Furnas de Agassiz – anos 50


Na nossa imagem de hoje vemos uma das formações geológicas mais curiosas do Parque da Tijuca, as Furnas de Agassiz, ou simplesmente Furnas.
Formação criada por rochas formadas no Paleozócio, o conjunto de grutas constituída por grandes lages de pedra, entremeadas por lagos e quedas d’água encantam visitantes desde os tempos da chegada da família real quando descoberto por membros da missão artística dentre eles Taunay que fixou residência em área realtivamente próxima.
No segundo reinado era ponto de parada de aventureiros e exploradores que percorriam a área na qual seria criado o parque em um futuro, passando a ser já no séc. XX, com a melhoria das vias de acesso um dos pontos mais procurados para pic-nics campestres, se tornando um ponto turístico.
Já nos anos 60 e 70 ficou nacionalmente conhecida por ter servido de cenário para inúmeras produções do cinema e televisão como a toca da famosa Cuca da primeira versão do Sítio do Pica-Pau Amarelo da Rede Globo e também como as Minas do Rei Salomão dos Trapalhões.
Embora ainda íntegra e relativamente a salvo do vandalismo, salvo as oferendas das religiões afro, deixadas de forma  nada cuidadosa por seus devotos  as Furnas tem a sua maior ameaça no rápido processo de favelização que vem acompanhando as encostas da Estrada de Furnas viradas para a Barra.
As favelas de Mata Machado e Fazenda despejam grande carga de esgoto que junto com os restos de oferendas transformam a região antes aprazível num ambiente fedorento e cercado de poluição. O Rio Cachoeira, chega ao local totalmente poluído e com sua vazão em muito diminuída a Cascata Grande, oposta da famosa Cascatinha, se encontra hoje com sua vazão reduzida e águas poluídas o que gera um choque quando observamos a cava na rocha ainda nua e as pinturas realizadas feitas pela missão artística e fotos do início do séc. XX.
Mais um ponto da cidade que a ocupação irregular ameaça de forma séria.

8 comentários em “Furnas de Agassiz – anos 50”

  1. Eu sempre conheci as Furnas como um lugar meio abandonado. Nem sei quem cuida disso atualmente. Fica na descida da Estrada das Furnas direção Barra, já longe da Floresta da Tijuca.
    Pelo que me lembre, O Trapalhão nas Minas do Rei Salomão foi filmado no Parque Lage, mas pode ter tido cenas feitas nas Furnas também.

  2. Boa tarde, André. Não preciso dizer que você é respeitado como conhecedor da história dos Cariocas, que é o que importa. Mas me incomoda o seguinte: seu site é o que tem de melhor em termos de Rio, mas ninguém entre os fotologs do Rio Antigo é capaz de botar seu site como favorito (pode olhe olhar à vontade). Fica no máximo nos “links”. Na minha opinião, suspeitíssimo. Podem vir as bordoadas, mas é só olhar. Abraço e parabéns.

  3. A Cascata Grande da Tijuca ficava aí? Aprendi mais uma. Pensava que ficava na Floresta da Tijuca, em algum ponto acima da Cascatinha. Boa.
    Quanto às Furnas, pensava que já tinham sido destruidas ou invadidas. Nunca mais passei por aí.
    Paleozócio foi um período onde os dinossauros não faziam nada…. só na vida mansa. (desculpe, foi irresistível).

  4. Fui nas Furnas de Agassiz dia 7/1/2012. O lugar está completamente abandonado, com oferendas espalhadas pelo chão, resto de camisinhas e até encontrei fezes humana fresca. Lamentável uma formação rochosa dessa magnitude, uma das maiores da cidade, estar neste estado. Não sei se bastaria a administração do local ir para o ICMBIO. Do jeito que aquilo foi invadido, não há mais solução.

  5. O Amigo, a cima, MARCELO, já disse tudo. Imagine para quem nasceu nessa Furnas, viveu até aos 20 anos,comercio mais perto era a 800m, a escola a 900m, aprendi td que uma criança tem de disponivel: mt floresta e por consiguinte, mts passaros, mts frutas,mts terreiros para jogar bola, riacho e cachoeiras, turistas para nos ofertar dindim em troca de uma flor, por uma deslizada na laje ou ate mesmo por ter tomado conta de seu carro. Liberdade a mil…Mas comesse ia conhecer o mundo ao servir o exército e nunca mais voltei. Exporadicamente, apareço para ver algumas arvores que la plantei e que ja estao bem grandes e ficar triste, é bom, de vez em qdo ficar triste. Gostei imensamente de ter encontrado fotos do tempo em que o meu pai era menino. ABRAÇO.

  6. Frequentava esta local, no inico dos anos 70. Era muito legal para as crianças. Cheio de turistas e pessoas fazendo piquiniques. Estive no local, tem mais de 10 anos, não consegui entrar, esta muito perigoso. Uma pena!!!!

Deixe uma resposta para Caio Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

What is 12 + 13 ?
Please leave these two fields as-is:
IMPORTANTE! Para evitar a quantidade enorme de spams, você precisa responder a conta para provar que você é gente de verdade...