foto de andredecourt em 13/10/06

Para encerrar a enforcada semana, posto essa foto do acervo do Roger Barthel.

Para variar a qualidade das fotos tiradas por seu avô Roberto Augusto Barthel é excelente, inclusive em cunho social, onde sempre a cidade aparece em seu movimento.
A foto tem uma ligação com o post passado, uma das mais enigmáticas charadas já postadas aqui no flog.
Vemos a Av. Marechal Floriano, ainda com seus primitivos postes de iluminação pública à eletricidade, e junto dle passando um belo carro, vemos outro automóvel mais adiante, um inconfundível Ford T, e uma carroça de considerável tamanho junto ao meio fio esquerdo.
No meio da rua temos um guarda civil com o seu peculiar uniforme, e a esquerda um vendedor ou carregador anda carregando um caixa em sua cabeça.
O grande prédio ainda existe, hoje como Centro Cultural Light, mas nessa época era além de ser uma das principais garagens de bondes da cidade o escritório geral do famoso “Polvo Canadense”.
Mais ao fundo vemos uma nesga do Palácio Itamaty
Foto: Roberto Augusto Barthel
Acervo: Roger Barthel

Comments (14)

JBAN disse em 13/10/06 10:38 …
A nesga do Palácio Itamaraty também vendia cocadas ?
littlerose disse em 13/10/06 10:43 …
Como se caminhava tranquilo e sem pressa nessa cidade… bons tempos!
Rafael Netto disse em 13/10/06 11:07 …
O Centro Cultural Light também era garagem de bondes? Eu achava que era algo mais ligado à eletricidade em si, não aos bondes.
Antes de ser Centro Cultural, se não me engano, era a central de manutenção da Light, eu lembro daqueles caminhões verdes e laranjas que tinham escrito “Rua Larga” na porta.
http://fotolog.terra.com.br/rafael_netto
glenlivet disse em 13/10/06 12:48 …
JBAN me fez rir 🙂
luiz_d disse em 13/10/06 13:42 …
E não dá vontade de ter vivido este tempo?
patrício disse em 13/10/06 14:15 …
Caro Decourt,
Esta foto foi para mim muito reveladora – recentemente comprei uma albumina (1907) do fotografo Mortimer, e agora pude saber o exato local de onde a mesma foi clicada: a varanda do sobrado que aparece imediatamente à dta do Centro Cultural Light. Mais – também esclareci o porquê dos trilhos que apareciam entrando para o interior deste edificio : era uma estação de bonds.
Vou enviar ao amigo esta foto daqui a pouco.
Abraço
patrício disse em 13/10/06 14:28 …
Pronto … já está em sua caixa de mensagens. São dois detalhes reveladores (a fotografia completa é muito grande) deste local em 1906/07.
Abraço
Mauro_AZ disse em 13/10/06 19:15 …
JBAN: A exemplo da nesga da Ilha do Catalao, que apareceu no post do dia 10 passado, a nesga do Palacio do Itamaraty vendia coscadas.
FlavioM disse em 14/10/06 13:38 …
Quem seria o dono desse carrão aí, hein?
jban disse em 14/10/06 14:14 …
Provavelmente algum magnata da família Darcy… Eram donos de metade do Rio de Janeiro …
H.Militar disse em 15/10/06 18:33 …
Nesse sobrado que aparece bem à dta na foto (atrás do post de iluminação) funcionou um cinema: o Cine Floriano – o letreiro de identificação ainda se encontra na fachada – hoje é uma espécie de garagem.
Milton Flávio disse em 15/10/06 21:18 …
O canal de TV SescTV (Directv canal 211) está passando uma série em capítulos sobre o Affonso Reidy. A série, narrada pelo Paulo Betti, faz um apanhado geral das obras públicas do grande Arquiteto, e mostra alguns de seus projetos que foram engavetados. Tem ótimos depoimentos (Lucio Costa por exemplo) e imagens incriveis. Imperdível !
Ze Rodrigo disse em 15/10/06 21:38 …
Boa noite.