Capotagem, anos 30

Por motivos de obras nosso arquivo inédito, bem como os livros e demais materiais de consulta estão indisponíveis, portando faremos um repeteco de posts que foram realizados no fotolog desde o início do “foi um RIO que passou”, quando possível com os textos revisados e enriquecidos. O de hoje, publicado em Maio de 2004.
As pistas à beira mar da baia da Guanabara, sempre puniram os displicentes e abusados, que não sabem negociar suas curvas, ora sensuais ora traiçoeiras, tal como uma bela mulher…
Várias curvas fizeram e fazem a fama de umas das armadilhas automobilísticas mais deslumbrantes do planeta, curvas como a Dauphinelândia, da Amendoeira, do Morro da Viúva, do Iate Clube, do Monumento aos Mortos da Segunda Guerra, do trevo do Calabouço, do Outeiro….
Quem derrapa na sensualidade pode terminar assim, de rodas para cima .
O local não é muito claro pelo ângulo da foto, mas depois de bebates à época deram como certo o Morro da Viúva, onde até hoje as curvas criam armadilhas para os incautos.
Já o carro nossos especialistas na época do post identificaram corretamente, era um Oldsmobile model 30.

6 comentários em “Capotagem, anos 30”

  1. Com certeza é ali na entrada do Morro da Viúva. E infelizmente, quando fizeram as pistas de alta velocidade do Aterro do Flamengo, incorreram no mesmo erro, o que tem provocado uma série de acidentes graves. Parece que nunca vão aprender, não é mesmo ?

  2. Foi com um carro desses que um maluco fez, em 1923, a viagem Nova York-Los Angeles em 12 dias. Até aí nada demais… O detalhe é que o cara se propôs a fazer todo o percurso em terceira marcha, para provar a qualidade do Olds 30. Pirações d’antanho.

Deixe uma resposta para Carlos Emerson Jr. Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

What is 4 + 3 ?
Please leave these two fields as-is:
IMPORTANTE! Para evitar a quantidade enorme de spams, você precisa responder a conta para provar que você é gente de verdade...