foto de andredecourt en 1/02/08 

Nesses dias de carnaval a publicação de imagens será dispersa, mas acontecerá, possivelmente na segunda ou na terça.
Na nossa imagem de hoje mostramos o Corso na Av. Central, que veio substituir a Batalha das Flores, uma tentativa de civilizar o carnaval carioca no início do Séc. XX, que embora já tivesse abandonado as barbaridades do Entrudo, estava sob o julgo dos certamente chatíssimos “Zé Pereira”.
O Corso criado como forma moderna ( e elitista ) de se fazer carnaval, nos anos de maior sucesso criava uma linha contínua de carros que ocupava toda a Av. Central nos dois sentidos, além do contorno na Praça Mauá, e muitas vezes até do Passeio Público.
Era um movimento de elite, pois o povão ainda continuava se divertindo a pé ou nas Associações Carnavalescas e Cordões que surgiam, como evolução e organização dos Zé Pereira.
A imagem, mostra além do flagrante do corso na Av. Rio Branco no meio dos anos 20, nos brinda com um dos ônibus elétricos da Light, encaixotado não meio da folia.
Tempos de um carnaval em que o folião tinha espaço e não era tolhido dos seus movimentos por ambulantes puxando carrinhos de rolimã que carregam isopores de 200 litros, verdadeiro estorvo, alem de não ser acotovelado por muita gente que não está nem aí para carnavais, marchinhas e carioquices, apenas está lá pois a mídia disse que o carnaval da rua está na moda, gente que estaria melhor em qualquer academia de ginástica da moda ou então boate do Ricardo Amaral. Tornando certos blocos mais burgueses que o Corso no melhor automóvel da época.
A se pensar que há 4 anos atrás o Bola Preta era um ótimo lugar para se levar crianças e que mesmo desfilando pela estreita Rua México não havia aperto, os metais sobre carro de som modesto era ouvidos por todos e a alegria era de todos sincera, só diversão.
 

Comments (10)

caucaia1 1/02/08 11:53 …

Maravilha!!!

derani 1/02/08 12:13 …

O Carnaval só se civilizou nesta época às custas da prefeitura e da polícia… do violentíssimo entrudo os grupos foram obrigados a se transformar em Ranchos e Cordões.
O Corso era uma outra manifestação oriunda do fim da selvageria carnavalesca, vindo junto ou logo depois dos Ranchos e Cordões, o que permitiu a elite sair nas ruas.
As maiores vítimas dos limões-de-cheiro e outras porcariadas atiradas aos transeuntes na época do Entrudo era justamente a classe mais abastada, visto que o alvo preferido eram as cartolas e emporcalhar quem estava bem vestido.
Parece que falta polícia hoje em dia de novo…

photomechanica 1/02/08 14:14 …

A cara de tédio das pessoas era impressionante.
:-))))

sorio 1/02/08 17:08 …

É – no Bola a coi$a tá preta, de longa data.
Essas fotos são muito interessantes, não existem muitas circulando por ai, e não foram colocadas em postais na época, acho eu.
O elétrico foi uma feliz coincidência.
André Costa

alo_helo 1/02/08 18:54 …

Maravilha de foto e de historia.
Parabens de novo, adorei.

buraite 1/02/08 19:03 …

Parece que o Bola Preta recebeu do governo do estado uma nova sede na Lapa, na Rua do Lavradio, em um prédio que era da Rio Trilhos, mas não vai ser a mesma coisa.

triunfodapintura 1/02/08 22:33 …

Igual ao Bola Preta….

dai_melop 2/02/08 17:11 …

por que será que o carnaval na ‘roça’ ainda é mais divertido ..?
um viva às cidds do interior..
Aproveite o feriado 😉

hlgvargas 3/02/08 11:02 …

Este fotolog continua uma referência de cultura e bom gosto.
Grande abraço.

jban 4/02/08 9:31 …

Pois esses corsos deviam ser chatíssimos…