andredecourt's foto van 21-2-08 

Continuamos hoje na Glória e recuamos aproximadamente 30 anos da imagem de ontem.
A foto mostra o velho Caminho da Glória, espremido entre as encostas de Santa Terresa e as águas da Baia da Guanabara.
O caminho, surgido de forma espontânea acompanhando a areia da Praia das Areias da Espanha, era a única via de acesso da cidade as regiões do Catete e Botafogo, e também o caminho obrigatório para quem quisesse obter água fresca antes do aqueduto ser construído, nos dois desagues do Rio da Carioca.
O caminho era precário, e constantemente varrido pelo mar, o que originou a criação de uma estreitíssima via cortada nos barrancos da encosta que ao menos assegurava uma travessia menos sujeita aos humores do mar.
Mas a cidade crescia, e o caminho, da largura de uma via férrea era um obstáculo, batida pelas ondas e as vezes até desbarrancado pela força do mar. Então o Marquês do Lavradio resolveu melhorar os acessos aos arrabaldes do sul na década de 70 do século XVIII, o caminho foi alargado e ganhando uma grossa amurada de pedras que o mantinha íntegro da força do mar, além disso o Marquês saneou o fim do caminho, onde hoje é o Largo da Glória, lamacento e pantanoso, certamente vestígios do braço do Rio da Carioca que exisita no local e que dava seus últimos suspiros, canalizando inclusive um pequeno córrego, certamente o Carioca. Para arrematar os trabalhos na região o Vice-Rei levantou nas encostas de Santa Teresa, em 1772, um chafariz, que através de tubulação e caixa d’água exclusiva pegava a água diretamente da tubulação do aqueduto ainda nos altos do bairro para dar água aos moradores da região da Glória e aos viajantes que se dirigiam para o sul da cidade.
Pois os moradores da Glória até aquela época tinham poucas opções de aguada, sendo as mais próximas uma fonte no Catete, dentro de uma propriedade privada, ou então no Largo do Moura, pois nessa época nem o Chafariz da Rua do Riachuelo tinha sido construído.
A murada existe até hoje, modificada ao longo dos séculos, tento ela ganhado um guarda-corpo de pedra no início do séc XIX e no início do XX totalmente reformada por Passos, que retirou o guarda-corpo de pedras e instalou a amurada metálica que antes cercava a Praça Tiradentes, arrematando os trabalhos com um belo relógio.
Hoje tanto a amurada como o chafariz estão em péssimo estado de conservação envolvidos por um bairro em grande decadência urbana por total omissão do poder público.
Ao fundo vemos o Mercado da Glória, a chaminé das caldeiras da City e podemos ter uma idéia de como a água penetrava no litoral original.
 

Comments (3)

tumminelli 21-2-08 9:57 …

Tenho essa foto e quase postei essa semana!
Acho muito bacana essas carroças.
:-))

derani 21-2-08 14:20 …

Foi o começo de civilização da cidade essa obra do Marques de Lavradio.
Impossivel a capital da colônia possuir tão precário caminho…
Lindíssima e rara foto.

jban 21-2-08 17:41 …

E como foi alargada esta passagem ! E como foram cortados os morros para criar terreno e obter material para aterrar a Baía.