Busto e Praça em homenagem ao Vereador Rocha Leão

Hoje vemos uma sequencia de 3 fotos tiradas da Praça Vereador Rocha Leão com sua primitiva e conflituosa urbanização, feita de maneira improvisada enquanto não se terminava o prolongamento da Rua Figueiredo Magalhães nem se decidia qual o tipo de duplicação que sofreria o T. Velho bem como por onde seria conduzido o tráfego para as novas galerias.

Estamos no pequeno quarteirão semi-circular entre as Ruas Maestro Francisco Braga e Henrique Oswald, ambas abertas na antiga propriedade de Felizberto Peixoto, sendo a última já fronteira com vertente da grande propriedade dos Gardone Constante Ramos.
Com a inauguração do Bairro Peixoto a região ficou com um grande espaço sem aproveitamento, que tirava de escala a embocadura do Túnel Velho, na reforma feita por Alaor Prata, que contava com um pequeno largo circular com uma fonte em estilo neo-colonial no seu centro. Com o alinhamento do prolongamento da Rua Figueiredo de Magalhães foi aprovado um PA que criava duas praças, uma de forma triangular e outra amebóide. Pela dificuldade da abertura da rua e sua embocadura junto a Siqueira Campos, tomada por uma construção antiga, a praça triangular não foi realizada de pronto, sendo construída apenas a de forma amebóide, junto aos prédios da grande curva. Com a morte do Vereador Rocha Leão em 1952, amigos do político, que dedicou sua vida política a autonomia administrativa e financeira do Distrito Federal começaram a tentar nomear uma rua ou praça, principalmente em Copacabana, bairro de residência de influência política do homenageado.

Em 1954 com o suicídio de Getúlio, inimigo político desde a Intentona Comunista, abriu-se caminho para a homenagem, a pequena praça ainda precariamente urbanizada, num canto de bairro meio vazio era o que havia de disponível na região de Copacabana e para lá foram levadas não só as placas de logradouro como também um busto esculpido por Ariel.
Em 1966 da praça triangular foi construída e a Praça Vereador Rocha Leão ganhou área maior, jardins e calçadas de pedras portuguesas, a praça triangular ganhou o nome de Augusto Frederico Schimidt, o busto foi remanjado para o cento da praça. Mas poucos anos depois em 1969 comn as obras de tuplicação do Túnel Velho a região foi novamente modificada, as praças foram unificadas, indo o poeta batizar um viaduto na Lagoa. A praça Vereador Rocha Leão virou umna Park-Way com o mergulhão da galeria sentido Botafogo em seu centro. Nesta reforma o busto foi retirado e levado para o depósito da prefeitura, estando lá há quase 40 anos.

Nas fotos vemos alguns dos prédios que estão no local até hoje, bem como um desconcertante espaço livre, pois a Rua Figueiredo de Magalhães ainda estava praticamente vazia, bem como as encostas do Morro da Saudade/Cabritos ainda tomada pela mata nativa. O destaque é a enorme amendoeira, quase centenária que até hoje dá sombra nesse pequeno pedaço de Copacabana

9 comentários em “Busto e Praça em homenagem ao Vereador Rocha Leão”

    1. Ele foi aberto de forma precária a partir de 1954/55, mas só chegou, pavimentado na altura do Copa D’or pelo fim dos anos 60, a rua a partir da encontro com a Ten. Marones de Gusmão ficou de terra e praticamente sem construções até essa data quando foi urbanizada ganhando grande parte dos prédios, embora ainda haja restos do PA abandonado do Jardim Comendador Felisberto Peixoto, outra praça na região de forma triangular entre prédios e com 2 acessos que não vingou, embora ainda conste em vários mapas.

  1. Nasci e passei 9 anos da minha infância exatamente ma praça vereador rocha leão, morei no edifício trieste e passava os finais de semana com meus avos no itapeba(ainda em construção em uma das fotos), incrível ver essas imagens, gostaria de saber se você possui outras do mesmo local?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

What is 11 + 8 ?
Please leave these two fields as-is:
IMPORTANTE! Para evitar a quantidade enorme de spams, você precisa responder a conta para provar que você é gente de verdade...