Árvore de Natal do Lido, 1952

Amanhã se inaugura a Árvore da Lagoa, da qual não nutro a menor simpatia, pelo caos que ela cria no trânsito de pelo menos 5 bairros além de ser na minha opinião de gosto duvidoso e por fim por ter acabado com as tradicionais árvores do Aterro e também com a decoração do Túnel Novo, tudo é centrado nela como a cia seguradora que a patrocina detivesse o monopólio da decoração natalina oficial na cidade.

Mas voltemos à primeira metade dos anos 50 quando a cidade tentava criar uma série de eventos alusivos a datas comemorativas, como dia das mães( http://www.rioquepassou.com.br/2005/05/08/monumento-ao-dia-das-maes-1955/ ), das crianças, ano novo e natal. 
 A árvore de formato tradicional de pinheiro, intensamente iluminada e enfeitada foi colocada na borda da Praça do Lido, um dos aspaços privilegiados da Z. Sul a época, certamente podendo ser vista de toda a orla do bairro no tempo da estreita Av. Atlântica.

Tudo isso certamente vinha da mentalidade o secretário de Turismo e Certames da PDF nas Adm.  Dulcídio Cardoso e Alim Pedro, Alfredo Pessoa. Amigo da família e praticamente  tutor dos netos do Vereador Rocha Leão quando de sua morte em 1952. Nascido na última década do séc. XIX era formado pela Politécnica em engenharia, embora nunca tivesse pego seu diploma, resultado de uma cisma positivista contra títulos. Além da engenharia cursou faculdade de economia e se dedicou ao jornalismo, profissão essa que exerceu na Inglaterra durante toda a Segunda Grande Guerra, transmitindo reportagens, inclusive no Dia D, para a Agência Nacional. Retornou ao Brasil praticamente convidado para assumir esta secretaria, a qual exerceu até 1955. Após esse período ele se uniu a Graça Aranha e Roberto Campos, de quem era amigo pessoal, para juntos assumirem uma comissão na OEA e depois na ONU, tendo morado em NY até o final dos anos 60. Faleceu no final dos anos 70.

19 comentários em “Árvore de Natal do Lido, 1952”

  1. Estava pensando esta semana, brevemente nos mapas da cidade haverá a legenda identificando um grande corpo d’água na Zona Sul com o nome de “Bradesco Seguros e Previdência”.

  2. Pessoalmente acho bonita árvore da Lagoa, além de ser mais um fator de divulgação da nossa cidade. Contudo, concordo que o trânsito fica um inferno e muitos dos frequentadores emporcalham as margens da Lagoa, mas acho o saldo positivo.

  3. Concordo. O cone iluminado em si não é ruim, o ruim é o caos que ele provoca.
    Eu também não concordo com a forma possessiva com que o patrocinador trata a peça. É a “Árvore de Natal da Bradesco Seguros”, não da Lagoa, não do Rio. Como se a Lagoa se chamasse “Bradesco Seguros” conforme eu brinquei hoje mais cedo.

  4. Prezados Senhores,
    Parabenizo pelo excelente trabalho, e pela demonstração de conhecimento, respeito e consideração com a nossa cidade.
    Sou engenheiro civil e necessito dados, levantamentos sobre o “buraco do lumen” , sua historia, as nuancias do seu entorno, mapas, fotos do local, antes, durante e depois da construção, referencias bibliograficas, etc.
    Coincidentemente, ainda quando estudante de engenharia, passava no local e olhava com curiosidade o rebaixamento do lençol freático e a construção do imenso radier que na verdade eram os andares do subsolo deste mega predio, na época.
    Pesquisei na internet mais são poucas as referencias, solicito a vcs do site ajuda para localização deste material.
    Faço uma especialização e o tema é este.
    Desde já agradeço a atenção,
    Respeitosamente,
    luiz felipe.

    1. Luiz, o material a cerca do Buraco do Lume e até mesmo da Lume empresarial na Internet é escasso, e o que temos aqui no site é uma coletânea mais a foto do antigo buraco recém urbanizado por volta de 1974/5. Só vejo uma saída, ralar nos arquivos físicos na Biblioteca Nacional e Arquivo Nacional na seção periódicos. É a minha sugestão !

  5. Seria ótimo para o Fã do Cone que fosse feita um outro enfeite desses, maior e mais bonito, no futuro parque a ser construído em Madureira.
    Poderia inclusive aproveitar as torres de transmissão da Light que lá existem, em vez de uma só, seria uma verdadeira “floresta” de “árvores de natal da bradesco seguros”.

    1. Já pensou a Via Light com cones em todas torres de transmição ???? Seria a Sibéria Natalina da Bradesco Seguros !!!
      Ela ainda iria faturar muito com o pagamento das franquias, pois ia ser um engavetamento atrás do outro!

  6. Acho que esta discussão não leva a nada, é uma perda de tempo. Também me parece que aqui não é o local ideal, sem dúvida bem mais adequado a um campus universitário dos anos 70.

      1. Pessoal.
        Assisti ao Hair nesse último sábado.
        Tinha 17 anos em 1968, época em que a peça foi idealizada.
        Realmente o clima mental contestatório da época,
        bate com o perfil do(a) crítico(a) que se entitula
        A árvore é lina….

        1. Na realidade Honório ele não quer constestar nada, apenas semear discórdia com argumentos vagos, é o que se chama de Troll, mas que na verdade é apenas um sofrível Elfo, que foi alimentado por mim até se enrolar todo, dando quase faniquitos, aliás eu me divirto com essas figuras, mas faz a maior bagunça.
          Afinal contestar e dobrar argumentos é a minha profissão. Vou dar uma faxinada no post, pois o velho Pessoa não merece esse cenário de filme do Gordo e o Magro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

What is 7 + 6 ?
Please leave these two fields as-is:
IMPORTANTE! Para evitar a quantidade enorme de spams, você precisa responder a conta para provar que você é gente de verdade...