Alargamento da E. Velha de Jacarepaguá

Na nossa foto de hoje extraída de uma publicação com a impressão infelizmente de qualidade muito ruim vemos os trabalhos de alargamento da Estrada Velha de Jacarepaguá no final dos anos 40.
A Estrada Velha, surgiu no início do séc XX durante os governos de Rodrigues Alves na presidência e Passos na prefeitura, pois eram necessárias novas vias de penetração para o Sertão Carioca.
Na realidade ela já existia na forma de 3 antigos caminhos, que imaginamos serem muito precários, principalmente nas margens do sistema lagunar da Baixada de Jacarepaguá, não descarto inclusive a possibilidade deles serem interrompidos em alguns trechos. Esses velhos caminhos, as Estradas da Tijuca, do Anil e da Sernambetiba, unidas numa nova via fariam um trajeto contínuo desde a grande Tijuca, pois a Adm. Passos estava pavimentando e retificando o traçado de várias vias, entre elas a Estrada Velha da Tijuca, a de Furnas, Gávea Pequena, Barra da Tijuca etc…
Poucos anos depois na Adm. Prado Junior a Estrada Velha sofreu novas melhorias como iluminação em diversos trechos, troca da pavimentação, retificação de partes do traçado e construção de muretas em trechos críticos.
Mas com a popularização do automóvel e o desenvolvimento da região, ainda incipiente se comparando com os dias de hoje, a estrada sofreu a sua mais profunda mudança até os dias de hoje, na Adm. Henrique Dodsworth, foi duplicada em toda a sua extenção, ganhando a possibilidade de operar em mão e contra-mão com total segurança mesmo para veículos grandes. Nos anos 80 ela foi novamente duplicada em alguns trechos, notadamente no Itanhangá e na Muzema.
Mas nos dias de hoje o que era para ser uma das estradas mais bonitas da cidade padece pelo populismo, ingerência e desleixo do poder público.
Na sua chegada ao Anil, começou a se formar em 1982/83 uma das maiores favelas da região  a Rio das Pedras, surgida de um pequeno núcleo rural a favela avançou sobre o mangue, destruindo-o e praticando inúmeros aterros ilegais num solo turfoso de de grande complexidade, como pode se comprovar pelo condomínio de apartamentos abandonado ao seu lado desde os anos 80, que estava sendo construído pela Delfim e que está condenado, vários prédios já afundaram e outros foram empurrados para cima em alguns casos mais de metro devido a precariedade do solo.
Mas além de Rio das Pedras outras favelas surgiram destruindo não só o mangue com a faixa marginal das lagoas como é o caso da Favela Cambalacho e Vila da Paz, como também outras que galgam a encosta destruindo a mata atlântica como a Muzema, Santa Therezinha, Pai João e Itanhagá provocando graves danos ambientais apadrinhados por políticos oportunistas e suas milícias.

22 comentários em “Alargamento da E. Velha de Jacarepaguá”

  1. Na verdade a avenida que corta Rio das Pedras se chama Engenheiro Souza Filho e é uma construção recente, talvez dos anos 70 (não aparecia no Guia Rex dos anos 80). A antiga estrada de Jacarepaguá segue serpenteando o sopé dos morros onde existem condomínios de luxo, passando ao largo do terreno pantanoso e longe da favela. Com a construção da avenida esta virou a via principal e uniu-se a trechos da Estrada de Jacarepaguá que ganharam pista dupla, enquanto a antiga estrada passou a ser via secundária.

  2. A Estrada de Ferro Botafogo- Angra também passava por aí. Por sinal, desconfio que a via aberta entre a muralha da ladeira do leme e o acesso ao estacionamento do Rio Sul, lá no alto, tenha sido aberto pela mesma obra. Sabes por acaso alguma coisa a respeito ?

    1. Marcelo, aquele acesso é posterior à construção da nunca terminada estrada, em fotos dos anos 30 ele nem aparece, acredito que ele tenha sido imaginado depois, quando da quaduplicação do túnel Novo, que criou aquela via de acesso por cima dele e depois com o projeto do Túnel Botafogo-Ipanema

  3. Preciso de todas as informaçoes possíveis sobre o local onde foi instalada a Favela Rio das Pedras, fotos de antes e depois, quem sao seus moradores, seu entorno e todos os dados e curiosidades possíveis.
    Agradeço desde já, Mônica

  4. OLÁ AMIGO.SÃO MUITO INTERESSANTES ESSAS HISTÓRIAS SOBRE A ESTRADA VELHA DA BARRA-JACAREPAGUÁ.EU ME LEMBRO NÍTIDAMENTE QUE QUANDO CRIANÇA EU FUI PRO CRISTO REDENTOR UTILIZANDO A ESTRADA PRA SUBIR PRO ALTO DA BOA VISTA(A BORDO DE UM DODGE DARTH),E QUANDO PASSAMOS PELO LOCAL INVADIDO(ASSIM ERA CHAMADO NA ÉPOCA O RIO DAS PEDRAS POR MINHA FAMÍLIA)EU VÍ NO MÁXIMO 10 OU 15 BARRACOS AMONTUADOS EM UM SÓ PONTO,ERA NOITE E AS LUZES NA GRANDE MAIORÍA ERAM DE LAMPARINAS.EU TENHO 29 ANOS E NA ÉPOCA ERA,SE NÃO ME ENGANO O ANO DE 1983.
    ME LEMBRO TAMBEM DO CLUB DE IGLÚS QUE TINHA NA ESTRADA.TENHO UM TIO QUE ERA SÓCIO DE LÁ.
    HA MUITOS ANOS ATRÁS,POR VOLTA DE 1960 OU ATÉ ANTES DISSO, MORAVA UMA FAMÍLIA AMIGA DE MEUS AVÓS,NUMA CASA DE SAPÊ NO ENTORNO DO MORRO DA PANELA VIRADA,ERAM AMIGOS DO MEU AVÔ,HORÁCIO BAHIA.NETO DE XISTO BAHIA(CANTOR COMPOSITOR).
    O MEU AVÔ HORÁCIO ERA GUARDA DE RONDA NOTURNA,E CONHECEU ESSA FAMÍLIA NUMA OCASIÕA EM QUE OS AJUDOU A ATRAVESSAR PELO MATO,QUE ERA O UNICO ASCESSO DESSA FAMÍLIA ATÉ A SUA CASA,O LOCAL VIRAVA UM VERDADEIRO PANTANO EM DIAS DE CHUVA,E ERA PRÓXIMO A LAGOA.E COMO ESSE CASAL TINHA MUITAS CRIANÇAS ELES TEMIAM CARREGA-LAS SEGURANDO PELAS MÃOS POIS O LOCAL ERA INFESTADO PELOS JACARÉS DE PAPO AMARELO(DAÍ O NOME JACAREPAGUÁ AO LOCAL QUE ERA HABITAT DESSA ESPÉCIE EM DEMASÍA).EU MORAVA NA RUA RETIRO DOS ARTISTAS,ONDE SOU NASCIDO E CRIADO E SEMPRE QUE TENHO OPORTUNIDADE DE IR AO RIO,POIS AGORA MORO EM SOROCABA,SP,EU PREFIRO IR A PRAIA DA BARRA DA TIJUCA UTILIZANDO A ESTRADA VELHA,POIS É MUITO MAIS SEGURA DO QUE O CAMINHO PELA CIDADE DE DEUS.
    EMBORA A FAVELA DO RIO DAS PEDRAS SEJA ENORME ELA NÃO É TÃO VIOLENTA QUANTO A CIDADE DE DEUS,OU ATÉ MESMO AS DEMAIS FAVELAS MAIS CONHECIDAS,COMO ROCINHA OU VIDIGAL.
    DÁ MUITO BEM PRA UM CIDADÃO JOGAR UMA PARTIDINHA DE POQUER,OU JOGAR UM SNOOKER E DEPOIS SAIR DE LÁ ILESO(DESDE QUE NÃO FIQUE DEVENDO À MESA)RSRSR…
    ABRAÇOS AMIGO,E POR FAVOR SE POSSIVEL POSTE ALGUMAS INFORMAÇÕES SOBRE OS IGLÚS QUE EU MENCIONEI,E TAMBEM AS LINHAS DE ONIBUS QUE AINDA FAZEM O TRAJETO ESTRADA DO JOÁ,QUE É UM PASSEIO MUITO BONITO PRA QUEM NÃO CONHECE.
    ABRAÇOS,DANIEL FIGUEIREDO.

    1. O Clube de Iglús não mais existe, o espaço foi vendido e hoje se transformou em condomínio de casas!
      A linha 557 (Rio das Pedras x Copacabana) faz o trajeto que vc deseja. Passando pela estrada velha, itanhangá e estrada do Joá. Realmente um belo caminho!
      Adorei este fotolog, parabéns!

  5. Por muitos anos falou-se não somente na recuperação desta via, totalmente degradada bem como pelo choque de ordem na sua ocupação desordenada e favelizada.
    Entre os planos: sua duplicação e construção de ponte (Ilha dos Pescadores) cortando caminho em direção a Barra e Recreio
    As “comunidades” que ali gradativamente se instalaram o fizeram sob as vistas do poder publico e ensejam nas ocupações os mesmos vícios e desvios de assemelhadas:
    – Degradação ambiental em uma das regiões mais arborizadas e lindas da cidade.
    – Disseminação de riscos a saúde publica pela ausência de infra-estrutura básica.
    – Riscos eminentes e de todas as naturezas aos moradores como decorrência.
    – Favorecimento a exploração dos ocupantes por terceiros como de praxe em “comunidades”.
    Paralelamente ocorre um grande estelionato político e econômico junto aos que investiram na região, construindo, pagando impostos e pretendendo fazer do local moradia de suas famílias.
    Estes acumulam hoje enormes prejuízos com a desvalorização de grandes empreendimentos, casas e condomínios.
    Locomover-se por ali noturnamente e arriscado (visibilidade e assaltos) e de dia perigoso, dado ser estreita a via e ocorrer procedimento ousado de grandes veículos, ônibus e caminhões, que por ali trafegam em alta velocidade, ocasionado desastres e degradação ambiental.
    Surpreendem-me as secretarias de governo, por não perceberem que a Estrada representaria excelente opção viária de desafogo ao transito caótico que se avoluma e de que ali também “existem eleitores”.
    Sugestão: Porque os amigos não encaminham aos Vereadores e Deputados, Secretarias de Governo estas reclamações.
    Nadler Blumen – Jornalista

  6. Ahhh, você respondeu uma grande duvida minha, sobre os prédios que tem ‘em eterna construção’ do lado do Rio das Pedras, era super curioso pra entrar ali, hahaha, mas não sabia como (e agora sei que não dá, rs), mas já matei a curiosidade sabendo que é uma construção abandonada.
    Acho que deviam retomar. Se a favela não caiu, rs…

  7. Na década de 90 minha família e eu ficamos nestes iglus que existiam em vários pontos do país. Ficamos nesse da Barra da Tijuca. Era muito cômodo, pois tinha restaurante e durante o dia andávamos pela cidade do Rio de Janeiro e a tarde nos divertíamos na piscina do próprio empreendimento… Foi uma época inesquecível!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

What is 14 + 9 ?
Please leave these two fields as-is:
IMPORTANTE! Para evitar a quantidade enorme de spams, você precisa responder a conta para provar que você é gente de verdade...