Essa foto do arquivo do Globo mostra uma imagem que se tornou tabu para certos setores da sociedade e da classe governante. A remoção de favelas, na foto a da Macedo Sobrinho.
A quantidade absurda de vítimas do temporal, coroada com a carnificina de Niterói, cidade governada pelo PDT e “amigos” nas últimas décadas, onde uma favela construída sobre um lixão desativado em forma de morro, ao contrário de ser removida, ganhou via de acesso, que fomentou seu crescimento e obras eleitoreiras como iluminação pública, mostra que a velha política da Bica D’água, ganhou sofisticação e requintes sórdidos de irresponsabilidade, tudo pelo voto fácil, manipulando o povo, que infelizmente troca seu poder de voto por muito pouco.
Se nas áreas periféricas ainda podemos encontrar o favelado mais humilde, realmente com tão poucas opções que vai morar em favela e ainda longe do trabalho, o mesmo não podemos falar das ocupações irregulares nas áreas nobres, valorizadas por obras que são super Bicas D’águas, com o mesmo espírito eleitoreiro e irresponsável, só que muito mais caras, e com o poder de seduzir e enganar gente letrada, que logicamente mora em confortáveis imóveis no asfalto.
Vemos um momento de galopante especulação imobiliária nas favelas, com prédios de 05, 07, 09 andares, sem elevadores, construídos sem a mínima responsabilidade técnica, por empresários que chamo de Sérgios Dourados das Favelas, normalmente proprietários das rentáveis lojas de materias de construção dentro da própria favela, que vendem caro, mas faturam no varejo e no fiado. Esses “empresários” , verdadeiros bandidos grilam terra alheia, vendendo ou alugando esses imovéis por preços inacreditáveis, como recente tabela apurada na Favela dos Tabajaras, ponto nobre de Copacabana, com preços pós UPP.
ex a: ) R$ 350 mensais por um quarto e sala (sem janelas – somente a porta de entrada como ventilação –  mais assemelhado a uma cela – com uns 25 m2.
ex b: ) R$ 40.000 pela venda desta mesma “cela” de 25m2.
ex c: ) Uma laje lisa, por R$ 35.000 de 8 x 6 m. com duas vistas livres.
ex d: ) R$ 480 mensais por um quarto e sala (com 1 janela pelo menos), e com uns 30 m2.
Os alugueis incluem gatos luminoso e aquático.
Os preços são de imóveis construídos em cima de pelo menos 03 APAS e um parque municipal e logicamente sem escritura e registro imobiliário, se formos contar o preço e a metragem da “cela” apenas passando esse preço para 75 metros quadrados ( área de um apartamento médio de 2 quartos), chegamos a impressionantes 120 mil reais……na favela…..
Os preços se equivalem em uma Rocinha, Pereirão, Pavão/Pavãozinho que demonstra que hoje o problema social, pelo menos na área mais valorizada da cidade, é outro. Temos uma nascente Classe C, que não se importa em viver em condições habitacionais desfavoráveis urbanisticamente, mas que presa a localização, certamente torcendo o nariz para morar no asfalto, com tudo ok. num bairro da Zona da Leopoldina ou subúrbios da Av. Brasil.
E hora da reflexão, as eleições estão aí, e que se dane a Cobra Coral……