Praça José de Alencar, anos 40

andredecourt's photo de 18/10/06

Hoje estamos fazendo um post duplo com o fotolog de Luiz D’arcy ( http://fotolog.terra.com.br/luizd ), que mostra a mesma região aqui mostrada com pelo menos um 70 anos de diferença.

Nossa foto também não deixa de ser desconcertante se compararmos o mesmo local hoje com o mostrado nas fotos. O mais impressionante é que ao contrário de outros logradouros da cidade como o Largo da Carioca a Praça José de Alencar pouco mudou nas suas dimensões físicas desde o sec. XIX.
A estátua do grande escritor inaugurada em 1897, continua no mesmo largo desde dessa época, mas já tendo mudado de lugar e posição diversas vezes ao longo de seus quase 110 anos.
As ruas que chegam à praça também são as mesmas, de desde a metade do sec. XIX.
Mas porque tanto a foto de hoje, como a foto postada do Luiz geram essa total sensação de desorientação espacial?? Não obstante a estátua ter mudado de posição pelos menos umas 4 vezes durante sua existência, perdendo o referêncial de marco fixo, como chafariz de Mestre Valentin da praça XV, ou a coluna monumental do relógio no Largo da Carioca. Pelo menos 3 ruas que desembocam na praça tiveram seus PA’s modificados ao londo dos anos, duas de forma radical como a Conde de Bapendi e a Barão do Flamengo.
Fora isso tivemos o Metrô nos anos 70 que consolidou o PA dessas ruas demolindo os velhos prédios remanescentes.
E por essas constatações que ao vermos a foto de hoje ficamos indagando aonde ficava esse prédio atrás da estátua. a foto pela roupa dos pedestres que passam ao fundo é aparentemente do início dos anos 40, o pavimento da praça está tomado de entulhos que indica que ela está sofendo uma reforma e que possivelmente a estátua tenha sofrido a sua primeira mudança de posição.
Especulo que esse prédio estivesse em dois lugares, nos dois vértives da rua do Catete, ou na esquina com a Conde de Bapendi, onde hoje há um curioso terreno abandonado quase sem recuo, ou então na esquina com Barão do Flamengo que também sofreu um grande alargamento nos anos 40/50, no logal onde temos o grande posto de gasolina sobre a bandeira da BR distribuidora, lembro que a rua do Catete era parte da nunca terminada Av. Humaitá-Glória e também sofreu grandes mudanças.
Estão lançadas então as especulações.

Comments (13)

ravin 18/10/06 09:49 …
Olá Andre, vc tende por este email do camelos, mesmo? Enviei uma foto para lá.
andredecourt 18/10/06 09:51 …
Sim, ele funciona
ravin 18/10/06 10:14 …
adecourt@camelos.com.br? vou mandar de novo…
betotumminelli 18/10/06 10:27 …
Essa foto ja não foi postada em algum flog? Tenho certeza que ja vi em algum lugar.
Não seria esse predio onde há um posto BR hj?
luiz_d 18/10/06 10:35 …
Era um recanto lindo no início do século passado.
andredecourt 18/10/06 10:35 …
Roberto, claro que vc viu, comprei com vc na Praça XV !!!
betotumminelli 18/10/06 10:44 …
AHAHAHAHAHAHAHAH!!! Sério??? Não lembro disso!
:-)))))))))))))))))
Derani 18/10/06 10:50 …
Esse lugar hoje acho muito confuso e a área dá uma sensação de indefinição total.
Degradou!
edubt 18/10/06 10:52 …
Concordo com o Derani.
🙂
Rafael Netto 18/10/06 19:48 …
Desconfio que seja naquela área ocupada pelo Metrô, entre a Conde de Baependi e a S.Salvador. Ninguém tem outra foto desse lugar? A Milu já andou postando umas mais antigas.
http://fotolog.terra.com.br/rafael_netto
paulo roberto 19/10/06 16:52 …
Prezado,
Acho que sei qual é o prédio . Tenho quase certeza que foi o prédio implodido no início da década de 70 . Afirmo tal fato porque moro na Paissandu há 44 anos e me lembro deste dia . Veio uma enorme nuvem de poeira que cobriu todo o bairro do flamengo . Houve até um fato curioso que foi o seguinte : o prédio caiu antes que a dinamite explodisse ( houve um abalo na estrutura por uma máquina que trabalhava lá dentro )e como caiu um pouco antes da hora os fotógrafos não estavam a postos . Somente um amigo meu , chamado Pedro Luis Darbely Machado clicou o flagrante com uma Olympus Pen e vendeu a foto para o Jornal do Brasil ( foi primeira página no dia seguinte , no JB ) . Se alguém pesquisar no arquivo do Jornal poderá comparar a arquitetura dos prédios e confirmar esta minha suspeita . Se for este mesmo , fica na esquina da Rua Conde de Baependi com a Rua do Catete , em frente ao posto da BR que você citou . É isso ?
Ricardo Ferreira 10/04/07 10:03 …
O colega Paulo Roberto acertou , este predio e mesmo o que foi implodido .Tinha um amigo que morava e marcamos de aassistir a implosão.

2 comentários em “Praça José de Alencar, anos 40”

  1. esse predio ficava na esquina com a rua do catete,e embaixo havia uma farmacia..muito grande por sinal.
    Brinquei muito por ali

  2. Havia uma pharmacia no térreo dêstre prédio e mais outras lojas ,que seguiam pela esquina virando a Rua do Catete , o estilo meio neo classico twisted com Art- Deco. Havia o teatro também com entrada pela galeria ,que existe ainda hoje,com lojas e cabelereiros .Quando pequeno, minha mae comprava remédios nesta pharmacia e com meu pai frequentavamos teatro e cinemas do largo do Machado , comiamos no Café Lamas, que foi centro de intelectuais; artistas e escritores, bem como Vinicius , Djanira, Caetano e muitos outros . O complô da resistencia contra os militares foi planejado na mesa do Lamas Seu Fernando, o português gerente o incontornavel Maia, nosso garson de table, predileto. Um bairro cultural efervecente durante os anos 50 Até 79/80, eu era um jovem
    artist e participei muito antes de mudar-me para Europa. Depois disto, começaram as destruiçoes continuas.
    Um infâmia! A destruiçao nêste bairro. Mas, enfim, poucos sao os brasileiros com cultura para entender e conservar o patrimonio historico que tinhamos nesta época. O brasileiro em geral nao tem espirito de tradiçao. O ano 70 ,foi o apogeu da destruiçao do Rio. Sergio Dorado, corretor nefasto e etc ,foi o que mais incentivou a destruiçao na Zona Sul. Hoje ,minha mae com 96 anos, continua morando neste bairro ,na Conde de Baependi, bem ao lado da igreja methodista.Quando vou ao Brasil fico bem ao lado do José de Alencar no qual sua estatua rodopeou constantemente nesta praça que , atualmente encontra-se decadente e abandonada , comprovando assim o espirito da desordem compulsiva que reina na cabêça carioca .Obrigado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

What is 14 + 4 ?
Please leave these two fields as-is:
IMPORTANTE! Para evitar a quantidade enorme de spams, você precisa responder a conta para provar que você é gente de verdade...