Leblon – circa 1971


Em mais uma foto do Sr. Gyorgy Szendrodi vemos um pequeno trecho da orla do Leblon, que embora passados pouco mais de 42 anos sofreu profundas modificações.
Das construções mostradas aqui e que aparecem mesmo que parcialmente quatro não existem mais, inclusive a que na nossa foto ainda estava em obras. Em destaque vemos o simpático bar Caneco 70, ainda na sua primitiva forma, que por décadas foi um dos mais agradáveis lugares de se beber um chope na orla cidade longe dos vendedores de quinquilharias e demais besteiras, não se esquecendo da “torturinha de pagode” que infernizam os que tentam fazer o mesmo em Copacabana, talvez seu isolamento deixava o local não muito atrativos, de vendedor só o famoso Funério, vendedor de rosas que rodava todos os bares do Leblon com sua cesta de rosas, que segundo as gaiatas lendas urbanas eram colhidas no São João Batista.
Mais a frente vemos um caco da fachada do cinema Miramar, um dos vários cinemas a beira mar do Rio que foram sendo praticamente extintos nos anos 70 e 80 cobiçados pela especulação imobiliária, como o Rian, Coral e os outros na orla de Botafogo e Flamengo.
O antigo urbanismo, os poucos carros na rua e estacionados, ao contrário do verdadeiro estacionamento que se transformava Ipanema ainda davam ao Leblon um ar de cidade de interior, uma Urca Atlântica, que foi primeiro demolida pela especulação imobiliária e transformada nos anos 90, com a ajuda de um diretor de novelas num lugar fake, embora 90% de suas construções ainda indiquem ao contrário, algo que as construtoras estavam rapidamente revertendo até que o bairro foi tutelado por legislação protetiva, a qual o nosso prefeito em recente entrevista não se mostrou grande apreciador, afinal ele é um agente da especulação imobiliária.
A foto foi tirada do Mirante do Zig Zag, nas portas da Chácara do Céu e hoje entrada para outro belíssimo e esquecido parque o Penhasco Dois Irmãos.

27 comentários em “Leblon – circa 1971”

  1. O Funério! Grande lembrança! Um indivíduo que me causou inúmeros constrangimentos. A sua abordagem era pessoal, sempre olhando nos olhos e perguntando se o cavalheiro não queria dar uma rosa à companheira de bar, fosse ela namorada, colega de trabalho ou amiga sapatão.
    O Cinema Miramar ainda resistiu por mais 2 anos após esta foto, com a profunda ironia de ter apresentado, já na sua agonia final, “A Última Sessão de Cinema” do diretor Peter Bogdanovich, cuja história contava o fim de um cinema em uma cidade do interior dos Estados Unidos. Mais adequado, impossível.
    Na calçada da praia em frente à Rua Rainha Guilhermina, me parece haver uma carrocinha do Geneal.
    Atualmente esta região da foto é local de moradia de políticos acusados de corrupção e ponto de encontro de desocupados, apedrejadores, desordeiros e vândalos de um modo geral.
    Uma ressalva; o cinema Coral ainda existe, juntado ao cinema Scala, dividido em múltiplas salas e rebatizado de “Espaço Alguma Coisa de Cinema”.

      1. Demoliram aquele prédio cabeça-de-porco em que no térreo funcionavam os Scalas e Coral? Não sabia. E fizeram uma nova construção? Um novo prédio? Não sabia.

          1. Os cinemas foram demolidos por completo, eu vi pessoalmente. Claro que no prédio não mexeram.
            Foi a mesma coisa que aconteceu com o Condor Largo do Machado, onde o Edir Macedo queria construir mais uma filial, mas não deixaram. Ficou o terreno vazio e os tapumes no fundo da galeria.

          2. O Roxy e o Leblon nunca foram demolidos. O Leblon tem o cinema de frente pra rua (não fica atrás de nenhum prédio) e o Roxy tem até hoje dentro das salas parte da decoração da sala original

          3. Foram demolidos sim, assim como o cine Botafogo. A especulação imobiliária acabou com o Coral, criando em seu lugar uma plantação de outros cinemas.

  2. Maravilha de foto, de um local muito frequentado por mim.
    Os filmes no Miramar eram programa habitual, seguido de chopinho do Diagonal, que na época ainda se chama “Café e Bar Porto do Mar”, o famoso “Portinho”. Ali, o Martinez anotava os recados para a turma, contava as novidades e servia o chope.
    O Caneco foi palco de um chope em “petit comitê” da turma do S.E.M.P.R.E. numa noite em que chovia, como dizia Nelson Rodrigues, como no 5º ato de Rigoletto.

  3. Caramba: Miramar ,Caneco 70 a orla linda poucos carros nas calçadas (praga maldita) e Funério. Ganhei o dia. Valeu André.

    1. Eu lembro bem do posto de gasolina ao lado do Caneco.
      Já o Colúmbia não é do meu tempo, mas acredito que ele ficava onde, no alto da foto, existe aquele prédio azul, na esquina do General Artigas, em frente ao cinema Miramar.

  4. Eu vejo uma Alfa Romeo Giulia 1600,anos 60,um Opel Kadett anos 60,estacionado na rua lateral,um TC Azul,alguns Opala,e um carro azul e branco que me deixou na dúvida:uma Mopar do final dos 50,talvez Plymouth ou um Aero Bolinha??

        1. Andre e Victor,analisando melhor,pelo desenho da traseira,acho que é mesmo um Plymouth 58,porem dos modelos mais simples,talvez um Savoy ou Belvedere.Ainda tem tem um carro Azul com teto branco,atrás do FNM 2150 branco que tenho quase certeza ser um Chevy 56.Repararam que o Fusca vermelho(1º carro a esquerda da foto,estacionado na calçada em frente ao KG)parece estar sem o parachoques dianteiro….Abraços Erick

          1. Erick,
            O fusca parece estar sem para-choques dianteiro, mas não sei se é efeito da sombra. Quanto ao Chevy, não consigo definir se é um 56 ou um 57. Bons tempos em que encontrávamos estas belas máquinas americanas pelas nossas ruas.

          2. Realmente tá difícil,ele está muito escondido….Como o André falou realmente parece ser um 57 pelas molduras do farol,e eu posso estar enxergando demais,mas parece que ele tem aquele painel de inox no final da lateral traseira,característico dos 57 e diferente dos 56 que eram finos e seccionados…Pena que depois de poucos anos da foto a maioria esmagadora dos americanos de 60 para trás,já não estaria mais rodando entre nós…

  5. alguém se lembra do nome de um restaurante/lanchonete que existia nos anos 70 no Leblon (em uma rua transversal a praia) de comida alemã, aonde existia um prato de goulash picante, e também salsichões, etc ?

  6. A ocupação imobiliária do Leblon até o início dos anos 70 fazia o bairro, de fato, quase uma “Urca Atlântica” na feliz expressão mencionada. Infelizmente não se ajusta mais a realidade do bairro. E o simpático autor de novelas talvez em uma tentativa para favorecer o Leblon realmente ajudou no sentido contrário. A existência hoje de uma atmosfera irreal no Leblon é notória. Mas se algum de nós for obstinado e conseguir uma comunicação direta com moradores do Leblon que não contribuem com esta atmosfera “fake”, que se criou em torno do bairro, poderá ter vivência agradável. Saudações

  7. farah festas…maravilhoso…na joatinga; vista , tipo de música, decoração, alimentação, boa companhia ( MARAVILHOSO )
    comer milho no bar bem em são conrado…..
    comer milho no bar “pot” em são conrado…
    ir nos motéis: Tokyo, Playboy, Xa Xa Xa, Barra tourist, Skorpios, Dunas, Marbella, Vip’s, King’s, Escort, Praia Linda, Verlaine no centro ( esse tinha que subir de elevador, e quando o elevador estava cheio ?….kkkk )
    Ir comer no: Convés, Náu catrineta, Tarantella, Farol da barra, Oswaldo
    dancin days no morro da urca….
    ir num pub londrino em botafogo, rua bambina, não lembro mais o nome…..
    boate new York city rua visconde de pirajá…..
    um karaokê que ficava na josé linhares esq de humberto de campos, perto da selva de pedra…..
    comer pizza do bela blu do leme….
    comer pizza numa pizzaria na rua dos jangadeiros, esqueci o nome
    comer founde no le chalet suisse na xavier da Silveira…
    comer no maxim’s na torre do rio sul…
    loja de doce, não lembro o nome na visconde silva – Humaitá
    bob’s da constante ramos, azulejo preto….refresco de maracujá.
    la mole da dias ferreira…..
    restaurante japonês, putz não lembro o nome, ficava na av Sernambetiba, logo no início do recreio, no meio do mato e da junto à lagoa…
    cine rian…..
    importadoras na galeria Menescal, camiseta da adidas, rosa com 03 listas azuis no ombro.
    chico’s bar, piano bar anexo do castelo da lagoa…..maravilhoso……!!!!
    pizzaria guanabara, massa relativamente doce….uma delícia
    boate castel / Palace Club, no posto 6 no lobby do hotel….eu era sócio lá….rsrs
    bar da lagoa, maravilhoso…….fácil conhecer alguém lá…!!
    chaika em frente ao itanhangá
    boate calígula, no início da prudente de morais…..quem estava procurando alguém…….barril 1800, castelinho, dar uma conferida na frequência do albericos, caneco 70……nesse eu fazia sucesso…..bastava verificar se tinha algumas garotas em pé, e chegando junto do garçon mandava vir uma mesas e 04 cadeiras….eles traziam na cabeça e as garotas adoravam…..e eu conseguia uma bela companhia. num destes 04 voce “arrumava” alguém….rsrsrs.
    Comprar pipa em Copacabana
    Ir na sorveteria “Zero” em Copacabana
    Beco das garrafas no lido
    Namorar dentro do carro no arpoador, tranquilo, sem bandidos….na barra também
    E quando quebrava o carro…??……04 – 05 horas para esperar o touring club…..kkk
    Comer sanduiche submarino no gordon do Leblon.
    Fazer uma “média” na farmácia Piauí no Leblon….a primeira e única 24 horas da época
    Comer salgados na cirandinha – av Copacabana.
    Sorvete ricco
    Comprar roupa na loja da tavares na avenida copacabana

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

What is 5 + 4 ?
Please leave these two fields as-is:
IMPORTANTE! Para evitar a quantidade enorme de spams, você precisa responder a conta para provar que você é gente de verdade...