andredecourt's Foto von 15.03.05

Hoje faz 30 anos de uma das maiores sabotagens já feitas à cidade do Rio de Janeiro, a fusão.

Contra a arbitrária medida feita pela ditadura
Contra a sabotagem realizada contra à nossa cidade estado
Contra a união de populações que pensavam e pensam diferente
Contra a destruição de uma cidade cosmopolita
Contra a contínua decadência econômica das duas antigas capitais
Contra a perda da influência cultural do Rio de Janeiro nos meios de comunicação nacionais
Contra a corja de oportunistas que vem se sentando nos gabinetes desde a fusão, preocupados com seu futuro político e pessoal e se danando para o futuro social e econômico da cidade do Rio de Janeiro
Contra a sabotagem contínua do Governo Federal que não cessa desde 1975
Contra muito mais, que vem destruindo uma das cidades mais bonitas do mundo
GUANABARA JÁ

Comments (38)

Alvaro Gabriel 15.03.05 08:09 …
Essa fusão é mais uma prova de que tudo que começa errado não tem conserto; continua errado “per omnia seculum seculorum”. Só nos resta um movimento decidido da sociedade civil. Esse, se bem feito, derruba até presidente.
joelmarinho 15.03.05 08:11 …
a safusão…
luiz.darcy@uol.com.br 15.03.05 08:14 …
Ditadura é assim. E ainda tem quem goste…
Pelo lado mais leve: há 30 anos todos nos tornamos fluminenses…
http://ludaol.multiply.com/
Lefla 15.03.05 08:17 …
Tudo está errado nessa fusão. Derrubada as ditaduras, as coisas artificiais costumam se desfazer, voltar ao que eram antes. No caso da fusão não. Pelo menos hoje já se discute, se reclama, se fala. É um avanço. Nada que se compare a um Partido, PMDB, que diz hoje no jornal que o candidato Lessa fará um programa nacionalista e populista para o Governo do Rio. Que beleza, né? Tudo a um real, até a honra e religião das pessoas!
mapas 15.03.05 09:03 …
Mas a idéia era que todos se tornassem cariocas…
andredecourt 15.03.05 09:30 …
Celso, Cariocas são cariocas, fluminenses são flumineses……
O Fluminense mais próximo de ser carioca, talvez seja o niteroiense, agora um cidadão de Italva nunca será carioca.
Carioca é um estado de espírito, alguns até o contraem vindo morar aqui, mas ele nunca pode ser imposto, ou é porque nasceu na Guanabara, ou é porque veio para cá e adotou esse estado de espírito.
odeon 15.03.05 10:02 …
AUTONOMIA CARIOCA!
rodperez 15.03.05 10:31 …
Viva o Rio independente!!
Antolog 15.03.05 10:33 …
Guanabara Já!!!!
O Globo está fazendo um debate sobre o assunto. Vamos ver no que vai dar…
Um link bastante interessante: uma visão de 360º sobre alguns pontos turístico do Rio de Janeiro. http://www.riodejaneirovirtual.com/mapaaereo.html
jro 15.03.05 10:53 …
Quais eram os limites da antiga Guanabara?
Esqueci…
:-))
andredecourt 15.03.05 10:58 …
Os mesmos da atual cidade do Rio de Janeiro, era uma cidade estado !
betotumminelli 15.03.05 11:08 …
Tudo bem… Concordo com a volta da Guanabara… mas honestamente acho que estamos vivendo uma utopia. Não creio que haja interesse politico nem um um politico forte que proponha esse projeto de desfusão.
Aguardemos então.
:-))
JBAN 15.03.05 11:42 …
Vejam o que acabei de receber. Parece que o movimento existe e é ativo. Eu gosto da idéia, mas só se o casal molequinho for deportado para Campos.
www.riocidadeestado.com.br
kasersose 15.03.05 11:58 …
Estou tentando colocar uma imagem de uma Estampa Eucalol com o brasão da Guanabara desde domingo, sem sucesso evidentemente. Esse fotolog tá uma m…
Abração, cara! Saudades!!
Eduardo
autofocus 15.03.05 12:26 …
Acho difíííííícil…
BEIJOS!!!!
Gustavo do Carmo 15.03.05 12:34 …
Eu tinha prometido não comentar mais aqui, mas não posso ficar calado diante de um grande tema que me interessa bastante. Eu sou contra a desfusão do Estado do Rio de Janeiro. Se unido, o Estado do Rio é fraco e tem pouca influência na política nacional e é boicotado pela mídia e pela sociedade dos outros estados, principalmente São Paulo, separado pode ficar ainda pior. Temos que expulsar os maus governantes do nosso estado e lutar para que cada estado do Brasil possa ter as suas próprias leis como nos Estados Unidos. Assim, poderemos adotar até leis mais rígidas contra a violência somente para o Rio como a pena de morte, prisão perpétua no minimo e redução da maioridade penal para 7 anos, já que esta constituição federal demagoga que nós temos só aceita no máximo 30 anos de prisão mesmo para gente má e animais e ainda protege o menor infrator.
Também temos que fazer a nossa parte, investindo mais em nosso estado, boicotar os modismos de outros estados que não nos interessam e visam destruir a nossa cultura e não fugir de nosso estado, achando que lá em São Paulo, Minas, Paraná tem tudo e aqui no Rio não tem nada. Lá eles pagam melhor? Pagam, é verdade. Então vamos trabalhar mais para que possamos fazer merecer o nosso aumento. Os estados de São Paulo e Rio Grande do Sul são fortes porque eles são bairristas e amam o estado deles. Nós devemos fazer o mesmo e não ficar querendo se separar de gente do seu próprio estado.
Gustavo do Carmo 15.03.05 12:35 …
A minha mãe nasceu no município de São Joaquim (RJ) e passou a adolescência em Barra Mansa. Eu estou quase me mudando para Cabo Frio e minha irmã adora Petrópolis. Meu pai tem a loja dele em Santa Cruz da Serra (distrito de Duque de Caxias)e em Xerém. Influências familiares que me fazem amar não só a cidade do Rio como também todo o estado.
Gustavo do Carmo 15.03.05 12:42 …
Eu nunca vivi na época da Guanabara. Nasci dois anos depois da fusão. E hoje, pesquisando, acho muito estranho a cidade do Rio de Janeiro não pertencer ao Estado do Rio de Janeiro e sim da Guanabara. Enquanto o antigo estado do Rio não tinha a cidade do Rio. Se for pra separar (o que eu sou radicalmente contra), que a cidade do Rio faça parte do estado do Rio e englobe municípios da região metropolitana e que a Guanabara envolva as cidades do interior. Sem falar que vivíamos ou viveremos num estado de uma cidade só. E isso vai nos prejudicar na política nacional. Os militares tinham razão ao defender a tese de que a Guanabara era um estado sem corpo e o Rio, um estado sem cabeça.
Gustavo do Carmo 15.03.05 12:58 …
Quando eu vejo essa discussão sobre a fusão ou desfusão, tem horas que me dá vontade não só de condenar a desfusão como a de defender a independência do Estado do Rio de Janeiro do Brasil. Se for pra se separar assim que nos separamos do país. Assim, nós cariocas e fluminenses aprenderíamos a ter amor e sentimento de nacionalismo e bairrismo que os outros estados tem e nós não temos. Da mesma forma que alguém vai achar estranho a idéia de criar um país dentro de um país eu também acho estranho separar um estado e ter nascido em um estado de uma cidade só que tem o mesmo nome do estado vizinho, mas a sua cidade não batiza o estado. Temos que ser mais bairristas e não ficar criticando o nosso estado como muitos cariocas traidores fazem e depois fogem.
Um estado do Rio de Janeiro forte sim! Guanabara não!
Gustavo do Carmo 15.03.05 13:01 …
Eu não quero levar a idéia de independência do Estado do Rio adiante não, tá?
zecarioca 15.03.05 13:05 …
Não me decidi completamente a respeito do assunto, mas confesso que o vejo com certa desconfiança. Ok, foi um erro a fusão, mas acho que no fundo, a separação não vai resolver o problema, só vai servir para nos livrar daquilo que rejeitamos como sendo nosso, também! Mas acho importante a discussão, o debate!!
zecarioca 15.03.05 13:07 …
Aliás, os argumentos que tenho escutado, são os mesmo usados pelos separatistas “gaúchos” que queriam a independência da região. E isso me incomoda!!
Mauro_AZ 15.03.05 13:31 …
Faz tempo, muito, muito antes de Americano e Volta Redonda disputarem a final da Taça Guanabara, 🙂 eu já havia chegado à conclusão que a via política para tentar tirar o Rio do buraco em que foi metido passa pela reversão da fusão. Apesar de não ser a única causa, a fusão sem dúvida é uma das raízes dos problemas.
No ano passado, quando estive no Rio, disse isso para muita gente, mas a resposta típica era um olhar espantado e argumentos gaguejantes de incredulidade, como se essa fosse uma idéia do outro mundo. Eu, por minha vez, me espantei como amigos meus, supostamente bem informados e com bom grau de instrução, jamais tinham refletido seriamente sobre as origens da fusão e o seu impacto nefasto. Constatei que se faz necessário um movimento organizado que, além de lutar pela volta da Guanabara, (vou usar uma palavra que detesto) conscientize o cidadão carioca, principalmente aquele que não era nascido ou não tinha idade suficiente na época da fusão para entendê-la em primeira mão.
Outra coisa: Numa democracia, o interesse político que deve prevalecer é, afinal de contas, o interesse dos eleitores, que, uma vez informados e educados, tendem a eleger políticos dispostos a defenderem os seus interesses, e não aqueles que representam grupos de interesses particulares em detrimento do interesse público. Não acho utopia acreditar que a gente pode chegar lá. Hay que endurecer pero sin perder la carioquice.
s1mone 15.03.05 13:33 …
Também sou contra a desfusão. Isso só iria nos enfraquecer tanto politicamente quanto economicamente. Foi um absurdo a fusão como foi feita? Sim, mas corrigir isso hoje seria um equívoco. Temos que continuar lutando para a melhoria da qualidade de vida na cidade e no estado, e pronto. Nada de tornar nosso território menor e mais `culto`, na esperança que isso aumente nossa esfera de poder.
É certo que nasci um pouco antes da fusão e não conheci a `cidade-estado`. Mas hoje, quando me deparo com propostas como esta, vejo apenas preconceito e nostalgia, não propostas para o futuro.
[]s
Mauro AZ 15.03.05 13:40 …
Êpa, ninguém aqui acha que a cidade ou o estado tem que se separar do país.
Sei lá, eu deveria falar apenas por mim.
andredecourt 15.03.05 14:29 …
Mauro, fomos uma cidade estado por 250 anos ( nas diversas fases de nossa história), e isso foi modificado de uma maneira abrupta e por um regime de excessão, acho que chegou a hora de decidirmos através de um plebiscito na cidade do Rio de Janeiro se aceitamos ou não o que foi nos imposto.
Como falou com muita propriedade um cientista político hoje na TV se a votação do plebiscito for pela desfusão significa que a fusão até hoje não passou de uma fantasia.
Aliás eu vejo assim, os Rio finge que é capital do estado e o estado finge que tem como capital o Rio
Lefla 15.03.05 15:13 …
E vamos todos fingindo que somos do mesmo estado que uma pessoa que nasce em Volta Redonda. Nem eles se sentem, nem nós nos sentimos. Minha mãe é de Nova Friburgo, meu pai carioca, meus avós pernambucanos e paraenses. E daí? O que interessa é que hoje não se faria o que se fez, com uma penada, acabar com a Guanabara, com tradições, políticas, inclusive, em prol de um desenvolvimento que nunca houve. Não sou contra nem a favor, muito pelo contrário, há bons argumentos dos dois lados, porém o maior argumento para revisão do assunto é a arbitrariedade como que foi feito.
angar 15.03.05 16:07 …
to nessa !
Marcelo Almirante 15.03.05 19:03 …
Também não estou satisfeito com este ESTADO DE COISAS. Revolução já. Guanabara AGORA. Quem aqui se considera Fluminense ?
ruralwillys 15.03.05 19:10 …
Eu sou Flamenguista !!!
Mauro_AZ 15.03.05 19:33 …
Sim, André e Lefla, estou inteiramente de acordo.
Meu post anterior se referia a falácia de se comparar a anulacão da fusão com separatismo ou independência. Pelo menos para mim, não se trata de preconceito, bairrismo ou nacionalismo, todos a meu ver detestáveis, e sim de anular a “canetada” perpetrada pela ditadura, que trouxe mais malefícios do que benefícios (se e que algum benefício houve).
Comentando o post da s1mone: O enfraquecimento político e econômico do Rio foi exatamente o objetivo da fusão. Esse objetivo foi e continua sendo alcançado. Assim, não vejo como a reversão da fusão enfraqueceria a cidade política e economicamente.
guscar 15.03.05 22:39 …
Bem, eu sou contra a desfusão e essa é a minha opinião. Tá certo que eu fui ufanista e exagerei ao defender a independência do estado do Rio. É que eu me empolguei e acabo falando besteira quando me empolgo. Não quero criar, incentivar e nem provocar nenhum movimento separatista em nosso país. O Rio nunca vai se separar do Brasil.
O que eu quero é o que todos vocês querem: recuperar a dignidade do Rio de Janeiro e a desfusão não é solução na minha opinião. Nós é que temos que fazer a nossa parte como não eleger esses safados que governam o nosso estado e principalmente não fugir de nossa cidade ou estado. Mas temos que nos unir para fortalecer o nosso estado na política e também na cultura nacional. Como já disse, se um estado com vários municípios como o RJ já está enfraquecido, imagine um estado de uma cidade só. Eu não quero desfusão e nem independência.
Armando 15.03.05 23:38 …
Temos que deixar o sensacionalismo de lado e pensar mais no sentimento nativista.
O que existiu e existe até hoje é a baia de Guanabara. O Estado da Guanabara era o distrito federal e surgiu após a mudança da capital, o que foi um erro, porque já deveria, automaticamente, ter sido agregado ao Estado propriamente dito.
Estamos confundindo a metrópole que abrange a capital e as cidades no entorno.
Se o Estado da Guanabara ainda existisse, teríamos mais um governador, mais três senadores, mais órgãos publicos, etc.
E garanto que os bairros de Campo Grande, Bangu e outros mais distantes do centro, já seriam cidades “satélites” com respectivos prefeitos e pencas de vereadores, o que só interessaria aos políticos.
O que temos que fazer é valorizar mais o nosso estado, expulsando os maus políticos, engrandecendo a nossa cultura, deixando de exportar música baiana e dar um basta nesses cartolas que tanto prejudicam o nosso esporte.
Não é uma boa, pois seria um retrocesso. Estaríamos incentivando o povo a formar etnia, principalmente na “Guanabara” onde teria o povo das favelas contra o povo do asfalto.
Gente, as grandes indústrias estão indo para o subúrbio e o novo estado renasceria enfraquecido, pois a baixada fluminense está deixando de ser cidade dormitório. Pensem nisso.
Armando
Mauro_AZ 16.03.05 01:07 …
Me corrijam se eu estiver enganado, mas o governo atual foi eleito graças aos votos do interior do estado, pois não obteve a maioria dos votos na capital, não foi? Levem isso em consideração quando falam em “nós” não elegermos, ou expulsarmos, aqueles que governam o estado. Nós quem, cara pálida?
Falando meio na brincadeira, eu acharia ótimo se certos indivíduos como os Garotinhos e o Caixa Dágua fugissem para Campos, de onde jamais deveriam ter saído (não que eu tenha nada contra aquela aprazível cidade). Mas receio que esperar que eles fizessem a parte deles seria querer demais.
Quanto à suposição de que a reversão da fusão incentivaria um antagonismo étnico ou de classe, desculpe, mas sinceramente não consigo entender a lógica desse argumento.
analyzator 16.03.05 03:47 …
Sabotagem foi a transferência da capital federal para o nada, lá no longínquo Centro-Oeste. Aí começou o esvaziamento da cidade do Rio de Janeiro. Era uma antes de 1960 era uma, depois de 1960 passou a ser outra. Sem ser a capital, não tinha sentido em ser mantida como uma “cidade-estado”. A fusão deveria ter sido planejada e realizada logo naquela época (início dos anos 60), sendo irreversível a transferência da capital.
★ ☆ ★
eduardo bertoni 16.03.05 05:02 …
Só o tempo diria se a desfusão teria ou não sido benéfica e para quem.
Acho que é uma necessidade pois do jeito que as coisas vão não dá.
Além do que, o interior é muito mais populoso e acaba por eleger governantes do tipo dos garotinhos pois por lá ainda acreditam nas promessas populistas, não por ignorância política mas por terem que acreditar em alguma coisa.
Bertoni
http://fotolog.terra.com.br/outromundo
totenklage 19.03.05 16:18 …
JK matou o Rio!
André 31.03.05 16:00 …
Não haverá progresso com a separação do Rio de Janeiro do resto do estado, só teremos confusão e prejuízo.
Não se iludam com essa história de revanchismo contra os militares, desde a saída da capital para Brasília, o Rio de Janeiro se tornou inviável financeiramente, a única forma de sustentá-lo foi uni-lo ao Estado do Rio de Janeiro, o único erro foi ter trazido a capital do Estado para cá, deviam tê-la deixado em Niterói, assim o Rio assumiria a sua vocação de balneário que tanto querem rotular hoje os defensores da Guanabara.