Vista aérea do Humaitá, anos 50

Continuamos na mesma região da foto anterior, agora somente focando no bairro do Humaitá, com nosso fotógrafo em outro local, possivelmente em alguma encosta ou da Rua Icatu  ou da Sarapuí.
Notamos um contraste entre a verticalização do bairro e áreas totalmente vazias, como é o caso das Ruas Mário de Andrade e Mário Pederneiras onde a ausência de dois grandes condomínios, um horizontal aparentemente construído ainda nos anos 50 e outro vertical construído nos anos 60 geram grandes terrenos vagos.
A foto também nos mostra no canto esquerdo um pequeno pedaço da garagem de bondes da Light, hoje ocupada pela Cobal. Vemos, na direita inferiorda imagem  que o prédio do Instituto Estadual de Cardiologia Aloysio de Castro se mostrava novinho em folha e ao seu lado o alto prédio, que penetra dentro da mata, em um estilo próximo ao déco, respeitando possivelmente um PA ainda do Plano Agache, que determinada grandes prédios somente junto as encostas para não atrapalhar a insolação e ventilação dos bairros.
A região das ruas Visconde de Caravelas, Visconde Silva, Gal. Dionísio e Desembargador Burle era totalmente horizontal só com construções baixas. Junto a Rua Macedo Sobrinho temos logicamente a favela e as primeiras lages do alto prédio que se situa no entroncamento com o prolongamento da Rua Visconde Silva, ainda não traçado. Possivelmente o prédio ficou nas estruturas por toda a década de 50, só sendo concluído, juntamente com construções vizinhas mais baixas pela Construtora EME, que participou do último estágio do boon imobiliário em Copacabana nos anos 60, dando a todos os seus prédios o nome de Chateus na frança.
Por fim vemos nesse ângulo que a favela tinha duas áreas, uma que partia do topo da Rua Macedo Sobrinho até o paredão rochoso do Morro da Saudade, e outra que partia diretamente das ruínas do Forte da Piaçaba na Rua Humaitá, indo terminar também no paredão rochoso.

13 comentários em “Vista aérea do Humaitá, anos 50”

  1. Duvido que o fotógrafo estivesse numa encosta. Acho que a foto foi tirada mesmo de uma aeronave.
    Interessante essa história da construtora EME. Os prédios do Humaitá chamam-se Chateau de Versailles (na esquina) e Chateau de Biarritz. Deve ser uma história parecida com os prédios chamados “Pena”, sempre com o nome de uma pedra preciosa (Turquesa na Rua das Palmeiras, Ágata na Marquês de Olinda, Safira na Santa Clara, Brilhante na Tonelero).

    1. A Rua Cinco de Julho, do lado esquerdo da mão de direção é um festival de “chateus” da Constante Ramos até a Raimundo Correia, eu próprio moro num dos prédios construídos pela EME em outro ponto

  2. Interessante é que as ruas General Dionísio e Desembargador Burle são de abertura mais recente, vindo os atuais imóveis a ser loteados após a utilização da área como primeiro campo oficial do Botafogo Futebol Clube, até 1913.
    As arquibancadas em forma de palanque provavelmente situavam-se na metade da rua Desembargador Burle, conforme se pode verificar das diversas fotos disponíveis na internet do antigo Estádio da Rua Voluntários da Pátria, donde se tinha acesso ao mesmo.

  3. Essa foto provavelmente foi tirada no mirante D.Marta. Tenho uma recente feita de lá na direção da Pinheiro Guimaraes onde tem um prédio novo construindo onde fizeram uma clareira enooorme na mata. Mas não pega o trecho perto da Macedo Sobrinho.

  4. Boa noite, Andre.
    Sou assistente de pesquisa do Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil. Gostaria de obter seu email para tirar algumas dúvidas referentes a imagens publicadas no seu portal.
    Parabéns pelo site.
    Abraços,
    Fernanda

  5. No canto inferior esquerdo, as palmeiras do Largo dos Leões, terminando junto ao Edifício Glória Lagoa. Seguindo para a direita vemos as casas da rua Mário de Andrade, depois do imenso vazio que servia de campinho de futebol. Ao lado do prédio novo, no canto inferior direito (Instituto de Cardiologia) tem-se o Edifício São Clemente, no final da rua David Campista. A rua Icatú não chega até esta altura. Provavelmente a foto foi do Mirante.

  6. … legal ver coisas antigas do tipo. E QUANDO deram certo!
    Aki em Porto Alegre há também um bairro HUMAITÁ, só que bem distinto da cidade maliciosa: bem menos movimentado e com altos índices de perigo.
    Minha parte favorita da cidade é essa de VEGETAÇÃO. Longe do caos da maioria havente.
    E ainda há o que se salve na cidade. Em todas há.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

What is 7 + 6 ?
Please leave these two fields as-is:
IMPORTANTE! Para evitar a quantidade enorme de spams, você precisa responder a conta para provar que você é gente de verdade...