Igreja da Penha e Olaria, anos 30

 

Nessa impressionante foto da Life, datada aproximadamente do meio dos anos 30 vemos a região fronteira ao santuário da Igreja da Penha e fundos do bairro de Olária no subúrbio da Leopoldina.
Da região vazia e quase rural, cortada por uma rua gerada espontaneamente e que abrigava ralo casario, temos hoje uma das regiões onde o Estado Brasileiro vai tendo sua presença cada vez mais tênue, a região envolvida pelo Complexo do Alemão, arcabouço e quartel general da bandidagem, criada a muito toddy por décadas de populismo e promiscuidade política.
A via que vemos serpenteado por de trás da igreja, possivelmente a Estrada da Penha, em uma pequena elevação abriga hoje a favela do Cariri de uma lado e a Vila Cruzeiro do outro, fagocitando praticamente todo o tecido formal deste pedaço.
O morro ao fundo, coberto de vegetação é o do Alemão,  totalmente invadido a passos galopantes a partir dos anos 80, embora já estivesse ligeiramente favelizado desde os anos 50. Temos aí , só desse lado as Favelas do Alemão e Pedra do Sapo.
A via que vemos cortando o vale abaixo possivelmente é a Rua Ministro Moreira de Abreu, uma via de antigas características de rua de subúrbio que vem sendo sufocada pela decadência e dominação de toda a área circuvizinha, cujo o perímetro aumenta cada vez mais, fazendo a alegria de todos que se beneficiam do vácuo do poder estatal, políticos populistas e assistencialistas, traficantes, “igrejas”, movimentos ditos populares etc…
Agradecemos ao amigo Carlos Ponce de Leon Paiva o envio desta foto

12 comentários em “Igreja da Penha e Olaria, anos 30”

  1. Foi impressionante o avanço da favelização a partir da década de 80 nessa área, como você bem descreveu.
    Assisti de perto como uma região aí perto, a da Estrada do Itararé, acabou por conta do Complexo do Alemão e favelas adjacentes, tudo sob a inoperância das autoridades. Indústrias grandes tiveram que se mudar e o Estado nada fez.
    Uma desgraça.

  2. O Estado nada fez nem fará. Afinal, o Estado difere dos bandidos apenas em uma característica: é a única facção criminosa que não combate as demais. Pelo contrário, busca o apoio de todas. Portanto, está anos à frente do PCC, CV, TCP, ADA e outros grupos.
    Não é a toa que as leis do país cada vez mais suavizam as penas para os crimes e possibilitam cada vez mais cedo que os bandidos condenados possam voltar ao seio da sociedade, onde mamarão por mais anos. Trata-se de um exemplo claro de irmandade do crime.

      1. linda imagem.. amo rio de janeiro.a igreja da penha indica que a esperança de paz e dias melhores nessa cidade linda… essa foto antiga da mais vontade de ir a fundo na historia da minha cidade .. nunca fui na igreja.quando mais,meu sonho era casar nessa igreja.. rsrs alguns dizem que não é mais realizado matrimonios e batizados na matriz.mais quem eu nao batizo meu(a) filho(a) la… amoooor penha.chego a me arrepiar quando vejo ela de longe.varias vezes me emocionei ao vê-la.É PAIXÃO DEMAIS PELA ESSA CIDADE

  3. Hoje em dia, o Alemão domina a vista para um dos lados. A ocupação já é bem próxima à da escadaria propriamente dita.
    O populismo já tem via aérea, com teleféricos que desembocarão na Praça das Nações.

  4. gente.. essa imagem impressiona qualquer um… ver detalhe por detalhe é sensacional.a cada imagem dessa deixa um gostinho de quero mais.MAIS DE VER DE PERTO.é emocionante,MAGNIFICO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! LINDO,LINDO,LINDO

  5. 1/3 da Serra da Misericórdia ainda está verde ou voltou a ficar verde – a parte que fica ao fundo do bairro de Olaria. Na última década essa área se tornou APARU (Área de Proteção Ambiental e Recuperação Urbana) e Parque (se chama: Parque Municipal Urbano da Serra da Misericórdia)! Existe ainda um projeto em andamento para instalação do BIKE PARK que está adiantado e poderá ser utilizado em épocas de competições! Claro que muitos anos de descaso público não irão ser apagados da história destas localidades e de seus bairros vizinhos (Penha, Olaria, Bonsucesso, Ramos etc) tão cedo. Claro que tudo depende da vontade política e também de seus moradores.
    Fontes:
    http://www.upprj.com/index.php/acontece/acontece-selecionado/atletas-aprovam-pistas-de-bike-park-no-complexo-do-alemaeo/Alem%C3%A3o
    http://www.ademi.org.br/article.php3?id_article=40159
    http://oglobo.globo.com/blogs/debike/posts/2014/02/03/alemao-vai-receber-maior-parque-de-ciclismo-da-america-latina-522975.asp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

What is 4 + 2 ?
Please leave these two fields as-is:
IMPORTANTE! Para evitar a quantidade enorme de spams, você precisa responder a conta para provar que você é gente de verdade...