Praça Estados Unidos e Esplanada do Castelo


Nessa foto dos anos 60, vemos a Praça Estados Unidos, já transformada em um largo asfaltado entre as Avenidas Pres. Antônio Carlos, Churchil e Roosevelt e a Rua de Santa Luzia, mas a região ainda guarda vestígios como o contorno dos jardins junto ao hoje desaparecido Pavilhão da Inglaterra da Expo de 22, mas em nada lembrando a bela praça que existia ali nos anos 40.
A foto em cores nos revela a cromática do Pavilhão da Inglaterra, bem como o revestimento original do Ed. Barão de Mauá, em vidros brancos, importados, antes de ser destruído pelo violento incêndio de dezembro de 1981.Tal aparência lhe rendeu o apelido de “Noivinha do Mec” por sua proximidade com o Palácio Gustavo Capanema.
O visual de hoje é completamente diverso, não só pela construção do Ed. da Academia no local do velho pavilhão, como também do Ed. Santos Dumont, na esquina de Santa Luzia com Graça Aranha.
Foto da coleção do Fernando França Leite

8 comentários em “Praça Estados Unidos e Esplanada do Castelo”

  1. Acho que nunca tinha visto o Pavilhão da Inglaterra. Parece que ele ficou de pé, e em bom estado, até a construção do espigão da ABL. Qual era a utilização dele? Também era da Academia?
    A igreja de Santa Luzia tinha uma cor parecida com a atual (original?), mas já vimos uma imagem nos FRA, acho que anterior a essa, em que ela era pintada de azul, mesma cor que chegou aos anos 80.
    Também achava que o Ed. Barão de Mauá era mais recente. E o Ed. Santos Dumont não apareceria na foto, estaria mais para a esquerda.

  2. Trocaram o pavilhão da Inglaterra pelo espigão da ABL. Mais uma troca desvantajosa para o Rio.
    Quantas cores já teve a Igreja de Santa Luzia?

  3. esse post me fez pesquisar por um bom tempo sobre a rua de Santa Luzia, a ladeira da Misericórdia, o convento da Ajuda, o palácio Monroe e, principalmente, o desmonte do morro do Castelo.
    compartilho com os colegas dois links que achei nessa última busca:
    http://www.riodejaneiroaqui.com/
    http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=1501951
    sou paulista, fui criado no Rio e sou fascinado pela história da capital carioca, e principalmente pela sua arqueologia urbana.
    parabéns pelo site.

  4. Sobre o pavilhão da Inglaterra: “foi todo feito de concreto, ferro e tijolo, com acabamentos ornamentais de argamassa de cimento branco. Uma larga faixa de ladrilhos azuis decorava toda a volta do edifício (…). O prédio sobreviveu até 1972, abrigando primeiro o tribunal Federal de Recursos até sua transferência pra Brasília e sendo depois compartilhado por várias repartições.”
    Sobre o prédio da ABL, acho um dos melhores arranha-céus do Rio. Infinitamente mais interessante que seu vizinho de quadra. A pequena igreja de Santa Luzia têm dado sorte com sua vizinhança moderna, mas me arrepia a espinha pensar o que o futuro lhe pode guardar, com esse terreno vazio aí do lado dela…

    1. Niuxa, o terreno ao lado está vago pois está na esfera de dois bens tombados, o Pal. Gustavo Capanema e a Igreja, a construção do Barão de Mauá na época foi feita de modo a interferir o mínimo possível inclusive no sombreamento dos jardins do MEC

  5. Não fosse o prédio da ABL no lugar do pavilhão da Inglaterra, acho que a imagem seria a mesma neste enquadramento de foto. É um dos poucos lugares da cidade com espaços vazios que guardam a mesma vista desde os anos 70.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

What is 6 + 12 ?
Please leave these two fields as-is:
IMPORTANTE! Para evitar a quantidade enorme de spams, você precisa responder a conta para provar que você é gente de verdade...