É carnaval, pelo menos na nossa imagem. O postal possivelmente do início dos anos 50 mostra um ” Banho de Mar à Fatansia”  apesar de na imagem não conseguirmos distinguir na verdadeira “muvuca” alguém fantasiado, talvez estivessem todos dentro da água.
Mas a foto é um indicador da grande frequência da praia, até essa época não obstante as suas pequenas dimensões, frequência essa que era numerosa desde a instalação do balneário Hight Life ainda no séc. XIX depois substituído pelo Hotel Central, que também possuia serviço de balneário com meia pensão e cabines para troca de roupas.
A pequena praia localizada na foz do Rio Carioca desapareceu de vez com a construção do Aterro nos anos 60, substituída por uma grande faixa de areia  quer pode ser bem pouco aproveitada nos dias de hoje, não só pela poluição da baia como também do antes potável Rio da Carioca que abasteceu a cidade desde a sua fundação. Hoje ao primeiro contato com a “civilização” em 2 favelas no alto do Cosme Velho ele já se transforma num esgoto a céu aberto, situação essa que vai se complicando nos quilómetros que ele desce o Vale das Larangeiras, escondido em galerias subterrâneas onde certamente recebe um grande número de ligações clandestinas de esgoto, além dos vazamentos comuns à rede da CEDAE.