foto de andredecourt em 17/10/06

Copacabana, região do Lido

Nessa foto dos anos 40, tirada do velho Forte do Vigia, vemos o bairro na sua parte então a mais verticalizada.
Mesmo no trecho tendo uma verticalização tão expressiva em comparação com o resto do bairro, verticalização essa oriunda da ocupação desde pedaço do bairro, posteriormente ao resto, por uma questão fundiária que se arrastou do sec. XIX até os anos 20 do sec. XX, impedindo a venda de quase toda a região do Lido pela Cia de Construções Civis a maior urbanizadora do bairro.
Mas mesmo assim, vemos um modelo de verticalização ainda salvo da sanha especulativa imobiliária. A quantidade de prédios de poucos pavimentos é muito grande principalmente na região da rua Ministro Viveiros de Castro, o que mantinha uma escala humana. Escala essa perdida a partir dos anos 50, com “boon” desenfreado no bairro.

Comments (14)

Derani disse em 17/10/06 10:04 …
Nessa foto já dá para ver bem a falta de planejamento que foi o desenvolvimento urbano de Copacabana.
O sensato seria que os prédios da orla fossem de menor altura e o gabarito fosse aumentando à medida que se afastasse do mar, proporcionando melhor ventilação e uma vista para o mar, senão total, pelo menos razoável para todos.
O complexo de fortes e pontos de “vigia” ou observação que os portugueses construiram ao largo da costa é impressionante.
Todos se comunicavam através de sinais com bandeiras hasteadas de acordo com o perigo que se apresentasse. Em Niterói tem um desses postos de vigia que se comunicava direto com o Rio.
Vinicius disse em 17/10/06 10:22 …
Esse forte ainda existe?
andredecourt disse em 17/10/06 10:25 …
Derani, o PA do Lido era diferente do resto do bairro nessa época, em volta da praça poderiam haver prédios altos de 12 pavimentos, no quarteirão adjacente de 10, e o resto do bairro seguia algumas diretrizes do plano Agache, ainda, mas os prédios recuados como o Guarujá já tinham sido eliminados.
Mas nessa época o gabarito de trechos da Av Atlântica, Av. Copacabana e Barata Ribeiro, só para citar as mais movimentadas, ainda variava entre 8 e 6 pavimentos, depois da guerra que os gabaritos foram aumentados, antevendo o surto especulatório da década seguinte !!
Derani disse em 17/10/06 10:31 …
Ou seja, PA deveria significar Plano de Anarquização…
andredecourt disse em 17/10/06 10:35 …
Vinícus, mesmo nessa época o forte do Vigia já tinha pouca serventia militar, talvez para os velhos outeiros de canhòes serem usados com lugar para posicionamento de morteiros.
Mas nessa época o forte servia só como ponto de observação.
As arcadas da Ladeira do Leme fazem parte da sua fortificação, ele era um forte muito parecido com o extinto forte da Piçaba no Humaitá
betotumminelli disse em 17/10/06 10:52 …
A região do Lido tem prédios interessantissimos!
🙂
Vinicius disse em 17/10/06 10:53 …
Obrigado André.
jban disse em 17/10/06 11:41 …
Ainda era um bairro civilizado… e bonito.
rockrj disse em 17/10/06 12:15 …
Este forte ficava no alto da Ladeira do Leme André?
luiz_d disse em 17/10/06 13:02 …
E a Pedra do Inhangá ainda era bastante visível.
andredecourt disse em 17/10/06 18:00 …
Sim Roberto, o forte avançava por todo o morro da Babilônia, até o Leme.
Era um forte colonial uma unidade principal bem abrigada na região do Parque da Chacrinha e muitos outeiros de artilharia pelo morro
Vinicius disse em 17/10/06 19:33 …
André, restou alguma coisa do forte além das arcadas?
andredecourt disse em 17/10/06 19:35 …
Existem ruínas, paredões com azulejos portugueses, e os outeiros ainda usados pelo EB, além da estrada que Liga os fortes Duque de Caxias e do Vigia, pois afinal há um vila militar na área do velho forte
Vinicius disse em 17/10/06 20:02 …
Não sabia que ainda há uma estrada ligando os dois fortes. Interessante