Av. Atlântica esquina com Siqueira Campos, anos 50

Na  foto nosso fotógrafo está na calçada junto aos prédios e fotografa rumo ao Posto IV. Vemos a antiga forma do restaurante La Rondinella um dos mais antigos da praia, podemos ver como a varanda era pequena em comparação com hoje, mas na época o Rondinella já era beneficiado pelo pequeno recuo do Ed.  Albatroz, que inclusive possuia em sua configuração original uma pequena calçada elevada em cerâmica.
Na pista vemos os tachões metálicos, engastados no pavimento que delimitavam a travessia de pedestes bem como o sinal de transito, apenas um conjunto de lentes para cada sentido, distribuídos após o cruzamento (dependendo do sentido de mão) para melhorar a visibilidade das luzes que não devia ser das melhores. Na calçada bem à direita, vemos a união de 3 desenhos, dois originais, o da Av. Atlântica daa antiga calçada sem recuo e o da Siqeira Campos que vem contornando o meio-fio, também respeitando a antiga estreita calçada, a parte totalmente branca é a área de recuo, obrigatória para o novo prédio construído há pouco, que inclusive tem galerias agachianas, pois a Siqueira Campos a época possuia um PA que previa todo o alargamento do lado esquerdo até a Rua Tonelero e do lado direito até a boca do Túnel Velho num projeto de duplicação das galerias de forma paralela e não sobrepostas como hoje. Nessa época a Rua Figueiredo de Magalhães ainda estava sendo aberta no seu trecho superior e terminaria na Praça Vereador Rocha Leão, possivelmente sem saída ou se unindo em um U com a Rua Santa Clara e Henrique Oswald.
Observamos também as luminárias em estilo canadense, mais altas que o normal, exclusivas da Av. Atlântica, inauguradas em 1936 e que possuiam originalmente um sistema interno de anteparos para evitar o ofuscamento dos prédios, abandonado nos anos seguintes, possivelmente por problemas de manutenção. Hoje esse conjunto que foi conhecido como o colar de pérolas está abandonado e o pior vários postes foram levados para a Rua do Lavradio de forma autoritária pela Adm. Conde, e totalmente  historicamente equivocada pois a Rua do Lavradio usava os modelos NY.
Os prédios sem o afastamento previsto por Agache comçavam a fazer sombra, como vemos, muito cedo logo após ao meio-dia inviabilizando grandes trechos da praia na parte da tarde.

5 comentários em “Av. Atlântica esquina com Siqueira Campos, anos 50”

  1. André,
    desculpe minha ignorância, além de não saber o que são os tachões metálicos, não conseguir visualiza-los!

  2. A foto é ótima. A foto em alta mostra claramente os tachões que demarcam a travessia de pedestres.
    A caminhonete parece ser da CTB – Companhia Telefônica Brasileira e pode estar saindo daquele posto da Telefônica da Siqueira Campos, ao lado de onde hoje é o Centro Comercial de Copacabana.
    É curioso ver este automóvel estacionado na contra-mão e bem na esquina.
    Não me lembro bem mas parece que não havia postes de iluminação na calçada da praia, diferentemente de Ipanema, como aparece na foto http://fotolog.terra.com.br/luizd:2272

  3. Parece que o Rondinella ocupava quase toda a pequena calçada. Com o alargamento, existem bares que praticamente não possuem área interna, tudo é “puxadinho”. Se não me engano o infame Alcazar é assim.
    Imagino que esse alargamento da Siqueira Campos só tenha sido efetivado em frente ao Shopping dos Antiquários e esquina com a Tonelero onde a rua é bem larga, além dos vários prédios bastante recuados ao longo de toda a via.

  4. Esta foto traz boas recordações. Meu tio tinha o apartamento do sexto andar (um por andar) do edificio (creio que EDificio Alcion) que aparace na esquina Siqueira Campos. Como moro em Curitiba, minhas idas ao Rio tinham sempre uma “vista” maravilhosa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

What is 15 + 14 ?
Please leave these two fields as-is:
IMPORTANTE! Para evitar a quantidade enorme de spams, você precisa responder a conta para provar que você é gente de verdade...