Ed. Edmundo Xavier 1934


O prédio que aparece em nossa imagem, não existe mais, é um dos prédios de mais de 5 andares que desapareceram da Av. Atlântica no processo de crescimento desenfreado do bairro, fazendo conjunto com o Abreu, Palacete Atlântico, Bento Ribeiro, Leão Veloso etc.
O Edmundo Xavier era um dos primeiros prédios em linguagem moderna da avenida construído em 1932,  ficando praticamente na esquina com a Rua Salvador Correia. Ao seu lado onde vemos um posto de gasolina, esse sim na esquina. Do seu lado esquerdo seria na primeira metade dos anos 40 foi construído um prédio  de curtíssima duração, que infelizmente não conseguimos apurar o nome, demolido junto com ele para  o alargamento da Av, Princesa Isabel.  Mais para a extrema esquerda onde vemos uma casa com torre que tombaria em 1957, sem ser substituída. Logo depois subiria o Ed. Leão Veloso, que tinha inicialmente o nome do seu construtor e dono da casa que existia no local, Uchoa Drumond, tendo sido construído ainda nos anos 30.
Quase todas as construções que falamos no post desaparecem a partir de 1955, com o decreto de expropriação do prefeito Dulcídio Cardoso.
Já o Leão Veloso, fez parte do folclore do bairro  até em quase ruínas ir ao chão por volta de 1986, para junto com a sobra do terreno do nosso prédio de nome desconhecido e da casa para  dar lugar ao “drops de anis” cafonérrimo prédio que  emoldura junto com o gigantesco Le Meridiem a Av. Princesa Isabel.
Gostaria muito de ter uma imagem do Leão Veloso para contar sua história que vale um post, irei procurar e fico devendo a vocês a postagem.

12 comentários em “Ed. Edmundo Xavier 1934”

  1. Caro André,
    Muito boa a sua explanação sobre este trecho de Copacabana. Finalmente descobri onde era a famosa Vogue. De todas as construções só conheci o Leão Veloso. Em seus dias finais, segundo o folclore, era mais habitado por ratos do que de por pessoas.

  2. Decourt, não entendí a descrição que você fez.
    Estamos na Atlântica no lado da praia. À direita temos uma rua, um posto de gasolina, o Edmundo Xavier, umas construções e a casa com a torre onde você diz que foi construido o Vogue. Mas, este não ficava na Atlântica e sim na Princesa Isabel.

    1. Richard, historiadores falam que o Vogue ficava na Atlântica, possivelmente na esquina da Princesa Isabel onde está o posto, mas a iconoigrafia do hotel é muito fraca para dar certeza se era no posto ou na casa, mas certamente não era um endereço só da Princesa Isabel, pois todos os imóveis antes do incêndio tinham já sido demolidos até os fundos dos prédios da Atlântica

  3. Impressionante o pouco tempo que duraram alguns prédios. Mesmo prédios altos foram substituídos por outros mais modernos. E todos sem um sentido único de estilo. A Av. Atlântica ficou uma mixórdia total.

  4. Tacando mais lenha na fogueira: A informação que possuo, apesar de ser verbal, era de que a Vogue era na Princesa Isabel, onde atualmente seria o canteiro central.

Deixe uma resposta para Richard Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

What is 2 + 14 ?
Please leave these two fields as-is:
IMPORTANTE! Para evitar a quantidade enorme de spams, você precisa responder a conta para provar que você é gente de verdade...