Pegadinha – ônibus da Viação Excelsior

Nossa pegadinha de hoje será feita com duas fotos de Ferreira Júnior, que como vocês sabem foram enviadas ao site por seu afilhado Sidney Paredes.
Os dois ônibus da Excelsior, compartilhavam o ponto de partida e parte da rota. Partiam da lateral do Clube Naval, na Av. Alm. Barroso, entravam na Rio Branco, Beira Mar e só se separavam no Largo da Lapa. A linha Mourisco seguia pela Beira Mar até o Pavilhão Mourisco e a Laranjeiras pegava a Rua do Catete, Largo do Machado e subia a Rua das Laranjeiras até largo junto a Rua Ypiranga.
Por mais que eu tenha investigado nas fotos o local exato, onde os dois ônibus foram fotografados (é o mesmo apenas com diferenças de ângulo), continua um bom mistério. Logicamente já descartei o ponto de partida e o trajeto até o Passeio, que nos dá um trecho muito pequeno. Acho que é o Largo da Lapa, na beira da Rua do Catete, hoje um das mais “belas destruídas” regiões da cidade, largada ao crack, mendicância e decadência urbana.
Estamos num carnaval, possivelmente o mesmo que gerou a fotografia do stand do Lacto Cacáu, publicada em 29 de Janeiro de 2010, vemos  uma moça fantasiada, bem como o desgrenhado gordinho de gravata, que aparece nas 03 imagens, pelo estojo quadrado que carrega começo achar que era um assistente de Ferreira Júnior e não um “aguado” fujão da esposa. Há um espírito de descontração no rosto dos presentes.
A foto também é fantastica para apreciarmos em detalhes os ônibus da Excelsior, viação controlada pela Light que praticamente exercia o monopólio dos ônibus da parte sul da cidade. Vemos as “bananinhas” que tinham o papel dos pisca-pisca de hoje, detalhes da carroceria e a peculiar ausência de faróis, o que caracterizava os ônibus da Light, certamente para fazer propaganda da boa iluminação das ruas da cidade, a época ainda uma das mais bens iluminadas das américas.
Os ônibus contavam com mecânica inglesa da marca Guy e eram encarroçados aqui mesmo no Rio nas oficinas da Garagem Murity.
Sem dúvida mais duas fantásticas imagens, e que comecem as apostas…….

23 comentários em “Pegadinha – ônibus da Viação Excelsior”

  1. humm…vou chutar mesmo…os ônibus estão parados na rua Teixeira de Freitas, praticamente em frente à esquina da atual rua Morais e Vale. As lentes da camera viradas em direção à esquina com a Augusto Severo…se não me engano, aquele primeiro prédio que aparece, na primeira foto, à esquerda é o falecido prédio do Silogeu…

  2. Também acho que é na Rua Teixeira de Freitas.
    As fotos, como todas do Ferreira Junior, são estupendas.
    Impressionante a qualidade e a possibilidade de estudarmos os detalhes.
    O blog também ajuda muito com a facilidade de aumentar a foto.
    Do texto nem é preciso falar.

  3. Estou com o Luiz e o resto da turma. É lá mesmo.
    Só estou estranhando a pista que eles estão.
    E a outra junto ao Passeio,quem utilizava?

  4. Na verdade, o gordinho que carrega o estojo da câmera chamava-se Leôncio e era cunhado de Ferreira Júnior.Verdadeiro “papagaio de pirata”, não é mesmo?
    Impressionante o excelente estado de conservação do piso, em pedra portuguesa, completamente regular!
    E, apesar de carnaval, a rua estava limpa.
    O detalhe da ausência de faróis no ônibus, como comprovação da boa iluminação pública, é
    incrível. Bons tempos, que eu não vivi…
    Eu também apostaria na Lapa, imediações do Passeio Público, cujas frondosas árvores estariam às costas do Leôncio, na foto de baixo.

  5. Sou tijucano de 83 anos. Conheci e viajei nos ótimos ônibus da Light que tinham garagem na Rua Desembargador Higino, nos fundos do Tijuca Tênis Clube. Zona Norte do Rio. Os modelos não eram os da foto. Eram apelidados de “Camões”, porque o lado esquerdo do motor era recuado, sem farol. Os bancos bem forrados com tecido emitando pele de onça.Os motoristas de terno e quepi eram disciplinados e atenciosos. Tenho foto do prédio do escritório e garagem onde os onibus tambem se abasteciam.O prédio foi demolido e o espaço pertence hoje ao meu Clube: Tijuca Tênis Clube.Desejo saber o nome do Arquiteto construtor do prédio.

    1. Correto meu comentário. Apenas o nome da Rua é Desembargador IZIDRO e não Higino, como saiu.
      O apelido dos Õnibus era “Camões” o grande poeta português que era cego de um dos olhos.
      Pode ser publicado o que eu disser, inclusive sobre o livro de minha autoria “Tijuca Tênis Clube – Um pouco de sua história” que poderei ofertar a valorosa equipe do Gogle.

  6. Serviço de grande utilidade. Sou admirador do Google. Sobre a história do tradicional Tijuca Tênis Clube e o bairro da Tijuca posso ofertar o meu livro com vários subsídios para a espetacular enciclopédia Google. Basta fornecer-me o endereço para remessa às minhas expensas.
    JVC

  7. Não recebi resposta sobre como ofertar meu livro “Tijuca Tênis Clube-um pouco de sua história” a essa maravilhosa enciclopédia GOOGLE.

  8. Caros, há uma confusão quanto ao apelido do onibus. O “Camões” era um onibus ACLO da Viação Taruman e não os “Chopp Duplo” da Light. Gostaria de saber se alguem sabe de que cor os onibus da Light eram pintados pois estou fazendo uma réplica dos mesmos.
    Desde já muito obrigado

  9. Os ônibus da Viação Excelsior eram pintados na cor cinza, em dois tons: um mais claro para as áreas maiores, e outro, mais escuro, para os destaques.

  10. 1. É mesmo estranha a falta dos faróis.
    2. Creio que as fotos foram tiradas mesmo na avenida Rio Branco: observar o piso da calçada em pedra portuguesa e as grades metálicas protetoras dos troncos da árvore. Isso não havia em outras ruas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

What is 15 + 10 ?
Please leave these two fields as-is:
IMPORTANTE! Para evitar a quantidade enorme de spams, você precisa responder a conta para provar que você é gente de verdade...