Trevo das Margaridas, Vista Alegre déc. de 50

foto de andredecourt em 21/12/07 

Nossa aérea de hoje, do segunda metade dos anos 50, mostra a ainda em obras Avenida das Bandeiras com um dos seus conjuntos de viadutos mais importantes já concluído, o Trevo das Margaridas.
A Av. das Bandeiras construída como prolongamento natural da Av. Brasil, a partir de Parada de Lucas tinha a finalidade de ser uma via de penetração rumo ao Sertão Carioca, interligando e racionalizando o acesso de vários bairros, bem como se conectar com bairros longíquos perto das fronteiras do então Distrito Federal.
Além disso a Av. das Bandeiras iria racionalizar o acesso à São Paulo, como anos antes a Av. Brasil tinha feito, eliminado o transito por dentro dos subúrbios da Leopoldina e o mais importante se conectando com um trecho da nova Via Dutra que trouxe no início da década a estrada mais para perto do centro da cidade. A antiga Rio-são Paulo dava uma grande volta por Itaguaí e Nova Iguaçu e desembocava em Campo Grande.
Nossa foto mostra a Av. das Bandeiras já funcional nesse trecho, bem como os viatudos do trevo, inclusive já duplicados. Mas um pouco mais a frente tem-se a nítida noção que a Dutra ainda não está totalmente pronta ou funcionando em pista simples, pois vemos apenas um grande caminho de terra e não notamos o asfalto. O que contraria as informações oficiais que dizem que nos anos 50 as pistas eram duplicadas do trevo até Seropédica.
O grande complexo mais à frente é a usina do de asfalto do DER-DF, hoje Funderj, complexo este que já teve muita importância nos anos 60 e 70 com seu laboratório de engenharia, à época um dos mais importantes e sofisticados do país nos estudos de estruturas e massa asfáltica. O grande terreno, com a saída da capital para Brasília foi dividido entre a Guanabara e o Gov. Federal e depois da fusão a parte da Guanabara foi novamente fracionada entre o Estado do Rio e a prefeitura da cidade do Rio de Janeiro.
No pé da imagem podemos observar que o bairro de Jardim América praticamente não existia.
 

Comentários (8)

buraite disse em 21/12/07 11:44 …

Passarei por lá a caminho da serra, rezendo pro fusquinha aguentar o tranco… hehehehe.
Ele gueeeeenta…
É incrível o inchaço da cidade em menos de trinta anos, e pelo visto não vai se reverter tão cedo.

triunfodapintura disse em 21/12/07 15:49 …

Mesmo tema da minha postagem de hoje.

jban disse em 21/12/07 22:25 …

Como sempre, boas informações !
Valeu André !

hardsay disse em 23/12/07 17:25 …

que lindo, adorei 😀

w800i disse em 23/12/07 23:21 …

Ver essas fotos me emocionam! Pois nessa época frequnetava, passava, e nem imaginava que um dia a distância ia admirar! Rogo que o Rj volte a ser o que era! Sou otimista! FELIZ NATAL a todos!!!!

derani disse em 26/12/07 13:09 …

E sem nenhuma política habitacional, grande parte destes terrenos se transformaram em favelas, as mais perigosas do Rio.

80s_cars disse em 26/12/07 15:38 …

O pessoal q viveu nessa epoca se deu bem , nessa epoca era bem melhor de ganhar grana, hj em dia ta tudo saturado

4 comentários em “Trevo das Margaridas, Vista Alegre déc. de 50”

  1. Caro André,
    Ótima foto dos primeiros anos da Av. Brasil! Esssa parte da avenida mudou muito pouco, a não ser pela favelização nesse terreno ermo no canto superior direto da foto.
    Agora quanto a localização, acredito não se tratar do Trevo das Margaridas e sim o Trevo das Missões, pois:
    1 – Após a Dutra, a Av Brasil segue em um grande retão em Irajá e como a foto evidencia a via segue sinuosa, como em Cordovil (local provável da foto);
    2 – No topo da foto dá pra notar a presença de uma grande rampa, que é provavelmente a cabeceira do viadulto que cruza a linha férrea em Parada de Lucas. O qual foi essecial para a conexão das antigas Variante e Bandeiras (hoje, ambas parte da Avenida Brasil);
    3- Dá para perceber que o terreno do lado esquerdo da via é bastante irregular. Ainda pode-se ver um grande movimento de terra próximo ao trevo, que acredito ser o início das obras de construção do Conjunto Cidade Alta em Cordovil;
    Acredito que seja por isso que você estranhou a rodovia a não estar duplicada, conforme as informaçães oficiais que você mesmo citou. Poi se trata da Washington Luiz e não da Dultra.

    1. Felipe, muito pertinente a sua colocação, até porque o antigo DER(funderj) era localizado na entrada da washigton Luiz. Na entrada da Dutra é o DENIT.

  2. Joguei bola na época do início de 80. Nesse lugar meu pai é a rapaziada sempre jogava bola lá! Em final de 83 fui pra jpa e não estive mais aí.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

What is 8 + 14 ?
Please leave these two fields as-is:
IMPORTANTE! Para evitar a quantidade enorme de spams, você precisa responder a conta para provar que você é gente de verdade...