Copacabana – 1939


Nossa foto de hoje mostra uma parcial de Copacabana, vista da região do Morro da Babilônia. Temos um bairro plenamente consolidado e com seu processo de verticalização intenso, principalmente na região do Lido, onde anos de querela judicial impediu a ocupação de uma grande área com as construções da primeira e da segunda geração do bairro, tendo esse pedaço do bairro sido ocupado diretamente já com prédios em estilo eclético, Art Noveu e Déco.
Apesar de verticalizado vemos que o movimento especulatório após a segunda guerra fez muito mal ao bairro notadamente ao posto II, que ainda possuía grandes terrenos vagos, como toda a encosta que acompanhava da Ladeira do Leme junto a Rua Barata Ribeiro, bem como o entorno do Inhangá, além de casas da segunda geração na área entre a antiga Rua Salvador Correia e Belford Roxo, englobando a Av. Prado Júnior.
A foto, de média resolução, nos mostra de forma surpreendente além dos terrenos vazios já apontados, enormes trechos de construções baixas nos principais eixos viários do bairro nas regiões do Posto IV, a mais valorizada do bairro nos anos 30, inclusive na Av. Copacabana, onde as grandes casas, construídas no final da década de 10 lutaram  mais uma década para caírem, praticamente todas juntas nos anos 50, mas para dar lugar a menos conjugados que a região do Lido, possivelmente pelo preço do metro quadrado ou público da região, diverso do público boêmio que surgia no entorno das boates e restaurantes que ocupavam a parte, digamos, mais festeira do bairro.
Notamos também que a Rua Barata Ribeiro ainda mantinha seu canteiro central, no seu trecho mais largo, que ia até a esquina da Rua Siqueira Campos, onde o trecho novo, que a uniu com a antiga Rua Pereira Passos, o fez na largura desta última a reduzindo em 3 metros, e que nos anos seguinte provocou um desastrado e agreste alargamento, calcado em um PA de 1944.
Os altos prédios eram tão afastados um dos outros, que mesmo na região do Posto V e nessa resolução podemos distinguir alguns prédios mais antigos do bairro, algo que hoje deste mesmo ângulo seria totalmente impossível.

7 comentários em “Copacabana – 1939”

  1. Barata Ribeiro com canteiro central:Incrivel,impensável hoje em
    dia. Porque não continuou assim ? Linda foto.

  2. A foto é do início dos anos 30. O atual Edifício Petrônio (1936) ainda não havia sido erguido na Praça do Lido. Os edifícios George e Guido (filhos do Petrônio) já estão lá no mesmo terreno de frente para a Rua Duvivier. O antigo Edifício Almeida Magalhães foi erguido logo após a construção dos dois.

    1. Gustavo, ao lado do Copa vemos o Ed. Continental já concluído, o que indica que estamos no mínimo em 1936, o Petrônio pode estar subindo. As datas desses prédios antigos, se formos nos fiar pelos arquivos da prefeitura são extremamente confusas, algumas se referem a aprovação do projeto e outros a da liberação do habite-se

      1. Decourt, minha fonte é o próprio Petrônio, que era primo do meu avô. Ele morava em uma casa de frente para a Praça do Lido e cujo terreno ia até a Duvivier. Resolveu construir os dois prédios com o nome dos filhos homens e após a conclusão demoliu a casa e construiu o Ed. Almeida Magalhães, que ficou pronto em 1936. Muitos descendentes dele ainda moram moram no prédio, incluindo um neto, que é casado com a irmã de um comentarista dos FRA.

  3. Prezado Andre Decourt
    Encontramos imagem antiga que ilustra CRIANÇAS ENFILEIRADAS disposto no link http://www.almacarioca.com.br/imagem/fotos/rioantigo2/flabot.htm que parece ser seu acervo.
    Gostaria de saber sobre autorização de uso da imagem para ser inseridas num documentário de TV estrangeira, estatal e sem fim lucrativo, com título “A transformação através do esporte”, data prevista para exibição : final de abril/2013.
    Com com podemos tratar sobre autorização de uso? Poderiam nos direcionar de alguma forma ao detentor do direito de uso da foto?
    Grata,

      1. Prezado André,
        Obrigada pelo retorno e ficamos felizes por encontrar o detentor dos direitos da imagem. Sim, é ela mesma! Verificarei se há necessidade de alguma formalidade para o uso e retomamos contato, pode ser? Abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

What is 7 + 12 ?
Please leave these two fields as-is:
IMPORTANTE! Para evitar a quantidade enorme de spams, você precisa responder a conta para provar que você é gente de verdade...