Monroe e Beira Mar, final dos anos 20

myriam014

Trazemos hoje mais uma das fantásticas foto do acervo de Myriam Gewerc, tiradas por seu pai o Sr. Erich.
Nossa foto mostra o Monroe e a região fronteiriça poucos anos após o término da Expo de 1922, em detalhes surpreendentes, que merecem ser vistos bem de perto.
Logo após o término da exposição os terrenos do velho Convento da Ajuda começaram a se transformar rapidamente no bairro Serrador, tão uniforme no seu conjunto de “rasga céus” dos anos 20, que esconde ser o primeiro exemplo de especulação imobiliária moderna na cidade. Com ruas estreitas onde o sol bate minutos por dia e prédios com as janelas coladas umas nas outras, mas estávamos nos anos 20 e esse mau uso seria até perdiado pela falta de experiência, mas não nas décadas seguintes.

myriam-14-1

Vemos que o Ed. Odeon já estava pronto, mas o prédio que abrigava o Pathè Palace ainda estava nas obras de acabamento, nos dando para a foto o ano aproximado de 1928.

myriam-14-2

O topo do edifício Oden ostentava um enorme letreiro de neon, que infelizmente não podemos ver do que era, por ser de dia, mas certamente foi o pioneiro dos luminosos no topo dos prédios dessa região que marcaram a cidade por décadas e hoje infelizmente estão desaparecendo.

myriam-14-3

O Pavilhão da Argentina já tinha sido demolido, mas o Ed. Brasília só começaria a ser construído uns 6 anos a frente, no lugar um frondoso jardim, cercado de grades. Na antiga Av. das Nações as lembranças de exposição de 6 anos atrás ainda era representada pelo poste de iluminação estilizado, que em breve seria retirado, quando a festiva avenida se transformaria na definitiva Av. pres. Wilson. Em primeiro plano, desfocados pela velocidade da máquina dois garotos em trajes de banho.

myrian-14-4

O Monroe já abrigava o Senado da República, podemos ter uma idéia da ambiência do local com as árvores já crescidas

myriam-14-5

Por fim o denso jardim do Monroe e um poste provisório, que era comum nas áreas ocupadas anteriormente pela Expo de 22, em alguns lugares como na frente do MHN esses provisórios permaneceram até o final dos anos 50….
 
FOTO: Acervo Myriam Gewerc

16 comentários em “Monroe e Beira Mar, final dos anos 20”

  1. André, a pavimentação desse trecho era feita com que? Não parece asfalto.
    E o Monroe passou por alguma reforma para abrigar o Senado Federal? Parece que vários ornamentos da fachada foram retirados. Meio que “limparam” a construção.

    1. É o famoso macadame asfáltico ou alcatroado, ou seja, brita compactada e uma camada de betume ou breu. Era o pavimento mais usado na cidade nos anos 10 em bairros novos.
      O pavimento asfáltico era para vias muito nobres

  2. André, nas fotos antigas aparecem postes de iluminação sôbre os embasamentos do início da escadaria. Nesya foto aparecem dois grandes vasos, desproporcionais. Sabe o que houve?

      1. No Pavilhão do Brazil em St. Louis não havia nada ali. Eram somente os leões. A escadaria terminava sem essas laterais.

  3. Excelente a foto!
    Os banhistas deviam estar vindo da praia que existia mais ou menos em frente da Av. Pres. Antônio Carlos e espanta eles sem camisa na cidade nesta época.
    O fotógrafo devia estar na murada do mar.
    Muito boa e rica em detalhes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

What is 10 + 8 ?
Please leave these two fields as-is:
IMPORTANTE! Para evitar a quantidade enorme de spams, você precisa responder a conta para provar que você é gente de verdade...