Pegadinha – Praça V. Rocha Leão final dos anos 60


Onde estamos???
A resposta sairá na segunda
 
Pelo visto a pegadinha foi mais fácil que eu imaginava, muitos mataram o local com relativa facilidade.
Estamos na boca do túnel velho, a Praça Vereador Rocha Leão ainda se mantinha no seu formato original dividindo o a mal resolvida junção do antigo traçado do bairro, com o PA do prolongamento da Rua Figueiredo de Magalhães com a outra praça do local, na realidade um grande canteiro central entre a entrada da Rua Maestro Francisco Braga e o L que existia no final da Figueiredo chamada de Schimidt de Vasconcelos, nome esse levado quando da duplicação do túnel velho para um viaduto na Lagoa.
O canteiro de gelos bahiano segmentava o fluxo de tráfego que era obrigado a contornar a praça para ou descer a Rua Siqueira Campos ou a Santa Clara, nessa época ambas ruas operavam ainda em mão dupla (a Santa Clara só no seu trecho final) e Figueiredo Magalhães ainda não estava pavimentada da Rua Tenente Marones de Gusmão em diante, por isso chamada pelos moradores do Bairro Peixoto de “rua nova”. Nesse exato lugar ficou localizado um chafariz, que fazia parte da urbanização da duplicação do Túnel de 1929, onde apenas uma foto de Malta (pouco divulgada), que aparentemente teve vida efêmera.
Se olharmos mais para frente vemos que não havia uma só construção depois do atual prédio 1033 da Figueiredo, antigo 87 da praça, e essa situação se mantinha até o edifício Piancó na esquina da Ten. Marones, dos dois lados da via, pois muitos dos prédios do hoje lado par da Figueiredo tinham seus endereços na Siqueira Campos, visto a precariedade da inurbanizada via como o Sobral&Sobral.
Com as obras de duplicação do túnel que se arrastaram por um prazo maior que o previsto por complicações fundiárias do lado de Botafogo a Praça Vereador Rocha Leão perdeu seus foros de praça virando uma Park Way,  situação essa parcialmente resolvida, com o uso da lage das antigas instalações provisórias do 19 BPM na época da obra do metrô Siqueira Campos e a instalação  de barreiras new jersey quebra molas e pardais para tentar deixar um pouco mais seguro o acesso de pedestres. Já o busto do homenageado da praça, retirado nessa época ainda está nos depósitos da prefeitura, esperando uma nova administração, que não seja inútil como a atual nem vendida as grandes corporações e negociatas como a anterior, para voltar ao seu lugar.

13 comentários em “Pegadinha – Praça V. Rocha Leão final dos anos 60”

  1. Muito tempo que não tem de uma pegadinha, com direito a Itamaraty e gelo seco.
    É em Botafogo, na rua do cemitério, em sentido de quem vem de Copacabana.

  2. Parece a Praça Vereador Rocha Leão e a Siqueira Campos com a mão invertida nos anos 70, 154 indo em direção ao túnel velho.

  3. É difícil mas parece ser em Copacabana na rua Siqueira Campos na entrada do túnel velho. Na direita do gelo baiano está a saída para a Santa Clara.

  4. O local já foi identificado e é a entrada do túnel velho visto do lado de Copacabana. O ônibus está subindo a Siqueira Campos e à direita e fora da foto está a Santa Clara. A data provável é após 1967, já que não há vestígios no local de Trolley-bus.

  5. Pela foto se nota inclusive que deve ser anterior à duplicação do túnel, já que o gelo baiano indica que provavelmente o túnel estava operando em mão dupla e até por isso o sentido Copa-Botafogo advir da Siqueira Campos, pois do contrário o túnel ficaria com mão inglesa. Mas eu achava que essa inversão tinha ocorrido durante a obra e nos meses ou anos subsequentes, mas ao que parece é anterior. Fiquei curioso. Morro de curiosidade desde a infância na década de 80 pq me lembro direitinho de a Santa Clara e a Figueiredo terem faixas meio apagadas e “esqueletos”de semáforos no lado oposto do sinal e faixa que funcionavam (naquela época não havia o sinal só de pedestres do lado oposto que funciona no terceiro tempo onde as duas ruas estão com o sinal fechado pra carros, isso só veio depois do Rio Cidade, nos anos 90, q me lembre), então ficava imaginando, isso com 7, 8 anos de idade, que um dia a Santa Clara e a Figueiredo tiveram mãos invertidas. Perguntava pro meu pai e ele não lembrava pq nos anos 70 morou fora do Rio. Então só tive a confirmação dessa curiosidade de infância aqui pelo site mesmo naquela foto da Figueiredo postada uns anos atrás. Aliás queria mais posts sobre mãos que um dia foram diferentes. Depois que me entendi por gente eu só vi mudar em Copa a Djalma Ulrich, que entre 90 e 94 deu mão pra praia, sabe-se lá porque, a Anita Garibaldi , q antes da obra do metrô era mào dupla no Bairro Peixoto e mão pra Barata da Tonelero pra Barata, e a Nossa Senhora no Leme q antes de 2005 dava mão pra Princesa Isabel. Lembro tb vagamente que a Gastão Bahiana teria sido toda mão dupla, mas não tenho certeza pq era muito pequeno qd ouvi isso. Em Ipanema lembro de que até o Cesar Maia a Redentor e a Barao de Jaguaripe eram mão dupla e a Nascimento sentido Copa. O Leblon eu sei que mudou muita coisa nos ultimos 20 anos mas não lembro detalhes.

    1. O maior exemplo da inversão de mãos era a pista de desaceleração que existia na esquina da Atlântica com a Siqueira Campos, que só foi removida a nossos pedidos (Câmara Comunitária de Copacabana) já no fim dos anos 90. Pelo visto esqueceram de eliminá-la nos anos 70 quando o túnel Velho passou a operar como o projetado.

  6. Na foto vejo um posto da Texaco, este se localizava no terreno onde hoje se encontra o Copa D’Or?
    Sobre a linha 154, nesta época já era operada pela saudosa São Silvestre?

Deixe uma resposta para Alfredo Riscado Rolla Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

What is 11 + 6 ?
Please leave these two fields as-is:
IMPORTANTE! Para evitar a quantidade enorme de spams, você precisa responder a conta para provar que você é gente de verdade...