Nessa impressionante foto da Life, datada aproximadamente do meio dos anos 30 vemos a região fronteira ao santuário da Igreja da Penha e fundos do bairro de Olária no subúrbio da Leopoldina.
Da região vazia e quase rural, cortada por uma rua gerada espontaneamente e que abrigava ralo casario, temos hoje uma das regiões onde o Estado Brasileiro vai tendo sua presença cada vez mais tênue, a região envolvida pelo Complexo do Alemão, arcabouço e quartel general da bandidagem, criada a muito toddy por décadas de populismo e promiscuidade política.
A via que vemos serpenteado por de trás da igreja, possivelmente a Estrada da Penha, em uma pequena elevação abriga hoje a favela do Cariri de uma lado e a Vila Cruzeiro do outro, fagocitando praticamente todo o tecido formal deste pedaço.
O morro ao fundo, coberto de vegetação é o do Alemão,  totalmente invadido a passos galopantes a partir dos anos 80, embora já estivesse ligeiramente favelizado desde os anos 50. Temos aí , só desse lado as Favelas do Alemão e Pedra do Sapo.
A via que vemos cortando o vale abaixo possivelmente é a Rua Ministro Moreira de Abreu, uma via de antigas características de rua de subúrbio que vem sendo sufocada pela decadência e dominação de toda a área circuvizinha, cujo o perímetro aumenta cada vez mais, fazendo a alegria de todos que se beneficiam do vácuo do poder estatal, políticos populistas e assistencialistas, traficantes, “igrejas”, movimentos ditos populares etc…
Agradecemos ao amigo Carlos Ponce de Leon Paiva o envio desta foto