Rua Mena Barreto 1917


O amigo Ricardo Galeno mandou algumas boas imagens de um livro editado pela prefeitura do Rio nos anos 70, que discorre calcado em imagens sobre várias administrações da cidade, essa é da Adm. do prefeito Amaro Cavalcanti, que apesar de sua predileção de investir nas zonas suburbana e rural no Sertão Carioca, fez algumas obras de monta na Z. Sul da cidade como a Av. Vieira Souto em seu traçado definitivo como conhecemos hoje, abandonando os planos da natimorta Av. Meridional.
A imagem mostra a Rua Mena Barreto em Botafogo, ainda pouco ocupada, mas com a mesma largura dos dias de hoje. A foto mostra alguns detalhes interessantes como a troca da iluminação a gás pela a elétrica ainda por arco voltáico e a implantação de moderna rede elétrica, bem diferente das imagens da virada do séc. XX, onde concluímos que os investimentos eram pesados nesse setor.
A Rua Mena Barreto foi aberta como uma continuação da Rua Visconde Silva e terminava da Rua 19 de Fevereiro, tendo um grave problema urbano, as águas do Rio Berquó que eram precariamente canalizadas por debaixo da via e ainda corriam praticamente em aberto numa região pantanosa onde foi traçada a Rua Prof. Álvaro Rodrigues onde o rio na sua foz formava em tempos passados a Laguna de D. Carlota, eliminada pelas reformas de Passos. Por anos as graves inundações desvalorizaram a via, com muitas vezes a água passando de metro e meio na caixa da rua. Somente houve o saneamento quando o plano da grande via auxiliar a Av. Humaitá-Glória ( http://www.rioquepassou.com.br/2007/08/06/pa-de-botafogo-1951/ ) foi executado já no EGB onde galerias pluviais gigantescas com mais de 2 metros de  diâmetro foram instaladas a partir da Rua Real Grandeza até a Praia de Botafogo resolvendo em parte os problemas de inundação da região.
A foto é curiosa pois mostra na frente a esquina com a Rua D. Mariana e Malta faz uma anotação meio apagada no pé direito da imagem ressaltando o terreno vago que vemos. No quarteirão seguinte as casa térreas cercam um dos distritos de água  mais antigos da cidade, além de mais da metade do quarteirão ocupado por colégios e instalações púbicas, uma área enorme como era característica da City. Mas o prédio do distrito é flertando como Déco e as casas térreas não parecem ser instalações da City, será que Malta se referia aos imóveis a frente como “terreno” e não a área vazia que vemos em primeiro plano ?????
Como acredito que a numeração da via ainda permaneça a mesma quase 100 anos depois dessa imagem coloco esse link de um ângulo muito parecido de como está o local hoje http://migre.me/53BzA

14 comentários em “Rua Mena Barreto 1917”

  1. A firma onde eu trabalhei pegou a obra de canalização do Rio Berquó. A firma chamava-se CINCO (Comércio, Indústria e Construções Ltda). A obra durou de 1963 a 1966, aproximadamente, e implicou na desapropriação dos imóveis e abertura da continuação da rua Mena Barreto, entre a 19 de Fevereiro e a Praia de Botafogo.
    A galeria de canalização do Rio Berquó começava na Visconde Silva e ia até a Praia de Botafogo, emendando num trecho já pronto que desaguava na praia, próximo ao prédio onde existe a piscina do Botafogo de Futebol e Regatas.
    No trecho inicial (Visconde Silva), a galeria media aproximadamente 1,20m de largura por dentro. De trechos em trechos as dimensões aumentavam, até atingir o máximo a partir da rua 19 de Fevereiro para baixo, com 5,50m de largura interna e 6,20m externa. A altura era de 1,80m interna e 2,10m externa. Numa propaganda feita na época, colocaram três veículos da CINCO dentro da galeria, lado a lado: uma Kombi, um fusquinha e um Aero-Willys, de modo a mostrar como a galeria era larga.
    Ao lado dessa galeria corria uma linha de tubos de concreto da Tuvibra, para esgoto sanitário. Começava com diâmetro 0,40m e terminava com 1,20m emendando numa rede que já existia ao longo da Praia de Botafogo (pista junto aos prédios) e que se dirigia à elevatória da Urca, desaguando na Praia Vermelha.
    Como subproduto, a rede de esgoto de várias transversais à Mena Barreto foi refeita, como por exemplo a da rua Paulino Fernandes.
    Foi uma obra muito grande e que qualificou a CINCO para ganhar uma concorrência para a rede principal de esgotos de Belém (PA), cuja rede na época datava da década de 1910, construída pelos ingleses.

    1. Hélio, meu pai participou desse projeto como arquiteto cedido pelo DER-GB à SURSAN e o autor do projeto das volumetria das galerias era um grande amigo dlea do DAE-GB

  2. Helio: A CINCO não foi convidada pra acabar com as enchentes
    na Prça de Bandeira, de acordo com a sua historia estava alta-
    mente qualificada pro serviço dessa magnetude.

  3. Essa foto já foi publicada em um fotolog, claro que em “baixa”.
    Pra mim não há dúvida nenhuma. O terreno vazio é onde está o prédio da esquina sobre pilotis, e talvez englobe também os vizinhos. As casas térreas do outro lado da esquina foram substituídas pelo edifício que hoje abriga uma clínica de nefrologia. Aliás essas casas são muito parecidas com as que hoje ainda existem na esquina seguinte com a Sorocaba. O distrito da City ficaria em seguida, ao fundo da foto de Malta, e teria sido substituido uns 10 ou 20 anos depois da foto pela construção que está lá hoje.
    Quanto ao link do Street View eu acho que o Malta estava uns cem metros à frente, mais ou menos aqui: http://goo.gl/uP79B

    1. Discordo de vc quanto ao local, olhe os dois números que estão no muro na direita e no caco de muro que existe até hoje no prédio da Claro

      1. Decourt tem toda razão! A última “coluninha” da foto ainda sobrevive no limite do terreno do prédio da Claro, que apesar de ter o número 42, deve ter englobado o antigo 44, que na foto dá a impressão de ser uma pequena vila ou casa de fundos. A casa vizinha atualmente é o número 46.

    2. Prezado Rafael,
      A foto retrata a esquina da Rua Mena Barreto com Sorocaba. O prédio da esquina está lá até hoje e abriga o Alpha Bar. O terreno vazio hoje é um pequeno prédio de três andares com comércio no térreo. O ângulo do fotógrafo é de costas para o número 75 da Mena Barreto.

  4. Foto fantástica. Se por um acaso, este terreno tivesse sobrevivido até os nossos dias, valeria uma pequena fortuna, pois as construtoras voltaram a se lembrar de Botafogo nos projetos imobiliários.
    Para nossa sorte, o Malta identificava bem os locais das suas fotos, até por força da natureza delas.

  5. Eu nasci e vivi 39 anos de minha vida nesta rua. De 1950 a 1969. Nasci no 174 (entre São João Batista e Rela Grandeza) e mudei para o 38 dessa mesma rua em 1961. Quase sai na foto a casa em que eu morava. Era uma casa de dois andares em estilo alemão, com o seu telhado em forma de triângulo.
    Nessa foto vejo a Rua Dona Mariana. Esse prédio a direita quando eu era garoto era o Botequim do Seu Manoel. Ao lado, na Mena, era uma vila e ao lado da vila uma casa baixa e depois dessa o Distrito de Águas. Tomei muitos banhos no distrito depois das “peladas” na rua para não chegar sujo em casa. Estudei o primário no Joaquim Nabuco, na Dona Mariana. Em frente ao prédio do botequim tem até hoje uma padaria.

  6. Morei muitos anos na Rua Hans Staden 34,antes Travessa do Leandro. Estudava no Colegio Santo Amaro ,antes com Frente para a Gal Polidoro e depois para a 19 de Fevereiro.Por inumeras vezes transitei pela Mena Barreto até o colegio. Outras vezes pegava o bonde 6 que seguia pela Real gradesa ,depois pela Gal. Polidoro até proximo ao colegio.Pelo caminho quando à pé, outras meninas iam se juntando ao grupo e chegávamas ao colegio no maior bate papo. otimas lembranças!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

What is 7 + 12 ?
Please leave these two fields as-is:
IMPORTANTE! Para evitar a quantidade enorme de spams, você precisa responder a conta para provar que você é gente de verdade...