Zeppelim e parcial da Feira de Amostras

Em mais uma das fotos de Ferreira Júnior temos na de hoje uma foto do Zeppelim sobrevoando a Ponta do Calabouço e de lambuja uma vista parcial dos pavilhões e brinquedos da Feira de Amostras, instalada no meio da década de 30 em espaços ociosos da região do Calabouço, antes ocupados por instalações da Expo de 22, ou conquestados ao mar ainda no alinhamento do Plano Agache, sendo mais um dos elementos perdidos de uma região que se modificou enormemente em pouco mais de 20 anos.
Junto aos pavilhões dessa nova feira vemos alguns dos pavilhões da Expo de 22, ao que parece os pavilhões das Pequenas Indústrias e partes dos de Festas. Junto a eles um dos prédios do conjunto da Av. Beira Mar, a única construção de pé até os dias de hoje na nossa imagem.
Ao que parece os aterros para a construção do terminal para aviões de trem de pouso do SDU ainda não haviam sido iniciadas possivelmente a ponta ainda tendo a configuração para abrigar o grande Jardim Monumental planejado por Agache, que junto com o Portão Monumental do País seriam a porta de entrada do Brasil dos que por ele entrassem por mar.
Pouco tempo depois a exposição seria desmontada, ficando alguns pavilhões restantes, junto com os sobreviventes da Expo de 22, até a chegada da cidade nos anos 60 a esta região provocarem suas demolições, mas há registros dos pavilhões da Feira de Amostras nas mal traçadas vias por entre a Av. Gal Justo e a Mal Câmara até o final dos anos 60.
Agradacemos ao Sidney Paredes pelas fotos que nos enviou de autoria de seu padrinho

14 comentários em “Zeppelim e parcial da Feira de Amostras”

  1. Logo não haverá mais espaço para cravar facas nas costas do JBAN (e logo quem foi o autor de hoje…).
    Imagino a beleza de vista desfrutada pelos passageiros do Zeppelin.
    Mais uma excelente fotografia deste tesouro do Ferreira Junior.

  2. Creio que o prédio da Av.Beira-Mar (não consigo desprezar o hífen, conforme reforma ortográfica) era da Esso, onde meu pai trabalhou por muitos anos, hoje ocupado por uma faculdade (Ibmec?).
    Se for, terei duas pessoas muito queridas ligadas a essa bela foto.
    Mais uma vez, agradeço ao André pela publicação.

  3. Sidney, o prédio que aparece não é da ESSO, mas possivelmente algum do conjunto edificado perto da Av. Calógeras, possivelmente o coroamento já foi alterado com o passar dos anos

  4. Agradeço ao Luiz D’ pela homenagem a Ferreira Júnior.
    O resultado da colorização ficou muito bom.
    Onde quer que se encontre, o espírito do grande fotógrafo estará vibrando, em sintonia com todos nós que reconhecemos, admiramos e resgatamos o seu trabalho.

  5. O prédio em questão é o sutorno prédio da sede do TRE-RJ, o único TRE do Brasil que não tem sede própria, pois esse prédio é (advinhem?) do INSS, que o cedeu.
    O seu atual endereço é Av. Pres. Wilson, 194. Ao lado dele, o n° 198 também faz parte da sede do TRE-RJ.

    1. Honório, temos uma muito parecida, com o Zeppelim mais próximo do fim da Rio Branco e com a feira bem menor, essa é um zoon da anterior conforme o grande dirigível ia se afastando rumo a entrada da barra

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

What is 10 + 14 ?
Please leave these two fields as-is:
IMPORTANTE! Para evitar a quantidade enorme de spams, você precisa responder a conta para provar que você é gente de verdade...