Metrô Largo do Machado, inauguração 23/12/1981

“Titio” Chagas Freitas, junto com o Ministro do Transporte Eliseu Resende inauguram a Estação Largo do Machado da Linha 1 do Metrô, uma das últimas a ser inaugurada na então “Linha Prioritária” no dia  23 de Dezembro de 1981.
Por de trás dos políticos e dos caricatos guardas metroviários vemos uma terra arrasada que o murcho jardim não consegue esconder. A cicatriz urbana é simplesmente imensa, sem as árvores crescidas dos dias de hoje podemos ter uma idéia da verdadeira destruição que as obras na região do Catete provocaram. Os prédios  estão lá atrás, como no fundo da imagem está o conjunto de sobrados sobrevivente no lado direito da Rua do Catete, quase todo demolido durante as obras. Da arborização pública implantada por Passos apelas dois heróicos oitis com suas  copas disformes pelas podas realizadas durante as obras sobrevivem por de trás do Chagas.
O post de hoje também chama a atenção para a nova sandice e gasto de dinheiro do nosso Metrô, um novo estudo, certamente atendendo os interesses de muitos, inclusive da Metro-Rio, para se prolongar a linha 1 até a Barra da Tijuca partindo da estação Gal. Osório. Obra essa de grande complexidade pois passará pelo meio da restinga de Ipanema e pelas áreas pantanosas do Leblon. Quem acompanhou a construção da Estação Siqueira Campos sabe da complexidade da obra e do altíssimo custo, só para se endurecer o solo da Rua Tonelero entre as ruas Figueiredo de Magalhães e Lacerda Coutinho se gastou 200 mil sacos de cimento.
O pior que o gasto do dinheiro público já começa no estudo, com alguns milhõesinhos, e certamente se completa, realizado com o abandono dos outros 3 planos anteriores, já pagos e concluídos, sendo o mais lógico a partida da Linha 4 rumo à Barra pela lacrada Estação Morro de São João, caminhado a linha pelos Morros São João e Saudade, e o Maciço da Tijuca. Com estações no Humaitá, Hospital da Lagoa, Praça Santos Dumont e uma possível integração com a linha 1 da Rua Uruguai, tendo então a Linha 4 dois cruzamentos com a 1.
A “esticada” da Linha 1 rumo à Barra só irá beneficiar a Metro-Rio, que manterá sua concessão no trecho, que pela ótica dela e sua famigerada Linha 1A nunca operará em capacidade máxima, já podemos esperar os trens chegando absolutamente lotados em Ipanema vindos da Barra na hora do Rush vespertino, e a batalha na estação Botafogo dos passageiros que sairão da Linha 1A rumo à Barra disputando os mesmos trens que já vem lá da Tijuca. Com certeza obra de “gênio”…da lâmpada.

9 comentários em “Metrô Largo do Machado, inauguração 23/12/1981”

    1. Só comprando mais trens a Metro-Rio se vamgloria que usa mais de 99% da frota da hora do rush. Mas isso só cola com gente burra, pois é o maior atestado que o sistema chegou no gargalo, com a inauguração de Siqueira Campos e Cantagalo seriam necessárias mais 2 composições, e com Gal. Osório mais 2, isso para ficar como antes, mas pergunto alguém comprou ????

  1. Na verdade a opção da estação São João também não é razoável, estive pensando nisso justamente hoje. Essa estação seria uma nova Estácio, com o agravante que os trens já viriam cheios de Ipanema sem espaço para quem viesse da Barra. E como não há linha adicional nem desvios no trecho, não seria possível colocar trens extras como se faz hoje entre Estácio e Botafogo.
    A meu ver a melhor alternativa seria um projeto que não sei se já foi anunciado publicamente, uma ligação direta Barra-Centro partindo da Av. Chile (com integração com as linha 1 e 2 via Carioca) e cortando o Maciço da Tijuca até o Jockey com estações em Santa Teresa e Cosme Velho, com óbvio potencial turístico. A ligação Jockey-São João (e talvez Urca) seria mais uma linha ou ramal.

  2. O que não entra nunca na minha cabeça de jeito nenhum é construir com dinheiro público (nosso) e depois entregar pra iniciativa privada ter lucro.
    Se eles querem explorar o serviço eles que construam, ora bolas!

    1. Derani, nao fosse isso nao haveria o servico…
      O estado tem a grana, mas nao a capacidade de administrar, como provado, na minha opiniao, em diversos outros servicos outrora estatais.
      A solucao obvia eh que a iniciativa privada pague ao governo pela concessao, como todas as outras concessoes que existem, como rodovias. De preferencia que pague todo o investimento do governo, ao longo de um prazo pre definido, e com juros.
      O que nao pode eh deixar de investir, e deixar a populacao no caos de transporte que temos hj…

  3. Quanto ao Metrô e a falta de políticas públicas, os senhores me desculpem, mas o Rio de Janeiro está todo dominado, e não é só de pés de chinelo não, pois tem gente até que estudou no Santo Inácio …

  4. Mais uma ótima pesquisa.
    Olha lá o velho Chagas Freitas… e tinha gente que reclamava dele. O que veio depois foi muitíssimo pior….
    Pobre Rio de Janeiro.

Deixe uma resposta para Rafael Netto Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

What is 4 + 4 ?
Please leave these two fields as-is:
IMPORTANTE! Para evitar a quantidade enorme de spams, você precisa responder a conta para provar que você é gente de verdade...