Largo da Lapa – 1958


Vemos o Largo da Lapa no final do seu período clássico, que cessa com os anos 60 e o início das demolições e intervenções urbanas que desconfiguraram totalmente o local.
No centro da imagem vemos o grande lampadário, obra dos Irmãos Bernardelli e instalado por Passos para marcar a abertura do eixo da Av. Mem de Sá e a nova área aberta onde antes havia o Morro do Senado, vemos que nessa época o conjunto de luminárias inferiores já não mais existia, acredito que ele não passou dos anos 10 tendo sido removido com a troca do arco-voltáico para o tungstênio das luminárias.
No extremo direito vemos um nesga da estação de bondes da Lapa ( http://www.rioquepassou.com.br/2007/04/11/largo-da-lapa-anos-40/ ), com suas típicas publicidades em neon que faziam parte do folclore do local. Por de trás da torre da estação vemos a platibanda neo-colonial no Cine Colonial, que vivia seus últimos dias de funcionamento.
As árvores plantadas por Passos estavam grandes emoldurando as bordas do largo nas vias que sofreram intervenção do grande prefeito. Vemos que na lateral da Igreja da Lapa do Desterro não temos, como nas antigas imagens, a presença do velho hospício. O casario baixo na Rua da Lapa, sem os desarmoniosos prédios construídos nos anos 60 permitem a vista de Santa Teresa.
Riscando o chão vemos os trilhos dos bondes, que rumavam à Z. Sul e a Zona Norte que até hoje devem estar sepultados por debaixo do asfalto marcando o traçado das antigas pistas. O local hoje http://goo.gl/maps/n7u2H onde vemos que décadas de estragos serão muito difíceis de serem consertadas, não obstante restaurações de recuperações pontuais.

9 comentários em “Largo da Lapa – 1958”

  1. Nesta época passava sempre por aí nos finais de semana para ir para o Maracanã. O “velho” sempre dava uma passada antes numa Casa de Saúde da Mem de Sá para ver os pacientes.
    A foto é muito interessante, com a igreja de uma torre só.
    É o JBAN no carrinho de bebê ali atrás na calçada?

    1. Luiz,
      Ainda faltava um ano para eu estrear nesse mundo, mas periga JBN, MLMAN ou um de meus avós estar passando por aí na hora da foto.

  2. Aquela pequena construção entre as duas arvores o que era Andre?
    Parece-me um chafariz.Incrivel essa foto que segundo consta é de
    1958.O largo hoje esta bem desfigurado. Um dia de verão.

  3. Foto sensacional, inédita para mim.
    Há 50 anos, os motoristas dos elétricos estavam em greve e o Lacerda tentava cooptar motoristas da Sursan para repor as lacunas.

  4. Gostei muitíssimo das suas postagens sobre o Rio Antigo.
    Gostaria de ver aqui alguma imagem que mostrasse o Grande Hotel Mem de Sá, que existiu até início dos anos 70, na esquina de Mem de Sá com rua dos Inválidos. Morei nesse Hotel entre 1961-64.
    Parabéns, pelo excelente blog.
    Grato,
    Ruy Lopes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

What is 7 + 8 ?
Please leave these two fields as-is:
IMPORTANTE! Para evitar a quantidade enorme de spams, você precisa responder a conta para provar que você é gente de verdade...