andredecourt's Foto von 09.12.05
Foi então o túnel inaugurado, segundo os engenheiros em caráter provisório, faltava ainda tudo do planejado, mas o mais difícil seria sem dúvida o sistema de exaustão e ventilação, no projeto original se previa um sistema onde gigantescas torres escavadas na rocha partiriam da abóbada do túnel, até o topo do maciço onde os gases e o calor sairiam por convecção, viu-se que era insuficiente, decidiu-se então dotar essas torres no topo de grandes ventiladores o que resolveria o problema, mas sem dúvida o custo e a complexidade de fazer esses túneis verticais, combinados ainda com as experiências desastrosas sentidas pelo poder público no túnel Santa Bárbara, onde desabamentos rochosos atrasaram a obra e custaram muitas vidas, esse projeto foi então abandonado.

Começaram os estudos para tentar resolver o problema, os engenheiros do DER-GB foram postos à prova, e começaram a fazer simulações nos laboratórios da UEG e também nos laboratórios do próprio DER localizado no entroncamento da Dutra com a Av. Brasil.
Ventiladores começaram a ser testados a idéia era expulsar a poluição e renovar o ar dentro do túnel usando a própria galeria e não um forro falso como havia no Santa Bárbara, descobriu-se então para a surpresa de muitos, que para as características de clima do Brasil, quanto mais lentos em suas pás e maiores em poder de sucção funcionariam melhor do que ventiladores rápidos, pois provocariam um efeito pistão conjugados com o próprio deslocamento de ar provocado pela passagem dos carros.
Mas a indústria nacional não os produzia, e numa época pré internet, começaram-se as buscas, o então engenheiro Marcos Acorsi descobriu uma fábrica estrangeira que fabricava ventiladores semelhantes, mas que teriam que ser adaptados, foi feita a encomenda então desses ventiladores, 89 no total, que junto com um sistema de monitoramento de monóxido de carbono, que os poriam então em funcionamento de modo automático.
Como curiosidade aí vai o número de ventiladores em cada galeria, 50 na galeria Lagoa-Cosme Velho, 23 na galeria Cosme Velho-Lagoa e 8 em cada galeira Rio Comprido-Cosme Velho.

Comments (26)

jban 09.12.05 07:23 …
..onde os gases e o calor sairiam por gravidade…
André, por gravidade ?? A Gravidade puxa para baixo.. Melhor dizer sairiam por convecção.
andredecourt 09.12.05 07:27 …
Isso, isso, isso
luiz_d 09.12.05 07:35 …
E, acho que devido a este problema dos gases, além dos problemas de escoamento mesmo do tráfego, no começo só se utilizava uma das pistas (a outra era bloqueada com cavaletes).
Os carros passavam em fila indiana.
Também não havia iluminação dentro dos túneis.
http://fotolog.terra.com.br/luizd
Rafael Netto 09.12.05 07:37 …
Engraçado a galeria Lagoa-Cosme Velho ter mais do dobro dos ventiladores da outra galeria.
Será que esses números ainda se mantêm? Os equipamentos eu sei que foram substituídos.
Esse esquema de torres de ventilação, se não me engano era o adotado originalmente no Santa Bárbara e responsável pela falta de ar no túnel ao longo da maior parte de sua história. Só em 1992 que resolveram fazer o “escoamento pistão” nos moldes do Rebouças, que melhorou bastante a situação.
Acho que o não-funcionamento desse sistema vertical também deve ser culpa do clima, pois em lugares mais frios a diferença de temperatura entre o interior do túnel e o topo da montanha deve ser maior, ajudando o escoamento.
http://fotolog.terra.com.br/rafael_netto
ben_rio 09.12.05 07:51 …
muito brigado
essa flog meu ensinar muito sobre a cidade de meu sonhos….
cotinuar encanta
photomechanica 09.12.05 08:26 …
Estes são os motores do Zeppelin?
titocat 09.12.05 08:31 …
http://ubbibr.fotolog.com/rioencantosmil
oie…mt boa a explicação, aqui tem sempre uma boa aula sobre o nosso querido RJ..abraços..
photomechanica 09.12.05 08:33 …
Eu ainda não entendi o que é este tal efeito pistão…?
Até onde eu entendo, o problema do Santa Bárbara só foi melhorado quando colocaram aquela parede no meio do tunel, fazendo com que, de fato, houvessem dois fluxos distintos de poluição, um para um lado e outro para o outro lado.
Brilhante esta conclusão!!!
Como dizem por ai, uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa.
:-)))))))
photomechanica 09.12.05 08:36 …
O Rebouças nunca teve o mesmo problema do Santa Bárbara porque no seu caso sempre foram tuneis separados.
No Santa Barbara existia uma mão e contra mão no fluxo dos gases que era uma loucura.
jban 09.12.05 08:59 …
Zé,
Estes são os motores compactos usados no Zeppelin de 5 lugares de Doktor AG. O ZEP-002 tem dois desses, um de cada lado e o combustível é 4 partes de caninha 51 e 1 parte de Hemo-kola.
Rafael Netto 09.12.05 09:04 …
Explicando ao JRO:
Pelo que eu entendi a ventilação original do Santa Bárbara era igual à planejada para o Rebouças. O ar quente do túnel sairia pela chaminé, empurrado por ventiladores colocados nela. O fato de serem galerias separadas não ia fazer muita diferença. Aliás acho que até ia ajudar, mantendo a “câmara de gás” dentro do túnel e consequentemente a diferença de temperatura interna x externa.
Quando separaram as galerias a idéia foi justamente fazer o que foi feito no Rebouças: o fluxo dos carros (efeito pistão) levaria os gases pra fora, com uma ajudinha dos ventiladores ao longo da galeria.
http://fotolog.terra.com.br/rafael_netto
classic_glamour 09.12.05 09:07 …
Gente, adorei saber dessas coisas! Nem imaginava! 🙂
=***
edubt 09.12.05 09:57 …
To aqui pensando se pro fluxo de carros atual que é muitissimoi maior que o previsto de esses ventiladores de elefante são suficientes.
edubt 09.12.05 10:16 …
Olha o Lineu…
:-))))))))))))))))))))))))))))))
andredecourt 09.12.05 11:02 …
Tutu, acho que aumentaram o número de ventiladores em algumas galeiras nos anos 90, os dados que eu tenho são da época da compra dos mesmos
edubt 09.12.05 11:06 …
O Lineu podia contar os ventiladores pra gente então…
:-))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))
AG 09.12.05 14:14 …
Tem um filme com aquele canastra do Sylvester Stallone, que eu não sei o nome, que um pessoal fica preso dentro de um túnel em Nova Iorque (acho que é o Holland Tunnel) e o Stallone, com aquela cara de Maciste que comeu uma feijoada e fez sauna, vai tentar salvar os sobreviventes. Confesso que depois que vi aquele troço passei a andar pelo Rebouças com a senssação do “tatu do mundo louco”; enfim, me k-g-ando de medo.
Sempre me imaginei um dia, no meio da galeria Lagoa-Cosme Velho, parado porque um ônibus começou a pegar fogo logo adiante.
Outra experiência angustiante passei no TGV que passa pelo túnel da Mancha ligando França à Inglaterra. Enquanto o troço não saiu lá do outro lado fiquei imaginando quandos Spitfire, quantos 109, quantos Hurricane estavam em cima da minha cabeça afundados nas águas do canal. Até o Glenn Miller dizem está lá também. E olha que não tenho sídrome de pânico nem clautrofobia mas que dá o que pensar dá.
AG 09.12.05 14:16 …
rararararararararararararara
Sensação com dois “ss”
É o AG, por conta própria, introduzindo (epa!) uma nova revisão ortográfica na língua portuguesa.
jban 09.12.05 14:44 …
comentário sobre foto do Carioca da Gema
http://www.flickr.com/photos/carioca_da_gema/71670855/?#comment19819442
Cabe a mim aqui fazer o devido reparo na história oficial.
O edificio em questão foi, na verdade, construido com dinheiro espúrio que tinha como destino a implantação de uma República Bolchevique em terras tupiniquins. Felizmente, neste caso, essa dinheirama foi usurpada por um personagem maligno e meliante contumaz. Doktor AG, nosso conhecido e invisivel cientista louco alemão, queria transformar o edificio em sede de sua empresa AG A.G.(S.A. em alemão). A AG A.G. já era na época detentora de várias patentes desenvolvidas pelo holográfico e ensandecido cientista, desenvolvidas antes de seu mergulho na loucura, no desvario e nos carnudos seios de Karina, a fera do Volga. Pois bem, seus planos incluiam a fabricação de distribuição de Hemo-Kola em todo o território nacional e América do Sul e para isso utilizaria o poder e a velocidade do mais novo e revolucionário meio de transporte na época: O Zeppelin. Doktor AG era um entusiasta dos dirigíveis rígidos desde a época em que cruzou o Atlântico com seu amigo,companheiro de sauna em Berlim, barítono e Chef Bertoni.
jban 09.12.05 14:45 …
…continuação
O espectral personagem abominava transportes individuais terrestres e queria implantar um projeto de dominação baseado no Zeppelin e na Hemo-Kola, poderosa beberagem que tem o poder em transformar o mais calmo dos seres humanos em bestas selvagens. Para a construção desta frota flutuante contava com a dedicação e os préstimos das oficinas Tuminnelli, localizadas na aprazível localidade de Santa Cruz. Pois bem, após distribuir a Hemo-Kola e implantar o caos, ele apareceria como o único capaz de restabelecer a ordem na região (só ele tinha o antídoto), o único farol da razão em meio às trevas. De seu Lúgrube e Sombrio Castelo, nas colinas verdejantes de Santa Thereza, ele dominaria o continente e dalí o mundo…
jban 09.12.05 14:45 …
… continuação
O plano seria perfeito se não lhe tivesse escapado um detalhe. Bertoni, enciumado pelo amor e fidelidade de Karina ao Doktor, entregou todo o plano ao governo de Gétúlio que de uma penada desapropriou o edificio, em fase final de construção e o vendeu para o Jornal ” A Noite”. A fábrica de Hemo-kola voltou aos donos originais e teve sua fórmula alterada (foi quando introduziram o sangue de felinos). As oficinas Tuminnelli foram interditadas e a família desde então se limita a cnstruir pequenos modelos de máquinas de aviões. Apenas o Castelo AG foi poupado, por que ainda estava em nome dos antigos proprietários, a familia D´arcy, que levaram uma grana preta de nosso personagem para silenciarem até que as coisas esfriassem. até hoje existe um pequeno espaço para pouso de Zeppelins no terraço do edifício. Obviamente esta história nunca veio a público…
lucia 09.12.05 15:10 …
Depois de lwer tudo atentamente cheguei as seguintes conclusões:
1) Tuneis são flatulentos.
2)jban, está completamente enlouquecido, ou muito criativo! Continue assim, apenas deixando de lado os pobres felinos!!!! 😛
3)TuTU, deixa o Lineu! Caso sem solução!!
:))))))))
PS: Andre, sorry!!! 😛
edubt 09.12.05 15:31 …
Eu acho que o João ta cheirando muito gas dos dirigiveis, tá muitcho doido!
:-))))))))))
jban 09.12.05 16:02 …
Bem…A história aqui relatada e outras tantas que trouxe para este democrático espaço, chegaram a mim depois do falecimento de meu saudoso avô Giovanni. Vovô Giovanni, fundador da Novello & Associates, famosa e eficiente agência de investigações, mantinha um arquivo detalhado e fartamente documentado de todas as tramóias e maracutaias acontecidas na terra Brasilis desde o advento da República. Através de seus contatos da Itália (Cosa Nostra e Ndraghetta) e nos Estados Unidos (The Mob), mantinha-se informado das conexões Européias e Norte Americanas dos casos Nacionais.
Todos esse arquivo imenso, foi deixado para mim em herança, como filho e neto primogênito, e aproveito este espaço para trazer toda essa informação a baila.
Nada aqui foi iventado. Tudo baseiam em fatos e evidências.
AG 09.12.05 19:40 …
Eu não falei (e falo sempre)?
Pouco a pouco o João vai desfiando o fio do nevêlo (ai, perdão) e revelando quem é o verdadeiro Novello da história. Como eu já adiantei, trata-se de Ivor Novello, ator, cantor, autor, inglês, casca grossa, semi-analfabeto, opiômano, opiófago, opiparo, opistógrafo, opistotônico e opístomo. Além de ser, claro, inglês e viado.
Esse Novello esteve por aqui em missões diversas entre elas destruir o cinema nacional que já se mostrava mais chato que telejornal de TV Educativa. Para manter o cinema nacional nesse nível inferior Ivor Novello, como já revelei aqui em primeira mão, foi namorado do Mário Peixoto que fez o filme mais chato do cinema brasileiro chamado Limite; o que prova que a bestice da velha crítica (e nova também) do cinema brasileiro não tem Limite.
Mas, continuando;
essa história que a Novello & Novello (Associates é uma laranja) é uma empresa de detetives não passa de fachada. É como a Leão & Leão de Ribeirão Preto que o Palocci andou estorquindo mais que contribuinte brasileiro.
O que o João quer é, sem revelar a verdadeira fonte de suas revelações (que não é outra que não os arquivos implacáveis de Ivor Novello), nos ingupir a todos com essa história de avô italiano, máfia siciliana, linguiça calabresa, pizza napolitana e buchada sergipana.
O tempo é o senhor da verdade; disse aliás aquele filho-de-uma-boa-senhora Fernado Collor de Melo.
eduardo bertoni 10.12.05 01:37 …
JBAN É VIADO!!!
Não vejo outra maneira mais elegante de responder às desverdades que ele vem sistematicamente assacando contra a minha pessoa!
“quanto mais lentos em suas pás e maiores em poder de sucção funcionariam melhor do que ventiladores rápidos, pois provocariam um efeito pistão conjugados com o próprio deslocamento de ar provocado pela passagem dos carros”.
Que coisa, André! Isto não combina com os princípios de uma hélice que quanto mais rápida girar mais vai puxar o ar…