Julia Cunha 2-12-05 8:31 …
Linda foto!
Reparem como a água do mar era transparente antes da duplicação da avenida.
Saudades do Rian, junto com o Caruso, os melhores cinemas do bairro!
Abraços
Rafael Netto 2-12-05 8:37 …
Essa época devia ser interessante, como foi dito quase todos os prédios que existem hoje já estavam lá, mas ainda havia muitas casas na orla, além de prédios antigos como o Ferrini, o Guarujá e o Palacete Atlântico. O contraste deveria ser marcante.
Dá a impressão que o Guarujá já estava em decadência, as paredes parecem sujas e o jardim mal cuidado. Mas imaginava que a construção do prédio no jardim tinha sido anterior a isso.
Hoje dá pena de ver o prédio restaurado e emparedado… como eu já disse uma vez, gostaria que esse prédio fosse desapropriado, e não me importo que isso custasse uma grande soma de dinheiro público (isto é, meu).
AG 2-12-05 8:41 …
Meninos e meninas, se eu não tivesse tanta confiança na seriedade do André, eu diria que esse T6 foi aplicado aí com o fotoshop do Rafael.
É simplesmente sensacional o flagrante.
Esse maluco aí, mergulhando, só pode ser o Cel. Braga o cara que mais voou T6 no mundo, fazendo parte inclsuive do Guiness Book.
photomechanica 2-12-05 8:49 …
E tem mais – São dois aviões que aparecem na foto!
luiz_d 2-12-05 8:49 …
Ah, que saudades!
Eu sempre cortava caminho pelo jardim do Guarujá para chegar no meu ponto da praia, ali em frente ao campo do Dínamo e do Maravilha.
E continua o desafio: quem vai postar uma foto da Biblioteca Thomas Jefferson na esquina da Santa Clara?
http://fotolog.terra.com.br/luizd
andredecourt 2-12-05 8:56 …
Sim agora eu vi, são dois aviões voando asa com asa, um aparece apenas parcialmente
jban 2-12-05 9:42 …
Em ROMA ?? Ihhhhh nem te conto…. não perca o próximo capítulo !
jban 2-12-05 9:43 …
André,
Fantástica ! Será copiada e posteriormente postada no “Voando para o Rio”, após o termino da interminável série “O Zeppelin!!”
jban 2-12-05 9:46 …
TAQUIÚSPA!!!
A melhor foto que já apareceu por aqui!!!!
😛
edubt 2-12-05 9:50 …
E na Domingos Ferreira ainda rola uma casa… é interesante ver que o Guarujá é bem pequeno em comparação com os outros.
AH!!!
TAQUIÚSPA!!!
A melhor foto que já apareceu por aqui!!!!
jban 2-12-05 9:51 …
Em formação com o Cel Braga, podemos ver o T-6 do Tenente AG. Infelizmente o querido e quase invisível tenente não completou a manobra, se esborrachando na praia de Copacabana, em cima da rede de volei onde Mr. D´, após cruzar os jardins do Guarujá, havia acabado de chegar. Felizmente ninguém se feriu, já que o valoroso e holográfico piloto havia conseguido saltar de paraquedas a tempo…
guscar 2-12-05 10:22 …
Segunda-feira (madrugada de terça) última foi exibido no Intercine Brasil da Globo o filme “Amor Bandido”, com Paulo Gracindo, Cristina Aché e o Paulo Guarnieri ainda adolescente. No filme, um travesti é encontrado morto em um terreno baldio em Copacabana. O filme deve ser de 78 ou 79. Onde seria aquele terreno hoje?
Curioso é que concorreu com ele o filme Copacabana, mais recente e mais sério. Entre a cultura e a sacanagem os funcionários da Globo que votam no Intercine escolheram a segunda opção. Eh Brasil!
Rafael Netto 2-12-05 10:30 …
Eu fico pensando quem é que assiste a esse Intercine, e ainda por cima vota nos filmes.
Terreno baldio em Copa no fim dos anos 70? Seria a C&A? Não me vem à cabeça nenhum outro. Méridien e Othon são mais antigos, Pestana e Marriott mais recentes. Tem também aquele lá no Leme onde teve um prédio que caiu (?) mais ou menos nessa época.
http://fotolog.terra.com.br/rafael_netto
Rafael Netto 2-12-05 10:32 …
Vê-se também uma massa de casas na Domingos Ferreira, logo atrás do terreno dos Smith Vasconcelos, onde hoje existe o SESC. Talvez seja mais uma alternativa para o “terreno do filme”, mas acho que o SESC também é mais recente.
AG 2-12-05 10:42 …
Engano seu, caro “grandson Novello”.
No momento em que o avião despencava, estavam na rede do Luiz seus 5 amigos de quadra; Chico Babão, Marcelo Beiçola, Tip Top, Caveirinha e Morcela.
No que o T6 tentava sem sucesso sair do piquê, Luiz D’, considerado o mais potente saque da orla do Rio, inlcuindo Praia de
Maria Angú e do Anil, deu um tremendo cachação na bola que subiu e bateu chapado no cowling do motor do NA. Esse tremendo impacto no avião fez com que o piloto pudesse recuperar a tempo e sair num Tonneau lento e muito elegante.
Mais tarde, em agradecimento à rede que salvou sua vida, o piloto ofereceu várias manobras como: um Lancevàque, um Oito Cubano e, despedindo-se com um emocionante aceno de mão, uma Faca bem rente à rebentação seguindo-se de um Looping com potência máxima.
Depois destas manobras, Caveirinha, o mais sensível da turma, apaixonou-se pela avição e pelo saque do Luiz. Rejeitado pelos dois, nunca mais foi visto.
luiz_d 2-12-05 10:45 …
Consta que o Caveirinha passou a fazer parte da turma do Bertoni e do Jô, lá pros lados do Copacabana Palace.
http://fotolog.terra.com.br/luizd
bluemoon0510 2-12-05 11:04 …
amei a foto!!
🙂
edubt 2-12-05 11:08 …
O terreno onde o travesti aparece morto tem hj uma agencia do banco do Brasil. É colado ou bem proximo do antigo Cine Ricamar, hj sala Baden Powell. É facil de localizar, pois há uma escada estreita que sobe em direção ao predio, onde morava a personagem da Cristina Aché, que fica no que restou de um dos Morros do Inhangá.
:-))))))
lerfamu 2-12-05 11:11 …
Essa imagem não foi feita nas filmagens de “Roberto Carlos em ritmo de aventura”?
é desse ano, e com direito a volta de T6 e travessia de túnel com helicóptero!
Abraço
fco patricio 2-12-05 13:25 …
“Roberto Carlos em ritmo de Aventura” ?!
Bem lembrado …o filme era uma piada mas tinha belas externas do Centro do Rio (Edif.Av Central, aterro etc) e uma cena final (do Bronco com a, então, bela Renata Fronzi)gravada nos areais da Barra da Tijuca. Me recordo bem da cena da Esquadrilha da Fumaça – pode ser sim …!
Rafael Netto 2-12-05 13:39 …
O RC em Ritmo de Aventura foi filmado em 1967 e lançado em 1968. É um dos filmes mais hilários já feitos no Brasil, que parodia a própria chanchada. O questionamento do vilão José Lewgoy “Mas nesse filme eu não morro no fim?” é impagável!!!!
Mauro_AZ 2-12-05 13:44 …
1965, de tardinha, praia de Copacabana em frente `a Constante Ramos? Entao eu devia estar ali com meu tio, pescando, e so’ nao devo ter presenciado o evento relatado pelo Joao e AG porque no exato momento eu estava entretido em desenganchar do anzol uma tainha de quase um metro que eu tinha acabado de pescar.
AG 2-12-05 13:49 …
Mauro, (saudações cruzmaltinas) você é um grandessíssimo mentiroso.
Todos sabem que no trecho da Constante Ramos não havia tainha com menos de dois metros.
Conta outra, vai.
Mauro_AZ 2-12-05 13:57 …
Ilustre AG, perdao pela minha falha, pois eu tinha na epoca apenas 8 anos e minha memoria anda claudicando ultimamente. Nesse caso, se nao era uma tainha, entao provavelmente era uma cocoroca de quase um metro. Das miudas, entende?
AG 2-12-05 14:28 …
Mauro,(saudações cruzmaltinas) ah, sim, agora está certo. Uma cocoroca, das miudinhas, com quase um metro é bem possível.
Isso me lembra as primeiras ondas que Luiz D’ pegou (jacaré de peito, que naquele tempo prancha era coisa de viado) que mediam de 5 a 6 metros de altura. Isso era considerado marola.
Uma boa onda, segundo o Luizíssimo, era aquela que o final chegava na Toneleiros em frente ao bar Tamancos de Oiro (é oiro mesmo) do Manoel dos tremoços.
O Luiz e sua turminha de jacaré de peito (Leleco, Caxambu, Chambord e Clementino Tavares Ribeiro Albuquerque) passaram, isso várias vezes, dentro de alguns apartamentos importantes; eles entravam pela janela da sala, passavam pelo quarto e saiam pela área de serviço.
Mas isso é passado; depois…fizeram aquele aterro… aquele calçadão… e Copacabana deixou de ter interesse.
Culpa daqueles portugueses que fizeram os estudos oceanográficos para a nova Copacabana em Lisboa.
Estavam todos a soldo de um paulista, fazendeiro em Guaratinguetá que tinha inveja de quem queria o melhor para o Rio sem passar pela aprovação dele.
jban 2-12-05 14:50 …
Todos sabemos que Coimbra é a melhor Universidade do Mundo… Afinal consegue transformar um Português em Doutor…. (piada já anciã. Antes que o meu luso e multidimensional companheiro de bar virtual se revolte, tenho a dizer que tenho Almeida no nome e mãe e avós portugueses legítimos lá dos lados de Ovar… Eu sei o que estou falando !! hahahahha
jban 2-12-05 14:53 …
Aliás, voltando à vaca fria, queria agradecer ao meu cruzmaltino e atemporal colega pela completa explicação do acidente… Agora entendi o episódio completamente.
edubt 2-12-05 15:30 …
Stop!!! Eu tenho o filme do RC aqui, não lembro da Renata Fronzi nem da Esquadrilhja da Fumaça, lembro de outros aviões da FAB que eram para transporte de parquedistas. O José Lewgoy tava num Sherman dando tiro pra todo lado, Roberto carlos num Jeep se não me engano… vou ver essa bizarrice e tirar as duvidas.
:-)))))
Fco 2-12-05 17:23 …
Tem o amigo toda a razão! Não é a toa que quem pronunciou esse elenco do filme foi um patricio. Misturei tudo – esse filme a que me referi (não recordo o nome) tinha o Ronald Golias como ator principal e a Renata Frozi como coadjuvante ( era uma paródia a um hipotético astronauta brasileiro) o Roberto Carlos (por sorte) estava fora desta.Mas tinha incriveis cenas externas do Rio dos anos 60 !
Quanto ao prezado amigo JBAN – me permita uma afirmação:
– A grande vantagem de ser português está no fato de : quando você erra sempre será desculpado ( -“à …afinal ele é português!”)agora brasileiro …não tem desculpa!
Abraço amigo.
Solange Passos 2-12-05 18:33 …
Smith Vasconcelos é a mesma família da Martha Suplicy?
Solange Passos 2-12-05 18:39 …
Vejo que o pessoal aqui, como eu, gosta das coisas
de outrora,indico o site www.propagandasantigas.blogger.com.br
é uma delícia !
Rafael Netto 2-12-05 19:19 …
Sim, a Martha Suplicy é da família Smith Vasconcelos.
Sobre o “RC em Ritmo de Aventura”, sugiro visitar este site:
http://www.barracineontem.etc.br/
Ele mostra cenas de filmes dos anos 60 e 70 feitas na então deserta Barra e compara com os dias de hoje. Imperdível! Pena que há muito não é atualizado e as fotos são pequenas.
guscar 2-12-05 21:19 …
Obrigado Tumminelli pela localização do “terreno baldio” do filme de segunda-feira. Eu passo por ali, mas só de ônibus quando volto para o meu subúrbio.
Para o Rafael: eu assisto ao Intercine quando me interessa, mas não chego ao cúmulo de votar.
Sobre o Barra Cine Ontem eu já sugeri ao criador que mudasse o nome do site para Rio Cine Ontem, deixando de se limitar à Barra. Mas ele explicou que não tem material. Bem que a turma do Rio antigo poderia ajudá-lo.
edubt 3-12-05 10:45 …
Passei de madrugada pela locação do filme Amor Bandido.
Vamos lá à errata. A tal escada estreita que falei fica ao lado do antigo Ricamar. O terreno onde o tal personagem aparece morto é mesmo um Banco do Brasil atualmente, mas a duas quadras do Ricamar, quase na esquina da Duvivier. Pode-se ver o predio da personagem de Cristina Aché, nos fundos da agencia do BB
Agora tudo certinho.
:-))))))
Celso Serqueira (mapas) 3-12-05 16:47 …
Salve, André!
Grande foto, mas que parece montagem, parece. Abração.
Rafael Netto 3-12-05 17:42 …
Hoje passei pela Atlântica próximo à Santa Clara e fiquei tentando visualizar a casa dos Smith Vasconcelos no lugar do edifício, bem como o Hotel Londres. Caminhei pela antiga calçada, fiquei observando os velhos postes (um deles sem o globo) e a “casa de pedra” que permanece lá.
Cadê o DeLorean?…
http://fotolog.terra.com.br/rafael_netto
Sheila 6-12-05 20:12 …
Essa foto não é de 1967 ou 1968? Pois o prédio do meio do segundo quarteirão da B de Ipanema só ficou pronto por aí. Eu morei nele desde que ficou pronto!