A Farsa da Venda dos Terrenos do Metrô, parte final

mapa-metro

Voltamos à venda dos terrenos remanescentes da Linha 1 com a desculpa de financiar parte da Linha 4 do metrô carioca.
Na realidade a Linha 4 é uma grande caixa preta que envolve, primeiramente os planos políticos e eleitoreiros do governador e seu grupo e de duas grandes empreiteiras, a OAS, nova sócia da Metro-Rio e a Camargo Correia, ganhadora da licitação do trajeto original, além da Linha 3.
Vemos que a Metro-Rio entrou de cabeça nos planos políticos do sorridente e omisso governador, afinal ele prorrogou a concessão do metrô por mais 20 anos em troca da famigerada Linha 1-A e a compra de algumas composições. Mas a negociata ainda não terminou e envolve a implantação de mais um estupro a “nova Linha 4” ou Linhão, ou a minha preferida Linha 1-B.
Ou seja, esticar a Linha 1 por Ipanema, Leblon e Barra, mudando radicalmente o traçado e tirando o doce da ganhadora da licitação a Camargo Correia.
Corre a boca pequena que um emissário do governo do estado pressionou esta construtora, ameaçando que se ela tentasse impedir o novo milagre do metro para a barra o atual governo do ERJ iria melar a construção da Linha 3.
Mas para surpresa de todos a Camargo Correia falou que topava executar o traçado que o governador desejasse criando um grande impasse.
A Linha 1-B é tão perniciosa que, primeiramente, prolonga a Linha 1, já saturada e embaralhada com carros da Linha 2 circulando por ela, até a Barra da Tijuca. Criando uma demanda que ela não conseguirá absorver. Possivelmente em bairros como Copacabana e Botafogo o metrô será simplesmente impraticável. Em segundo lugar além do traçado passar por regiões de solo muito ruim que obrigará ou o Jet-grouding por boa parte do trecho de restinga, caríssimo, ou o destrutivo cut-and-cover que tantos danos criou à cidade nos anos 70. O traçado original além de lógico, por permitir até duas interseções com a Linha 1, correrá quase todo por dentro dos maciços.
Mas o que poucos sabem é que a estação Jardim Oceânico foi mudada de lugar, praticamente inviabilizando a futura expansão da linha rumo ao Cebolão, onde teoricamente teríamos um entroncamento multimodal de transportes.
Isso tudo seria se, a OAS tivesse ganho a parada, mas com o novo xeque da Camargo Correia, e por força do edital o prolongamento da super Linha 1-B não poderá ser feito em contínuo. O nosso “diretor escolar” já aventa até mesmo uma estação Gal. Osório II, onde os trens da Linha 4 pararão em um sistema distinto e os passageiros passarão para os domínios da Metro-Rio, o que inviabilizaria por exemplo o uso do metrô para o cidadão do Leblon ir ao médico em Copacabana, pois pagará mais de R$6,00, enquanto da superfície poderá ir por pouco mais de R$2,00, mantendo os ônibus na rua, o que é um absurdo.
Se a privatização foi mal feita pelo governo do PSDB, as negociatas do PMDB são simplesmente arrepiantes, fala-se em até mesmo um domínio total de todos os transportes de massa da região metropolitana na mão do que é hoje a Metro-Rio, onde temos uma grande empreiteira, dois fundos de pensão e um banco.
Enquanto a imprensa fica calada, conivente, o fim do transporte de massas sobre trilhos da nossa cidade é rascunhado em ritmo de apoio político, populismo eleitoreiro, propaganda enganosa de uma Copa e uma Olimpíada ( já vimos o filme com o Pan), e muita cara de pau, enganando o povão que vota nesses caras com artimanhas temporárias, que se realizadas poderão ser consertadas ( se for possível) com muito dinheiro e medidas de peito, algo que nossos governantes vão tendo cada vez menos.
Por isso e outras como carioca me posiciono frontalmente contra as olimpíadas, que no momento significam a mesma herança deixada pelo Pan, nada para cidade, muito para certos personagens.
O absurdo é que por causa de votos e muito dinheiro nos bolsos se abandona planos sérios, feitos por pessoas gabaritadas, com longos planos de execução e o pior, parcialmente implantados. A cidade que se dane, pois afinal sempre teremos nossos “suburbanos” para dar voto aos políticos populistas e enganadores. Como nosso querido Dudu, que agora deixa as crianças da Z. Norte em regime calórico de top model, por não fornecer merenda às escolas públicas justamente nos bairros mais necessitados e que votaram nele, antes o povo percebesse essa ironia, mas não percebe…..

10 comentários em “A Farsa da Venda dos Terrenos do Metrô, parte final”

  1. Obrigado por trazer a luz esses fatos para todos. É praticamente um serviço de utilidade pública. Estarei fazendo o mesmo no meu blog, o http://blogdobastos.blogspot.com
    Sua opinião, que nesse post soa mais como um desabafo, é a mesma que a minha. Fico indignado com as peripércias desses seguidos desgovernos, que por negligência ou imperícia (ou os dois) só fazem besteira.
    Está mais do que na hora de surgir um líder decente, consciente, pra recolocar nossa cidade, nosso estado e nosso país no rumo certo.

  2. Repito o que eu disse ontem, a construção do Metrô em Ipanema e Leblon iria fazer com esses bairros o que aconteceu com a Tijuca e o Catete na construção da Linha 1. Será que a “Elite da Zona Sul” não tem poder suficiente pra barrar isso?
    Uma coisa estranha no plano maquiavélico é que tudo caminha para a perpetuação do domínio dos ônibus na cidade. Por outro lado essa história de “grande operador de transportes” vai contra os interesses dos empresários dos ônibus, os verdadeiros “donos do Rio”, e pode ser o calcanhar-de-aquiles do plano.
    A propósito, alguém já tentou convencer a Cora Rónai? Ela consegue espaço no Globo pra falar de coisas que as outras partes do jornalão fingem ignorar.

  3. Eu vinha tendo opinião favorável à Rio 2016 justamente por pensar que isso poderia ajudar a desenvolver os transportes. O problema começou a surgir quando eu comecei a ver os planos capengas no prazo de 7 anos. Que por conta da Copa do mundo seriam reduzidos a 5. Mas a Copa das Confederações reduziria a 4. E com esses planos malucos do Cabral de fundir tudo, a olimpíada poderia deixar a cidade fundida! E justamente o que poderia ser um imput de melhoria acabou se tornando um potencial imput de traavamento e caos aa médio prazo. A olimpíada passa e o transporte fica incurável, com uma linha dentro da outraa, uma linha fundida à outra… Se pelo menos não travassem a obra da linha 4 aantes, talvez estivéssemos falando de linha 6 agora. Assim como não estamos falando da linha 5 que nem foi mencionada nesse projeto de revitalização do porto. Seria muita areia no caminhãozinho de cinco anos?…
    Então, prefiro que façam direito para 2020* e fique uma boa obra para a cidade do que uma obra capenga que mal atenda 2016 e os financiadores de campanha dos candidatos “dos suburbanos”. Aliás, de proposta pro subúrbio mesmo só aquela ligação maluca de trem pra ilha que no mínimo devasta Bonsucesso… Será que quem verbaliza uma maluquice dessas conhece Bonsucesso?
    Chega dessa visão de curto prazo e de propostas capengas apresentadas como “solução racional” ao projeto realmente bom…
    * aí, sim, teriam que começar agora e fazendo direito…

  4. Anteontem, no mesmo dia que você publicou este post, houve um acidente na obra da Linha 1-A, na altura das oficinas do Metrô, na Pres. Vargas. Parte do teto desabou e feriu 2 funcionários, que foram encaminhados para o Sousa Aguiar. O acidente foi ignorado pela mídia, exceto pelo JB, que noticiou na edição de ontem do jornal, junto com um artigo de um vereador, que, infelizmente, não lembro o nome no momento, espinafrando o “projeto” do metrô.

  5. É um absurdo o que este governador e a turma dele estão fazendo com o metrô do Rio. A linha 1-A e a 1-B são verdadeiros absurdos. O que eu acho estranho é que esses caras são cercados de engenheiros, geólogos, urbanistas e especilistas, e não tem um pra chegar e falar aos mini-Garotinhos que isso é loucura? Será que ainda estamos na ditadura militar? Será que ainda temos queima de arquivo? Se vc for do contra sofre sansões? Fico realmente “encucada” com isso.
    Belo blog, ótimo trabalho!

  6. EU TRABALHO NO MERCADO POPULAR DA TIJUCA , ESTA HISTORIA VEM ROLANDO DEZ DO TEMPO DO CESÁR MAIA ,MAIS ELE DEIXDOU ROLAR POR QUE NAO TINHA APOIO DA IMPRENSA ,DO QUE EU SEI E QUE OS TERRENOS REMANESCENTE( SOBRA RESTOS)DAS OBRA DO METRO ERA PARA OBRAS PUBLICAS ESCOLAS TEATRO PRACAS BATALHOES FARMACIAS POPULARES MERCADOS POPULARES UPA 24 HORAS ,FOMOS A CAMERA DOS VEREADORES PARA UMA EMENDA PARA TIRAR O NOSSO TERRENO DA EDIFICAÇAO PERDEMOS era de esperar
    tivemos apoio dos vereadores reimond brizola neto vanessa garotinho ,trabalha neste 150 ambulantes a 13 anos temos tuaps pagas em dia ,

    1. Cá entre nós, com esses apoios aí vocês não iriam muito longe….
      Na realidade aqui nada temos contra a venda de terrenos vendíveis do metrô, somos contra como está sendo feito e para financiar um aleijão do sistema metroviário

  7. Prezado Andre,
    Li seu comentário sobre a farsa na venda dos terrenos do metrô.
    Vc faz acusações graves.
    Gostaria de saber se vc tem documentos para provar isso, pois estou ingressando com uma ação popular na próxima 2a. feira (13-12-2010). Aguardo o seu retorno urgente. Grato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

What is 4 + 4 ?
Please leave these two fields as-is:
IMPORTANTE! Para evitar a quantidade enorme de spams, você precisa responder a conta para provar que você é gente de verdade...