Largo do Machado, obras do Metrô

l-do-machado-obras-metro

Nossa foto de hoje mostra a verdadeira terra arrasada que se transformou o  Largo do Machado durante as obras do Metrô nos anos 70.
Todo um tecido urbano consolidado desde o meio do séc. XIX, com algumas mudanças no período Passos, desapareceu de forma abrupta em pouquíssimo tempo, referenciais do bairro e até mesmo da cidade, como a garagem de bondes, o Café Lamas, todo o comércio da Rua do Catete e o Cinema São Luiz foram varridos pela agressiva técnica construtiva do cut and cover.
Nossa foto mstra um caminhão trafegando por entre as paredes diafragmas do poço da estação e seus acessos, os únicos referenciais urbanos que podemos nos basear são as 3 solitárias árvores do Largo do Machado, sendo uma delas um dos exemplares centenários de palmeiras imperias que existem na praça.  Todos os sobrados da Rua do Catete sumiram.
No fundo vemos a parte maior do Cinema Sâo Luis, já sem os sobrados que ficavam na sua frente e até mesmo o que lhe servia de acesso e bilheteria. O aspecto do prédio é de abandono, talvez aguardando a aprovação do edifício novo, ou uma definição do PA para ser jogado ao chão.

18 comentários em “Largo do Machado, obras do Metrô”

  1. Na época, precisava de uma malha comprida para poder inaugurar o metrô. Na linha 1, algumas estações “intermediárias” foram inauguradas depois de outras estações em sentidos opostos. Só podia inaugurar o sistema em lote por nem todas as estações serem dotadas de estrutura para retorno do trem. Na fase final da linha 2 ocorreu também de algumas estações terem que ser inauguradas juntas. Mas é um método mais rápido, não. O tatuzão da Linha 2 não teve a oportunidade de fazer seu serviço (que agora vai pra infâmia 1A). Em Ipanema e Copacabana, os explosivos em solo duro só avançam uma estação a cada quatro anos.
    O Cut and Cover foi uma técnica menos agressiva nas implementações dos metrôs mais antigos (início do século XX, quando não havia tanto o que afetar), mas nenhum no Brasil. O problema maior não foi necessariamente o Cut and Cover, mas a devolução dos espaços urbanos um tanto diferente (não só pelo acréscimo dos acessos…)

  2. Cara ! Essa mesma foto está no caderno Zona Sul do O Globo (02/04), no melhor estilo “Antes e Depois” do Rafael. Inside information ?

    1. Acho que um acesso nunca executado (lacrado debaixo do solo) ou área técnica a qual não vemos da rua. A estação é uma de meio de linha, não tem nem desvio de linhas ou área de espera. Só a estação seguinte Catete e Botafogo que possuem essas características

  3. André, acompanho seu fotolog em silêncio, quero dizer, sem me manifestar mas hoje a coincidência com a imagem publicada no jornal foi demais. Obrigada pela sua contribuição com manter viva a memória da cidade.Parabéns!

  4. Este prédio “chanfradinho” é aquele de mármore rosado (Carrara?), que está em obras e será um centro empresarial(escritórios)?

  5. No dia 30 de dezembro de 2.010, dei uma passeada por lá, no final da tarde.
    Gostei de rever o Largo do Machado, mas os sinais de degradação são nítidos, infelizmente .
    Muito triste ver que a prefeitura não consegue dar abrigo descente aos moradores de rua . Estão muitos lá, no Largo do Machado.
    O chafariz está muito sujo, e não há desculpas para isso…….
    Newton Almeida
    MEIO AMBIENTE RIO DE JANEIRO
    http://limpezariomeriti.blogspot.com

    1. “No fundo vemos a parte maior do Cinema Sâo Luis, já sem os sobrados que ficavam na sua frente e até mesmo o que lhe servia de acesso e bilheteria. O aspecto do prédio é de abandono, talvez aguardando a aprovação do edifício novo, ou uma definição do PA para ser jogado ao chão.”

  6. Sobre o ângulo da foto, ela deve ter sido tirada na parte do canteiro de obras onde atualmente se localiza o Posto do Detran. As lentes fotográficas são enganosas e às vezes nos dão a impressão de que há muito mais distância entre o fotógrafo e o objeto. Essa é a fachada lateral do Cinema São Luiz, junto à Rua Machado de Assis. Como cinéfila que sou e sempre fui, recordo-me bem de que durante as obras a entrada do cinema passou a ser pela Rua Machado de Assis e identifiquei na foto essa passarela provisória feita de madeira e com cobertura de telha ondulada que foi montada na lateral do prédio, por onde a gente passava para entrar e/ou (???) sair do cinema.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

What is 11 + 13 ?
Please leave these two fields as-is:
IMPORTANTE! Para evitar a quantidade enorme de spams, você precisa responder a conta para provar que você é gente de verdade...