Pegadinha de feriado – Resposta

Para os que ficam lanço a seguinte pegadinha:

Aonde ficava essa enorme feira nos anos 50 ???
A imagem que vemos é uma pequena panorâmica da Feira do Largo do Machado, no trecho da Rua Gago Coutinho, estamos quase na esquina com a Rua Marquesa de Santos e o fotógrafo virta suas lentes em direção ao largo, onde vemos as árvores o o prédio mais alto, no caso o bem antigo na esquina com a Bento Lisboa.
As outras imagens que coloco para ilustrar a resposta da pegadinha e dar continuidade ao post mostram a real extenção da feira, que ultrapassava os limites da primeira imagem.

Essa foto mostra a Rua Marquesa de Santos, o prédio em estilo déco fica na esquina com a Gago Coutinho e está lá até hoje, já a  Marquesa de Santos não possui a mesma ocupação nos dias de hoje, com a desativação da pedreira que havia no fundo, a partir dos anos 70 a rua sofreu uma grande modificação, com muitos prédios de apartamentos sendo construídos, mas ainda podemos ver algumas vilas certamente para funcionários da pedreira ainda de pé.

A segunda imagem mostra a feira no outro trecho da Gago Coutinho, quase na esquina com a Rua das Laranjeiras, vemos o Ed. Laranjeiras, também em estilo déco, nos mostrando o lugar, é interessante observar a grande quantidade de gêneros oferecidos na feira livre naquela época, ainda longe dos supermercados e das lojas de utilidades e miudezas para o lar.

Já a nossa última foto mostra  bancas de galinhas na Rua Marquesa de Santos, o hábito de se comprar galinhas vivas ultrapassava a feira livre, havendo diversas lojas formais nos bairros que ofereciam galinhas e derivados, conhecidas também pelo nalzeabundo cheio que emanavam para as calçadas. A vila que vemos hoje não existe mais, demolida no início dos anos 80, possuindo casas térreas e profundas, com pouca testada, ela pode ser vista em seus últimos dias no filme O Beijo no Asfalto, já a vila que existe do outro lado da rua, com casas mais nobres, está de pé até os dias de hoje. Reparem na pequena amurada de cantaria que defendia a entrada da vila de veículos, certamente sendo bem mais antiga que os automóveis.

19 comentários em “Pegadinha de feriado – Resposta”

  1. Bem, ainda faltam 3 dias para o feriado…
    A foto tem algumas dicas para apontar o local. A rua é relativamente estreita, não tinha bondes nem árvores, e não poderia ser uma via principal para ser fechada desse jeito. E ao fundo, há um prédio grande (de uns 8 pavimentos) que parece estar em uma esquina. Não parece haver um morro ao fundo.
    Dito isto, apesar das aparências estou duvidando que seja Botafogo. Até existem algumas ruas que se encaixariam na descrição (Sorocaba, Bambina, Arnaldo Quintela, talvez Mena Barreto e Passagem) mas nenhuma delas tem um prédio como esse.
    Como com certeza não é nenhum outro bairro da Zona Sul (talvez Catete) estou achando que seria no “início” da Zona Norte, entre Tijuca, Vila Isabel ou Praça da Bandeira.
    Poderia ser talvez alguma região arrasada, como Cidade Nova, Catumbi ou aquela parte da Glória onde está o Ciep 001. Neste caso o prédio grande também teria vindo abaixo.

  2. As árvores ao fundo e o prédio alto à esquerda, denunciam o Largo do Machado. Logo, a rua deverá ser a Gago Coutinho, foto tirada próximo a esquina da rua Marquesa de Santos.

  3. Parece que o Afranio e o Nickolas mataram. A princípio eu havia descartado a Gago Coutinho pois ela é arborizada, agora pelo Street View vejo que as árvores da rua são esguias, não são oitis da época de Passos. O prédio ao fundo realmente se parece com o que fica na esquina da Bento Lisboa, na foto vê-se uma longa grade que deve ser do colégio Edem e ao lado dela, um sobrado que, descaracterizado, permanece lá como Hotel Serrano.
    Se esta foto aparecesse no Troféu Sherlock do Luiz, é capaz que o Decourt adivinhasse o lugar só por causa da luminária…

  4. Estudei no Educ Rui Barbosa nos anos 70, numa construção antiga logo atras da igreja e já não havia mais feira-livre na minha época, mas as Palmeiras que vemos no topo da foto a direita são as mesmas que haviam na lateral da igreja, onde antigamente existia uma quadra onde jogavamos futebol de salão, se não for a Gago Coutinho, não posso imaginar um lugar tão igual!!!!!!!

  5. Estive na Gago Coutinho (livraria do IPP) na quinta, mas nem reparei no casario para ver se tem algo a ver. Aproveitei também a feira do livro no Largo do Machado e comprei 2 livros interessantes, um deles, da LIFE da década de 60, sobre o Brasil (em inglês).

  6. “Nauseabundo” Andre, aquilo que causa náusea….
    Impressionante o tamanho da feira. Ainda existe?
    Hoje em dia as feiras vendem quase exclusivamente hortifruti e pescados frescos, produtos que, nos supermercados, não costumam ter a mesma qualidade.

  7. O primeiro prédio a esquerda é o de número 26 da Gago Coutinho que foi construído antes da guerra e teve sua garagem durante a construção sido utilizada como “bunker”. Após a guerra houve o término da construção. Por isso se a foto é de 1950 o primeiro prédio é o que indiquei.

  8. Gostaria de ver a foto do colegio que eu estudei na decada de 50. Istituto Mario de Andrade Ramos, situado na rua Gago Coutinho. Era um colegio dirigido por Irmãs (Filhas de santana). Ficarei eternamente grata , se vc me conseguir a foto. Desde já meu agradecimento, um grande abraço!!!

Deixe uma resposta para Rafael Netto Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

What is 12 + 15 ?
Please leave these two fields as-is:
IMPORTANTE! Para evitar a quantidade enorme de spams, você precisa responder a conta para provar que você é gente de verdade...