andredecourt's photo de 19/10/06

O Rio espera a Guerra

Nessa foto da National Geographic, com uma reportagem feita durante a Segunda Guerra Mundial, mas o Brasil não tinha entrado, apesar já da escassez de gêneros de primeira necessidade como combustivel.
A foto é muito interessante, pois mostra o fundo da Urca, com muitas casas normandas e um único edifício, o que hoje abriga o simpático Bar Urca, responsável por agradáveis tardes, de cerveja gelada degustada na murada da Av. João Luiz Alves no sol poente. Falando nela é de se notar que nessa época ela não possuia uma única árvore.
O soldado ainda usa o uniforme semelhante ao do exercito francês e a fortaleza guarda muito mais resquícios coloniais que hoje.
A legenda da foto é muito interessante ” Os séculos passam e os arranha-céus sobem, mas o sentinela continua continua observando deste velho forte do Rio de Janeiro “.
Ao fundo vemos que os prédios começam a subir na Av. Ruy Barbosa, no Morro da Viúva

Comments (22)

jban 19/10/06 10:00 …
Até hoje é uma visão privilegiada.
Sugiro que o próximo Chopp seja no Garota da Urca.
O soldado francês é o famoso Rouen Michelin Camembert de Citroën, que fazia um estágio no Forte São João. Se amaziou com uma mulata do Morro do Pasmado e ficou por aqui.
luiz_d 19/10/06 10:03 …
Foto espetacular!
Esse soldado tem muitas histórias para contar…
/papaula 19/10/06 10:49 …
Muito legal essa foto.. e qto ao chopp ali no bar.. eu topo! 🙂
rsrs
edubt 19/10/06 10:51 …
Não to entendendo que uniforme é esse. Ta muitissimo parecido com unifome alemão. Muito estranho. Não sei se é a foto, mas azul???
Me manda em alta (copyright by A. Decourt)
:-)))
luiz_d 19/10/06 10:55 …
É montagem!
andredecourt 19/10/06 10:57 …
Encaminhada Roberto !!!
catafotos 19/10/06 11:15 …
belo documento!
edubt 19/10/06 11:18 …
Vou ver agora!!
:-)))))
derani 19/10/06 11:27 …
Sensacional, magnífica essa foto. Um achado!
O uniforme brasileiro era muito parecido, senão igual ao da “wermatch” alemã.
Conta o excelente jornalista Joel Silveira, correspondente de guerra, que ao chegarem os primeiros contingentes da FEB na Italia, quando o General americano viu aquilo, logo se alarmou:
– “Não, não pode! Isso é uniforme alemão!”
E providenciou urgentemente uniformes americanos para todos os pracinhas…
Coisas do Brasil…
andre_sena 19/10/06 11:31 …
Já tirei muito serviço nessa guarita em 2000!
Muuuuitos momentos de frio cortante!
Não fui o primeiro, já que tem nosso amigo ali eternizado e nem fui o último!
Muitas visões noturnas, sombras! hahahahaha
edubt 19/10/06 11:32 …
recebida. To achando estranha a cor do uniforme e o capacete. Vou ver se consigo info sobre eles.
O que tá me deixando com duvida é que o uniforme era mesmo no estilo francês, e esse tá muito parecido com alemão.
:-))
andredecourt 19/10/06 11:59 …
O capacete não é igual ao alemão, mas o corte da farda realmente é muito parecida com os uniformes da wermatch
langaard@bol.com.br 19/10/06 12:12 …
Provavelmente coisa de Getúlio e de seu chefe de polícia alemão, aquele cujo peso levou ao chão, nas imediações de Paris, um jato da Varig, com desastrosos e funestas consequências !
littlerose 19/10/06 12:37 …
Nessa época o mar já tinha sido aterrado?
Meu pai trabalhou por muitos anos na CPRM que fica na av.pasteur e conta que grande parte dessas redondezas foi aterrada…
rockrj 19/10/06 14:44 …
Espetáculo!
O cara que tirou esta foto devia ser muito bom, também da National Geographic…
Iony 19/10/06 16:15 …
Morei neste Forte treze anos, até 2001.
Iony 19/10/06 16:16 …
Não estou vendo o portão da Fortaleza…
FlavioM 19/10/06 20:20 …
Clap, clap, clap, clap.
Foto colorida, nessa época, não era nada comum. Só “NatGeo”, mesmo. Boa sua observação sobre as árvores.
Espero curioso o resultado das pesquisas do Roberto. Também tinha achado estranho todo o uniforme: capacete, corte, cor e botas. O uniforme brasileiro ainda era muito parecido (senão igual) com aquele que vemos nas fotos dos dezoito do forte. Muito parecido com uniformes japoneses (inclusive aquela caneleira de pano), mas sempre mais amarrotados.
Dois dos problemas com o uniforme da FEB eram a qualidade e o frio. Parece que foram feitos às pressas e com falta de material (afinal, era guerra há já mais de 3 anos). As botas, por exemplo, se desmanchavam em três tempos. Mas isso aconteceu com as botas americanas, também, quando entraram na guerra. Tiveram que desenvolver novos modelos. Os famosos capacetes americanos também foram criados e adotados durante a guerra, com base em experiência de combate. Mas os capacetes americanos atuais mostram que o melhor design era o alemão (que vinha do fim da primeira guerra).
http://www.flaviorio.globolog.com.br
FlavioM 19/10/06 20:21 …
Cadê o Historiador Militar?
thiagostoco 20/10/06 13:10 …
belissíma foto!
mauricioduppre 28/06/07 17:05 …
Aquela Avenida não é mais a Av. portugal e sim a Avenida João Luis Alves