andredecourts foton från 2005-12-21

No flog do amigo Luiz Darcy, foi feita uma pequena série sobre o aterro da Praia da Saudade, criação do Yatch Club, e a existêcia por muitos desconhecida de uma aeroclube do próprio Yatch ali nos pés do Pão de Açúcar.

Outra surpresa, para muitos, foi a existência de uma mureta junto com um muro de contenção da Av. Pasteur, Luiz nos mostrou algumas fotos, mas sempre do litoral para dentro.
Para então ilustrar a série do amigo mostro uma imagem da Av. Pasteur em 1934, na minha opinião onde hoje há o prédio do fechado Cine Veneza.
Essas amuradas começavam no fim da Av. Beira Mar, onde foi construída posteriormente a continuação da rua da Passagem, indo praticamente até a Av. Portugal.
Foram construídas no período Passos e quando foram retiradas, substituídas pelos muros do clube é uma informação que não possuo, mas pelas fotos do Luiz, vemos o clube em funcionamento com as muradas ainda lá.
As fotos do Luiz podem ser vistas nesses links: http://fotolog.terra.com.br/luizd:210   http://fotolog.terra.com.br/luizd:205
Agradeço a Keila, no post de ontem, pelas informações, de sua monografia, da fundação do Flamengo, foi um belo complemento ao post

Comments (30)

Milu 2005-12-21 07:47 …
Esta foto deve ser em frente à Reitoria, com canteiro no centro da Pasteur.
Que vista linda o Iate escondeu!
O Cine Veneza agora é um Bingo.
http://fotolog.terra.com.br/cartepostale
andredecourt 2005-12-21 07:52 …
Milu, a Pasteur tinha canteiro central em toda a sua extenção nessa época
Rafael Netto 2005-12-21 07:53 …
Eu acho que é mais pra baixo não por causa do canteiro, mas porque ali em frente ao Veneza se não me engano a pista é curva e em subida.
Imagino que a avenida tivesse canteiro em toda a sua extensão.
Era essa a foto que eu estava esperando para reproduzir atualmente…
http://fotolog.terra.com.br/rafael_netto
luiz_d 2005-12-21 07:55 …
E quando o Rafael reproduzir a foto daremos de cara com o muro do Iate.
Mais de 80 mil metros quadrados de aterro…
Bela foto, André.
http://fotolog.terra.com.br/luizd
jban 2005-12-21 08:11 …
Abaixo o muro do Iate !!!
Pelo menos que coloquem uma grade. Vamos democratizar a vista.
Leflaneur 2005-12-21 08:21 …
Foi mesmo uma bela contribuição a da Keila. Parabéns a ela. Tinha uma amiga Keila, nos tempos de colégio, Flamenguista doente. Seria a mesma? Se for, será muita e muito boa coincidência.
Esse é um lugar do Rio que eu adoro, toda a orla do Flamengo até a Urca, mesmo com aterro e jardima da outra tartaruga que nos privou da vista do mar. É uma moldura para o Rio de Janeiro, sem dúvida.
Honorio Vargas 2005-12-21 08:48 …
Grande lembrança a do Cine Veneza.
Assisti lá, o filme A Primeira Noite de um Homem.
Tinha 18 anos e por coincidência, estudava na Nacional de Medicina, no final da Av. Pasteur.
Um Feliz Natal pra vc. e todos os seus leitores.
sinlow 2005-12-21 09:04 …
Vamos fazer uma campanha contra a empregada evangelica da Lefla??? risos ! Vamos arrecadar fundos e comprar varios presepios??? Assim quando a enpregada evangelica da Lefla quebrar alguma peca ela ja tem outra para repor ! Vamos encapetar a empregada evangelica???
Ninguem merece uma empregada evangelica fervorosa….
Sempre,
Marina
edubt 2005-12-21 09:12 …
Não recordo se tenho foto dessa amurada…
:-))
lefla 2005-12-21 09:28 …
Obrigado, Marina, mas tá difícil arranjar uma que não seja. Todas encontram Jesus. Uma me perguntou se eu já havia encontrado? Eu disse que ele não faria isso comigo. E ela: por quê? Eu: ele não me daria esse susto!!! Imagina estar andando na rua, em Copacabana, e encontrar Jesus!!! peraí…
luiz_d 2005-12-21 10:08 …
Além de serem evangélicas todas votam no Garotinho!
http://fotolog.terra.com.br/luizd
FCO PATRICIO 2005-12-21 12:02 …
Após lêr os diversos comentários de ontem neste esplêndido Fotolog fui,gradualmente, acometido por um indisfarçavel surto de “Bicho carpinteiro” em meu (já combalido) “derrier”(é assim que se escreve?) como solução para aliviar este mal gostaria de tecer alguns comentários pessoais …jogo rápido ao estilo do italiano Bertoni(mas sem o seu brilhantismo):
1- O andré tem razão – D. Pedro II foi um bom monarca. Pessoa discreta, culta, homem gentil incapaz de praticar conscientemente qualquer injustiça e, sobretudo honesto. Talvez lhe tenha faltado uma boa dose de energia nos momentos mais tensos de seu reinado mas esse é um defeito comum nas pessoas que têm uma educação esmerada e um grande respeito ao próximo. Aqui neste País respeito se consegue com truculência algo que o D Pedro II não faria.
2- O Leflaneur – está cobertissimo de razão. São vergonhosas essas indeminizações dadas aos ditos “perseguidos politicos” – não por acaso todos de Esquerda a começar com o Presidente Lula (4.000 rs$),Dirceu, Genoìno etc. até chegar no Cony (Dias Gomes e Mario Lago recebiam valôres próximos a 10.000 e nunca se soube que fossem impedidos de exercer suas profissões). Pode ser lei mas é absolutamente IMORAL , que estejamos pagando pelas conviccões politicas desses oportunistas. Aplausos para o Leflaneur …aplausos!
(CONT.)
Mauro_AZ 2005-12-21 12:26 …
Uma beleza o comentario da Keila ontem, mas me permitam fazer uma critica nao muito construtiva, mesmo apesar do assunto se referir a ontem. Nao me entendam mal: A Keila deve ter feito uma monografia admiravel que deve ter consumido muito esforco. Porem infelizmente o foco e’ todo a partir da otica da paixao rubronegra e por isso, por um lado, endossa algumas distorcoes exageradas que vieram a construir o que hoje e’ um mito, e por outro lado, assume despudoradamente algumas fraudes que tambem sao parte desse mito. Nao vou gastar esse espaco para elaborar sobre isso, mas tem um detalhe que nao pode passar em branco:
“A simpatia dos jogadores e o futebol conquistaram definitivamente o povão.”
Para quem nao leu a contribuicao da Keila, o contexto dessa frase e’ que o fato do time dos ex-tricolores treinar em publico originou a popularidade do Flamengo no futebol.
Porem esse e’ o exemplo perfeito do que hoje em dia se enfia goela abaixo da opiniao publica para perpetuar o mito de que o Flamengo e’ o clube do povo. Na verdade, o que no maximo pode ter havido foi a conquista de aderencias na praia do Russell e adjacencias. O fato real e’ que o Flamengo so’ foi conquistar o povao a partir de meados da decada de 30, ja’ no profissionalismo, quando pouca gente se lembrava que os ex-tricolores treinavam na praia do Russell.
fco patricio 2005-12-21 12:30 …
cont.
Flávio Mendes – você não é português nem aqui nem em Freixo-de-Espada-á-Cinta. Jamais (jamais repito)um legítimo Lusitano (radicado neste Brasil) concordaria em vêr o dinheiro arrecadado de seus tributos ( suadissìmo dinheiro)ir parar nos bolsos e nos cuecões desses vigaristas. Vou mais longe : conheço um português só pelo toc toc toc (esse barulho fui eu que fiz, agora, com os meus tamancos)- Cidadão Flávio Mendes, não fique ofendido, mas você é natural da PT-Lândia Do Nordeste e recebe uma polpuda aposentadoria como (presumido) “Perseguido Polìtico” …Pois!
HI …melhorei!
Abraço (só para os amigos)
ps- Fco. Patricio é natural da Freguesia do Beato em Lisboa.
flaviotpmendes 2005-12-21 12:52 …
Ok, eu já escrevi que o meu comentário inicial de ontem foi desmesuradamente e desnecessariamente grosseiro. Mas eu não falei tanta coisa assim como parece: eu nunca disse que concordo em ver o (nosso) dinheiro sendo desviado e roubado pelo governo!
E, caro Patrício, sinto desapontá-lo, és meu patrício! e eu não me ofendi, de modo algum, com o seu comentário. Sou cidadão português legítimo com o Assento de nascimento lavrado no Conservatório de Registros Centrais de Lisboa (você, como português, sabe o que isso significa).
E já disse que além de português sou petropolitano, e muito já foi o dinheiro dado pela minha família para a família real como laudêmio, isso também, pra mim, uma vergonha.
Como é vergonhoso ver que nossos governos anteriores nos privaram dessa vista maravilhosa da baía de guanabara pela av. pasteur, privatizando a área e entregando pra uns endinheirados criarem um Yatch Club!
Fco Patricio 2005-12-21 13:14 …
Hummm… embora ainda um pouco desconfiado, me parece que o amigo(?) Flávio não está a querer me “enfiar o barrete” quando fala que nasceu em Lisboa. Vamos lá fazer as pazes, até porque portugueses já há poucos por aqui! A propósito de portugueses – Ó pá …tem um gajo aqui neste Fotolog, um tal de Alvaro Gabriel, que se diz nossa terra mas eu ando lá com as minhas dúvidas – o tipo é muito inteligente. Será que você já não viu o bacano por aì na Majórica, no Parrô do Valentim ou na Casa de Portugal?
Abraço (extensivo ao Flávio)
Fco Patricio
Rafael Netto 2005-12-21 13:22 …
Não sei porque tanta revolta contra o ICRJ…
http://fotolog.terra.com.br/rafael_netto
AG 2005-12-21 13:58 …
Caramba, fiquei sem vir aqui ao Bar do Andre o “Andresense” e quando chegou hoje, é caco de vidro pelo chão, pedras mármores rachadas, farpas de madeira de cadeiras quebradas, enfim, restos de um xarivari dos diabos.
Mas bar é assim mesmo.
Pena que perdi o quebra pau.
Mas limpando o assento da cadeira molhada de chopp, quero dizer o seguinte:
Não gostar da monarquia não quer dizer cair nos braços da república; principalmente dessa república de, como disse muito bem, o Leflaneur ou o André, eivada de positivistas que, já na época, mais ultrapassados que lampião de óleo de baleia.
Mas eu não posso tecer loas a essa família imperial que aí esteve petética posando de “reis da banana da terra”. Com todo o respeito aos fãs mas essa família dos Orleans e Bragança eram da pá mais virada do que recreio de hospício. Explicam alguns que, essa coisa de casarem-se entre si, tira sempre algumas telhas da cachola dos decendentes. Basta ler com alegria (não precisa a seriedade de um Hélio Silva) a relação D. João VI/Pedro I/Carlota Joaquina ou a trinca D. Leopoldina/D. Amédia/ D. Domitila para termos a idéia de como esse país (pobre país) foi governado.
(segue)
AG 2005-12-21 13:58 …
Agora, no caso do D. Pedro II, ele não gostava de trabalhar; pronto, acabou-se, não se fala mais nisso. O que ele gostava de de ficar no palácio da Quinta da Boa Vista, conversando e tomando sucos de frutas tropicais. Viver nesse país, conviver com sua elite inculta, sem asseio, corrupta, era uma chatice para o gordo e barbudo monarca. Ele detestava o clero corrompido; não havia um padre que não tivesse duas ou três amantes cheias de filhos bastardos.
O que Pedrão queria era ficar longe dessa gente. Por isso ele lia jornais franceses, só falava franc~es em casa, e quando lhe caía nas mãos um desses cientistas europeus desterrados que eram manadados para cá de castigo, o imperador não largava do seu pé; queria ficar dia e noite batendo papo sobre astronomia, floricultura, matemática, poesia que diabo fosse.
Nas Farpas – Uma Campanha Alegre, um livro que reúne as crônicas do Eça e do Ramalho virando pernas para o ar a sociedade portuguesa do fim do século 19, analisa a figura do imperador vindo do Brasil, a caminho do exílio em Paris. A descrição de D. Pedro e uma misteriosa mala da qual ele não abria mão, é de passar mal de tanto rir.
Leflaneur 2005-12-21 15:05 …
AG tem razão. Mas a descrição do Imperador feita pelo Eça é, no final, elogiosa. O Imperador viajava com recursos próprios, de casaca preta, e do que o Eça mais ria era, hoje, o que dá mais orgulho: a simplicidade do monarca. Eu acho que Chefe de Estado não tem que trabalhar. Tem que ficar lá, arbitrando. Chefe de Governo tem que trabalhar. Vc veja a Alemanha, vc sabe quem é o Presidente da Alemanha? Vc sabe quem é o Presidente de Israel?
Outra coisa: não arrisco o percentual, mas… digamos… 80% das Repúblicas do mundo estão nas mãos de famílias ou pessoas que exercem o poder absoluto, muito pior do que uma monarquia constitucional.
Dito isso, retiro-me da discussão, vencido. Aliás, não sei porque insistem tanto em bater em cachorro morto, neste caso. A Monarquia caiu, a República está aí há 116 anos e, ao menos que seja por absoluta insegurança, me parece uma batalha esquisita essa travada contra algo tão ridículo, tão despropositado, e defendido por pessoa de tão pouca monta, que comete erros de português e que acredita, mais do que na veemência, na cordialidade. Bom resto de tarde para todos e não se preocupem. Não mudo meu ponto de vista, mas se um dia a monarquia voltar, não será a república proscrita (como foram os monarquistas até a Constituição de 88 – é, seu flavito, o Decreto que proclamou a República previa a convocação de um plebiscito para legitimar o golpe. Nunca foi feito!)
Leflaneur 2005-12-21 15:07 …
Ou melhor, foi feito mais de 100 anos depois.
Leflaneur 2005-12-21 15:18 …
E AG, eu só encerrei a discussão sobre Dom Pedro gostar ou não de trabalhar, por absoluto despropósito. Vc acha uma coisa, eu outra, então falemos de uma terceira, sem bancar flavito ou dar faniquito. Isso não leva a nada e não vai ser assim que se chegará a lugar nenhum, até porque, isso tem que ficar claro, não há – não existe – lugar a chegar. Quando a gente chega lá, vê que ainda tem que andar um pouco.
flaviotpmendes 2005-12-21 17:00 …
Bom, se me permitem, vou apelar ao espírito natalino e me retratar perante ao coletivo do flog e em especial ao Sr. Leflaneur pelas destemperadas palavras jogadas ao vento no teclado do computador ontem. Creia, Sr. leflaneur, eu também acredito na cordialidade (faniquito pode ser uma boa rima, mas é muito rareado e quando acontece…. dá nessa coisa desagradável).
Isto posto, estou voltando ao meu anonimato de espectador diário desse fotolog (e comentador mais que bissexto) onde eu aprendo muito sobre essa cidade (e também no luiz_D, rafael netto, tumminelli e outros).
Abraço para o meu Patrício, esperando vê-lo numa tarde dessas na Casa do Minho.
abusado_ 2005-12-21 17:49 …
flog novo add e ajude a divulgar
Acima de tudo nosso protesto
Keila 2005-12-21 23:13 …
André: primeiramente, de nada! Sei q o espírito do seu flog é o de informar, quem pode contribui, e sempre q eu puder vou fazer isso. 🙂
E é mt legal saber q a sua família participou da história do Flamengo. Como a minha família não é originária daqui do Rio, não tivemos esse privilégio.
Leflaneur, acho q provavelmente não devo ser a sua amiga de colégio. Pra vc poder se situar: tenho 29 anos e estudei no Colégio Pedro II do Centro.
Mauro_AZ (xará do meu namorado): a minha monografia realmente deu um baita trabalhão, pois as pessoas q poderiam me dar informações valiosas não quiseram me ajudar (tanto as q trabalhavam no Flamengo qt as da Petrobras). O q me salvou foi a Internet e a Biblioteca Nacional.
Sou flamenguista, mas a minha monografia não foi feita sob a ótica da paixão rubro-negra. Pelo contrário. Tudo o q escrevi foi a partir dos dados coletados nas minhas pesquisas, e eu não tinha fontes q me atestassem o oposto.
Keila 2005-12-21 23:16 …
A minha monografia não foi exatamente sobre o Flamengo, e sim sobre o patrocínio da Petrobras ao clube, q em 2003 completou 19 anos ininterruptos, sendo um tema interessante de ser estudado devido à duração incomum de um patrocínio no Brasil.
As pessoas ficavam doidinhas qd falava qual era o meu tema, achavam superinteressante e diferente. Na minha defesa os professores estavam maravilhados, e olha q um é vascaíno e o outro tricolor, e só não tirei 10 pq um deles é um cara mt enjoado e q sempre dá um jeito de achar defeito no trabalho dos outros pra nunca dar a nota máxima. Se tivesse dependido do outro, seria 10 com louvor! (rs)
Keila 2005-12-21 23:37 …
Sobre a questão da popularidade do Flamengo, vai aí mais um trecho da minha mono:
“Em 1927, dois acontecimentos comprovaram a força da popularidade do Flamengo. O clube foi suspenso por um ano pela Associação Metropolitana de Esportes Atléticos (AMEA), nome da entidade que dirigia o futebol nesse período, mas a pressão dos torcedores fez com que ela voltasse atrás em sua decisão. O rubro-negro foi o campeão do ano, com um time formado por veteranos contratados às pressas.
O Jornal do Brasil e a água mineral Salutaris promoveram um concurso para eleger o clube mais querido do Brasil. Os votos eram cupons impressos no jornal, que os torcedores deviam recortar e preencher. Os jornaleiros, portugueses e vascaínos em sua maioria, escondiam os exemplares do JB e os vendiam somente a outros vascaínos. Percebendo a manobra, os flamenguistas deram o troco. No dia marcado para a entrega dos votos na sede do JB, os rubro-negros disfarçaram-se de portugueses, recolheram os sacos cheios de cupons que os vascaínos levaram e os atiraram nos sanitários e no poço do elevador. Apesar das reclamações cruzmaltinas, foi confirmada a vitória do Flamengo, que levou a bela Taça Salutaris (aproximadamente um metro de altura e toda em prata) para a sua sede. Desde então, o clube é conhecido como ‘o mais querido do Brasil’.”
luiz_d 2005-12-22 02:00 …
Ih, Keyla, agora a discussão vai pegar fogo.
Este último episódio, totalmente verdadeiro, é claro, é contestado pelo Mauro_AZ e pelo AG com mais veemência do que o José Dirceu se diz inocente.
Mas há que se perdoar: a paixão vascaína fala mais alto…
Flavio, apareça para um chope lá no http://fotolog.terra.com.br/luizd
sami_rj 2005-12-22 07:55 …
Linda foto !!
:)))))
Rafael 2005-12-22 09:29 …
André,sei que isso que vou dizer aqui nada tem a ver com o assunto de hoje e dos ultimos dias,mas,remete(acredito eu)àquele assunto relativo a barra e a sua especulação imobiliária criminosa.Acabo de saber ao ver na TV que foi aprovado o PEU(plano de estruturação urbana -acho que errei a sigla,mas quer dizer com toda a certeza um plano diretor -)para a região de vargem grande no qual antes ainda de se rever o projeto e fazer correções será permitido construir espigões de 18 andares no entorno do Riocentro sem que haja necessidade de se pagar à prefeitura a taxa de construção que antes era obrigatória.Isso ta´me cheirando a uma nova expansão imobiliária que nem a que foi feita na Barra,sem qualquer preocupação real com a cidade sendo feita de qualquer forma,ou melhor de forma a privilegiar o lucro por parte dessas mesmas empresas que tomaram a Barra de assalto como aqui mesmo foi mostrado por ti.
Foi mal se cheguei do nada com um tema ja ultrapassado(cronologicamente,uma vez que esse tema ja ficou pra trás no fotolog),mas achei que deveria fazer esse registro.
Bem,fico por aqui,1 abraço.