Em complementação ao post de segunda feira, onde alguns dos comentarias perguntaram que ponte pêncil era a que fechava a imagem da Expo de 1922, apresento essa imagem do acervo de Gilberto de Souza Amorim e Gabriel Amorim encaminhada já algum tempo pelo amigo Raphael Vinagre, que forneceu ao Rio que Passou, ainda no tempo do fotolog grandes imagens.
A imagem de hoje mostra as duas pontes convivendo, possivelmente no início da década de 30, dando muito destaque a estrtura da ponte Alm. Alexandrino de Aguiar.
Segundo a informação do Luiz D´a ponte possuia um “transportador” que conduzia cargas ou até 400 pessoas em pé, ao vermos a ponte assim tão de perto ficamos imaginanto que tal trasportador era um pequeno trem, que corria por dentro das dependências do Arsenal de Guerra, vemos que a ponte foi construída de forma que navios passassem por debaixo dela sem a necessidade de a mesma ser levadiça.
Mas fica aqui a pergunta, porque a sua sucessora, a Hercílio Luz, ficou rente a água, e porque o sistema férreo tão mais eficiente, ainda mais no final dos anos 20 foi abandonado