Casa Bonifácio, artigos do "norte"

casa-bonifacio

Essa foto da Life, de 1973, é extremamente feliz em mostrar a casa Bonifácio perfeitamente íntegra com a decoração muito próxima ao início do séc XX.

Material sobre este comércio é muito difícil, mas o estabelecimento  era o mais famoso no início do séc XX final do sec XIX. Os produtos do “norte”,  na realidade região Nordeste do brasil, sempre foram muito apreciados nessa capital desde o período colonial, tendo inúmeros comerciantes ganhado fama comerciando rapadura, melaço, cachaça, castanhas, licores, doces, grãos, raízes produtos medicinais etc… Muitos ganharam fama e fortuna e seus establecimentos eram muito procurados, alguns inclusive ganhando selo imperial.
A Casa Bonifácio era uma delas, e talvez uma das maiores do gênero da cidade.
Nossa foto mostra o vendedor, um rapazola, em posição que talvez seu avô, que atendia com o nome de caixeiro, fazia décadas antes esperando a freguesia. A loja é um exemplo de armazém dos anos 10. Prateleiras de madeira escura, marquise metálica na fachada do sobrado, luminárias pendentes com globos opalinos, vitrines nas colunas nas portas para expor bebidas e garrafadas. E  junto à porta um balcão de gêneros mais baratos ou vendidos a granel.
Infelizmente, a exata localização não é possível pela foto. Embora há algum tempo atrás li um texto que contava sobre a história deste tipo de comércio, e se minha memória não me trai a Casa Bonifácio ficava na Av. Mal Floriano. Mas o tipo de urbanismo e o tipo de comércio ainda nos dão as seguintes especulações: Rua da Carioca, Uruguaiana após a Pres. Vargas, Praça Tiradentes e Praça da República.
Aos que se lembram da correta localização peço para mencionarem no post.

15 comentários em “Casa Bonifácio, artigos do "norte"”

  1. Copiei do Fotolog do Derani , q encontrei pelo Google :
    “A Casa Bonifácio ficava no Largo de São Francisco, entre Ouvidor e Sete de Setembro, no mesmo lado que a Casa Cruz, Casa Mattos, etc… “

  2. Exatamente, a Casa Bonifácio ficava no Largo de São Francisco, e até o final da década de 80
    continuava com a mesma exposição das mercadorias.

  3. Do livro “Interiores”, de Patrícia Vasconcellos
    Entre os antigos armazéns tradicionais do Centro da cidade, encontrava-se a Casa Bonifácio, especializada em produtos do nordeste brasileiro, expostos em estantes, vitrines e balcões de madeira encerada.
    O armazém de secos e molhados foi fundado em 1928 como Casa Cordeiro, no número 26 do Largo de São Francisco, endereço que ocupou até o prédio ser totalmente destruído por um incêndio,a loja mudou-se então para o número 06, onde funcionava na época o armazém da família Paladino.
    O nome Casa Bonifácio foi adotado no início da décadade 1940, entre outras razões para fazer referência à estátua de Jose Bonifácio colocada no Largo em frente

  4. Recentemente estive em frente a este estabelecimento e tomei um susto. A casa estava com as portas semi fechadas e era em um horário comercial. A casa fica na Rua da Carioca.
    Até bem pouco tempo atrás, como bom nordestino, ainda passava por lá para comprar castanhas, rapadura, etc. Puro saudosismo pois a qualidade dos produtos já não eram as mesma.

  5. Essa foto já não foi postada? Ou será que eu só vi no acervo da Life?
    Não sei exatamente a quantas anda o Bar Flora. Da última vez que passei por lá tinham fechado a parte da loja virada para a Ramalho Ortigão, mas continuava funcionando a outra metade.
    Dessas antigas “delicatessen”, acho que ainda resta apenas o Paladino, que tem grande parte da decoração original mas misturada com “modernizações” em estilo boteco dos anos 60-70.
    Uma coisa interessante dessas fotos do início dos anos 70 é que elas mostram o “Rio Antigo” após sofrer seu envelhecimento natural. As casas eram as mesmas do início do século sem sofrer restaurações, e muitas ainda abrigavam os mesmos estabelecimentos. Tinham um aspecto “sujo” e “sombrio”. Nas décadas de 80 e 90 com a iniciativa do corredor cultural, muitas mudaram de atividade e sofreram reformas para recuperar a aparência (supostamente) original.

  6. Exatamente. A Casa Bonifácio ficava no Largo de S. Francisco.
    Frequentei muito lá para comprar produtos do norte para minha sogra que é paranese e quando queria fazer um bom vatapá me pedia para passar lá e comprar os ingredientes.
    Havia uma outra casa do tipo, no Largo do Machado, que era de um amigo meu.
    Já não mais existe.

  7. Mudando de assunto: a revolta das barcas completa 50 anos nesta sexta e o site do Globo tem uma fotogaleria sobre o assunto. descobri ao ver a do Augusto Malta da reportagem de domingo.

  8. Gostei desse Site “Foi um Rio que Passou”
    Sinto muita falta do Penafiel, restaurante de 1913, na Rua Senho dos Paços, 121.
    No fundo do restaurante tinha uma panelonas onde você VIA os pratos do dia.
    Fechou porque o neto do fundador separou da mulher e ela EXIGIU que se vendesse a loja…
    Fui lá no ÚLTIMO dia de funcionamento: 12 de dezembro de 2007.

  9. Fui comprar algumas raridades para o vatapá de que a minha avó Conceição gostava de fazer. Levava uma lista e muitas recomendações: camarão seco, castanha de caju, amendoim descascado e azeite de dendê, mas não esqueça tem que ser o Flor do Azeite. Tem uns trinta anos que minha avó faleceu, seu vatapá era divino e compensava ouvir todas as repetidas recomendações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

What is 8 + 5 ?
Please leave these two fields as-is:
IMPORTANTE! Para evitar a quantidade enorme de spams, você precisa responder a conta para provar que você é gente de verdade...