Ipanema, anos 50

Nessa imagem vemos a Av. Vieira Souto nos primeiros anos da década de 50. Podemos observar a ausência do calçadão  junto à areia, calçadão este que só começou a ser construído dos anos 60, partindo da amurada da região do Arpoador que datava do início do século.
Por não existir o calçadão a vegetação das dunas era de extrema importância para a manutenção não só da avenida desobstruída como tabém evitar a entrada das sobras de areia para dentro do bairro. Em 1950 o prefeito do DF Gal. Angelo de Morais receuperou as dunas que se encontravam sem vegetação provocando inúmeros transtornos aos moradores de Ipanema, possivelmente com essa recuperação foram instalados os conjuntos de quiosques de sapé, em oasis dotados de coqueiros, iluminação pública e brinquedos para crianças, projeto este do grande urbanista Azevedo Neto, um dos melhores de sua época no Brasil e funcionário da PDF.
Essa intervenção mais que oportuna gerou uma pequena placa, quase no Posto X, de quem vem de Copacabana, onde os moradores de Ipanema agradecem ao prefeito a  reconstituição das dunas, dunas estas que resitiram muito bem até o final dos anos 8o, onde eventos como shows, arenas de volley e até mesmo academias de ginástica patrocinadas por empresas se somaram ao total descuido do poder público e quase levaram a nova destruição das dunas. O próprio poder público atual, burramente no início do seu mantado, falou que elas não eram necessárias, se esquecendo como de hábito do passado de nossa cidade e de suas próprias intervenções realizadas há tempos. O resultado é que as dunas voltaram a ser recuperadas pois a areia em dias de ventania voltou a invadir a Av. Vieira Souto.
Mas nessa época Ipanema ainda contava com postos de salvamento do modelo que não era usado mais em Copacabana desde os anos 30, a popular cadeira e cesta em um alto poste metálico ou de madeira. Por isso, o mesmo prefeito em 1951, resolveu dotar não só a orla de Ipanema como também a do Leblon de postos de alvenaria do mesmo modelo dos existentes na Princesinha do Mar, sendo as estruturas art-déco construídas em plena época do modernismo.
É mais ou menos dessa época que nossa imagem foi produzida, mostrando em uma só foto o conjunto da obra do prefeito Ângelo de Morais nas orlas de Ipanema e Leblon, acredito ser este o Posto IX.
Agradecemos ao amigo Carlos Ponce de Leon de Paiva o envio desta imagem

14 comentários em “Ipanema, anos 50”

  1. Esse modelo, é o que me lembro, dos anos 50 ( nascí no Leblon em 51 ).
    Não sei se esse é o IX, mas o que ficava quase em frente a Rainha Guilhermina,
    na ocasião, era o XI.
    Hoje,tem o número 12, se não me engano.
    Saudações.

    1. Nasci em 56 no Leblon e me lembro muito deste posto de salvamento, entre as ruas General Artigas e Rainha Guilhermina, quase em frente a um posto de gasolina. Acho que se chamava Jair o guarda-vidas do posto nos anos 60 e 70.

      1. Além do Jair, tinha o Jacaré (que se tornou um quase artista da Globo) , e o Pedro.
        Eram exímios nadadores; entendiam tudo de mar.

        1. Futucando na net vi esse comentário e e com muita alegria que informo que o guarda vida jacaré encontra-se lúcido e disposto nos seus 85 anos incompletos
          Abraço

  2. Muitíssimo agradável… queria ter vivido em Ipanema nesta época.
    Superpopulação é mesmo um problema. Impensável ser assim nos dias de hoje. Já estaria tudo pisoteado.

  3. Este posto parece ser o que fica em frente à rua Anibal de Mendonça, próximo à placa de agradecimento dos moradores e que, pelo menos nos anos 60 e 70, ainda tinha dunas com vegetação.

  4. Não vivi,infelizmente,essa época,e penso que devia ser melhor frequentar a praia.Como foi dito acima em um comentário,a cidade hoje tem mais gente do que deveria,na minha opinião,e isso ocasiona todo tipo de degradação a todo tipo de ecossistema.Torço para que a recuperação das dunas seja bem sucedida.Não me lembro mais como que isso é feito,mas na Barra da Tijuca,as dunas são preservadas,graças a construção de alguns acessos à areia,fazendo com que as pessoas desçam por escadarias,fazendo com que a vegetação seja preservada.Espero que as dunas de Ipanema tenham o mesmo destino,sendo preservadas de agora em diante,seria muito bom pra praia e também pra cidade.
    Um abraço,André!!

  5. Interessante, os postos de Ipanema e Leblon foram uma “cópia tardia” do modelo de Copacabana! Foi mais ou menos o que aconteceu com o modelo atual em Copacabana, onde os postos 1 e 5 foram erguidos uns 15 anos depois dos demais com a mesma arquitetura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

What is 10 + 11 ?
Please leave these two fields as-is:
IMPORTANTE! Para evitar a quantidade enorme de spams, você precisa responder a conta para provar que você é gente de verdade...