foto de andredecourt en 17/12/05

O túnel permaneceu dessa maneira, de 1975 até 1982, onde novamente em um governo Chagas Freitas ele sofreu profundas modificações.

Tudo o que foi mostrado nos croquis sábado passado, exceto o sistema de ventilação foi abandonado, a cidade ressentia-se de um sistema de transporte de massas eficiente, o Rebouças e o Santa Bárbara da época da Guanabara projetados para serem uma válvula de escape numa Cidade Estado que nessa época, 1982, já estaria com suas linhas de Metrô 1 e 2 totalmente concluídas e sendo executadas a 3 e a 4, já com várias estações operativas, estavam sobre-carregados.
Decidiu-se então abandonar o acostamento do Rebouças, estreitar as outras duas faixas de rolamento, e construir mais um viaduto na Lagoa, além de novas agulhas e mudanças nos acessos.
O que sobrava dos suportes para as placas laterais, foi destruído, as luminárias, ainda provisórias, foram retiradas, pois se projetavam pelo acostamento e seriam arrancadas por algum veículo mais alto, foram então instaladas luminárias a vapor de sódio, comuns aos outros túneis da cidade, que foram repotênciadas em 1992, e hoje já se encontram em péssimo estado.
Nessa foto de 1982, no final de nossa linha do tempo, nos estertores do governo Chagas Freitas, mostra a saída da Lagoa, o viaduto Eng. Humberto Vital Bandeira de Melo, se mostra novinho, o asfalto preto atesta isso, mas mesmo nessa foto onde tudo parece estar como hoje existem diferenças, a saída que desce para a rua Jardim Botânico, de quem vem do Rio Comprido ou Cosme Velho, ainda não existia, e o asfalto pouco emborrachado na entrada da rua Pio Correia, mostra que o acesso direto via rua Humaitá ainda não tinha sido aberto estando ainda muito parecido com essa foto de 1970 publicada pelo Luiz Darcy http://fotolog.terra.com.br/luizd:196  .
Outro detalhe é que o viaduto Saint Hilaire no sentido Lagoa, ainda não tinha sido alargado, ainda contando com 2 pistas, hoje nesse sentido ele tem três largas faixas de rolamento.
Termina aqui a série sobre o túnel Rebouças, que foi longa, mas acredito que foi bem produtiva

Comments (13)

Rafael Netto 17/12/05 8:21 …
Engraçado que eu me lembro muito bem das luminárias “de costas” que havia no Rebouças, mas não lembro do túnel com duas faixas, nem da inexistência do acesso via Humaitá. Como se chegava ao túnel naquela época? Tinha que dar a volta pela Fonte da Saudade?
Acho que foi só a partir dessa reforma que os ônibus puderam passar pelo túnel, lembro do alarde que fizeram quando a linha 460 foi aberta (então com ônibus Volvo da CTC, enormes).
Aliás, abrindo um parêntese… uma das coisas ridículas no Rio é a dificuldade/impossibilidade/falta de vontade de se criarem novas linhas de ônibus. O que se faz é pegar uma linha existente e fazer roteiros alternativos por caminhos totalmente diferentes (como o 175 via Linha Amarela e o 438 via Rebouças).
A casa do lado esquerdo, junto a esta entrada, resistiu bravamente até há poucos meses. Agora vai subir ali o edifício Portal da Lagoa. Fico pensando no barulho que vai ser nesses apartamentos.
leflaneur 17/12/05 8:54 …
heheheheheheheh
tava pior !
luiz_d 17/12/05 9:08 …
Rafael, o acesso vindo do Humaitá era pela Fonte da Saudade. Também quem vinha pela Borges de Medeiros tinha, inicialmente, que fazer o retorno na Epitácio Pessoa, em frente à entrada da Fonte da Saudade.
O que entristece nesta foto é que as belas casas da Lagoa e do Jardim Botânico foram substituídas por arranha-céus!
http://fotolog.terra.com.br/luizd
jban 17/12/05 9:47 …
Apesar das obras e remendos, ainda é mal resolvido. A junção da Borges de Medeiros e Epitácio Pessoa em uma só pista é a causa dos intermináveis engarrafamentos…
prfragoso 17/12/05 13:38 …
André,
Considerando-se o ano, 1982, e o intenso movimento que se vê sobre o viaduto de acesso ao Rebouças, é no mínimo estranho o pouco movimento nas pistas adjacentes, principalmente na que procede do Humaitá, sentido Jardim Botânico, e no sentido contrário, não é mesmo?
Um dos nossos favoritos (Henri) postou uma foto aérea do Rio, hoje, muito interessante. Tentei identificar um edifício que aparece na foto mas não consegui; você que é especialista nisso poderia dar uma olhada e matar a charada? Refiro-me a um prédio que está na parte inferior da foto, ao lado de um terreno baldio enorme… Não sei se ali seria a Rua dos Inválidos, ou Riachuelo.
http://ubbibr.fotolog.com/henrii/
Outra coisa, veja a foto que postei hoje, do mesmo local em C.do Coité, 11 anos depois, e que você comentou que lembrava Copacabana dos anos 30…
http://www.fotolog.com/prfragoso
Rafael Netto 17/12/05 16:50 …
Estive passeando pelo “alto Humaitá” procurando um lugar para conseguir esta imagem e não consegui.
Mas descobri que a rua Pio Corrêa foi interrompida pelo túnel. Ela acaba repentinamente num muro quase em cima da entrada do túnel, e do outro lado existe uma outra ruazinha sem saída que também acaba de uma hora pra outra. No Guia Rex elas apareciam unidas, sobre o túnel.
http://fotolog.terra.com.br/rafael_netto
AndreM 17/12/05 19:34 …
Eu lembro quando o Tunel Rebouças tinha duas pistas. A 3a. pista era acostamento e, a intervalos de determinada distância, tinha umas placas de metal que se projetavam da parede do lado direito.
lucia 17/12/05 20:06 …
Buenas!!
Estás vivo???
😛
Bjks
Fabio 18/12/05 6:36 …
Andre eu achei seu fotolog no site almacarioca e tanto quanto o site o achei muito interessante.Eu gostaria de sua ajuda num trabalho que estou começando de pesquisa sobre o bairro da Ilha do Governador.Como é bem bem difícil aonde achar dados sobre a Ilha na net, gostaria de saber se vc me daria alguma dica de onde posso começar a pesquisar.E se tiver alguma foto eu agradeceria também.
Muito obrigado
Meu email é: fabiomagu@ig.com.br
rioencantosmil 18/12/05 10:09 …
oi…claro que foi proveitoso, aprendemos mt..abraços
euzinhacaiaffo 18/12/05 10:14 …
achei super interessante seu fotolog…xero
n0ir 18/12/05 10:33 …
ótimas histótias auqi!
abs
Luiz
Patricio 18/12/05 15:31 …
Com a sua licença André (a quem o pedido foi solicitado) para ajudar o estudante Fábio aqui vai uma dica (não é na web)- a Coleção Cantos Do Rio da Editora Relume Dumará tem lançado um conjunto de interessantes livros sobre os Bairros Cariocas ( as obras têm o alto patrocinio da Prefeitura da Cidade do Rio e da Secretaria Municipal De Cultura) custam em torno de 15 reais e são facilmente encontrados na Siciliano.
Abraço