Edifício Guarujá

 andredecourt's foto van 18-11-03


Construído em 1927, foi por alguns anos o prédio mais alto da orla, respeitou o Plano Agache, que instituía que edifícios com mais de 5 andares deveriam ser recuados afim de não projetar sombra na praia .
Como todos edifícios da época era de altíssimo luxo, portaria de mármore de Carrara, portões de bronze, louças sanitárias inglesas, aquecedores de cobre, enormes, alemães, elevadores americanos com portas pantográficas duplas manuais, mas já dispensando cabineiro .
Possuía quatro apartamentos de 3 quartos por andar, que contavam com varanda e sala íntima, mais curiosamente tinham a área de serviço minúscula, o edifício era tão moderno que já tinha garagem para 6/8 carros, numa época que quase ninguém tinha automóvel, em sua cobertura um salão de festas exclusivo para os moradores .
Na área de afastamento, o edifício tinha um jardim gramado, com brinquedos, e no verão era utilizado pelo restaurante que havia embaixo, como varanda, onde as pessoas de noite ficavam bebericando e ouvindo piano .
Nos anos 60 ele foi vítima da especulação imobiliária, o jardim na sua frente, foi convertido em área para construção, tendo sido construído um ridículo prédio; os apartamentos do Guarujá que davam para praia, tiveram sua vista levada para a área de serviço dos outros .
Entrou em decadência e passou os anos 80 e 90 abandonado, sendo cenário para estórias de assombração, tombado pelo patrimônio histórico na década de 80 foi salvo da demolição e hoje depois de um retrofit é um flat para a 3ª idade
Minha família teve o privilégio de ocupar dois apartamentos por mais de 20 anos no prédio
Foto clicada pelo meu avô no final dos anos 30, mas antes da guerra pois o poste de luz não está pintado de preto, ao lado a casa do Jucão, amigo da família.

Comments (9)

apessoa 18-11-03 10:03 …
Passei lá no fim de semana e fiquei surpreso em vê-lo pintado e funcionando. Morei perto muitos anos e sempre morri de pena em vê-lo tão mal-cuidado.
cochesdecuba 18-11-03 12:04 …
Nunca imaginei que fosse um prédio da Atlântica, com jardim na frente. Sempre o imaginei dando frente para a Domingos Ferreira! Já o peguei na época decadente, com aquela lanchonete (Tic-Tac?) funcionando no térreo.
Reza a lenda que, para despejar os últimos inquilinos, nos anos 80, desligaram o elevador e os velhinhos acabaram morrendo do coração. Mais triste é que na restauração o prédio deixou de ser Guarujá para ganhar um nome macaqueado em inglês (South Beech Classic Flat, ou algo assim)!
devicq 18-11-03 12:17 …
Passei boa parte da minha vida no Ed. Águas Ferreas, em Laranjeiras (quase no Cosme Velho), que, guardadas as devidas proporções, assemelha-se um pouco ao Ed. Guarujá, ao menos para um leigo.
Forever Fifties 18-11-03 12:20 …
Pronto. Cheguei e adorei. Vou ficar. Beijos
andredecourt 18-11-03 12:26 …
O nome do muquifo que funcionava embaixo do Guarujá e top-top, chama-lo de Tic-Tac é esculhambar a melhor casa noturna ( ou mais folclórica) de Lambari-MG o qual tive divertidas estórias de adolescência com meus amigos de infância . Também não gostei nem um pouco de terem mudado o nome do prédio para alguma coisa idiota em “ingres” .
Ah é os elvadores não foram desligados, foram é retirados, bem como o sistema de sisternas foi desativado obrigando os últimos moicanos a colocar caixas d`água nas varandas, antes do retrofit com o edifício abandonado podiamos ver algumas ainda
cochesdecuba 18-11-03 14:55 …
Era Tip-Top…
Nos tempos de decadência total, um Mercury saiu da garagem do Guarujá, esquartejado a machado, diretamente para um caminhão de ferro-velho.
andredecourt 18-11-03 15:42 …
Me lembro do carro abandonado na garagem, acho que era do dono do prédio, o que demonstra o apreço dos herdeiros pelas coisas antigas, só não me lembro do modelo, a cor me lembro vagamente, era escura, acho verde escuro ou vinho ….
altolapa 19-11-03 13:18 …
Adorei a foto e principalmente a historia… bom ver que nossas casas de infancia e historia da cidade podem ser preservadas.. e contadas
::Clube do AltoLapa 1 ANO – http://www.altolapa.com.br
wocacomm 20-11-03 7:02 …
Muito triste! Mas super-importante. A foto é um achado! A história precisava ser contada

14 comentários em “Edifício Guarujá”

  1. O edifício Guarujá foi construído,a partir do dia 7 de outubro de 1929,de acordo com o contrato de empreitada firmado entre o Dr. Paulino Ribeiro Campos-proprietário do terreno-e a firma J.Pinheiro Irmão & Cia.
    Foi,provavelmente,o mais antigo arranha-céu da Av. Atlântica.Nele moraram pessoas ilustres como o Marechal Candido Rondon e outros.Ou passaram grandes temporadas como hóspedes,como o poeta paulista Martins Fontes,membros da família Souza Dantas,e. ainda se referiu a ele em um postal,nosso maior inventor,Alberto Santos Dumont.Seus cálculos foram feitos por Emilio Baumgart,o mesmo calculista do Hotel Glória.

  2. Tenho fotos do “Guarujá” desde sua construção.Nasci nesse edifício e sou apegado a ele até hoje.A casa ao lado também pertencia ao Dr. Paulino R. Campos.Na década de 60 foram construídos dois edifícios em seu terreno.O da Av Atlântica 2888 e na Domingos Ferreira o ed. Iris Elena doado a suas filhas recém casadas.

    1. Prezado Euler, aqui em casa temos uma relação de carinho pelo velho edifício, meus bisavós, junto com as minhas tias avós moraram décadas no prédio, no apartamento que a toalha está na para-peito da janela, o que indicava que o almoço estava para ser servido e todos deveriam sair da praia e subir.
      Minha avó e meu avô moraram mais de 15 anos em outro, de fundo no terceiro andar, minha mãe passou infaância e grande parte da adolescência no prédio.

      1. prezado Andre,sou neto de Pauluno R.Campos,seus bisavós devem te-lo conhecido.Morava numa casa no leme,mas,todos os anos passava uma temporada no Guarujá no apartamento 30.Tenho horror de pensar no tempo de seu abandono,que teve como causa inicial uma reclamação na prefeitura feita por um morador do último andar.A reclamação seria contra os elevadores,que para ele eram muito velhos,mas que tinham a manutenção feita pelos fabricantes,a Otis.O motivo principal eram as portas pantográficas manuais(até hoje existem prédios com esse tipo de elevador em Copacabana).Os acima referidos foram então interditados pela prefeitura,obrigando meu avô,um mês antes de sua morte,a troca-los.Os elevadores foram comprados ainda em setembro de 1975,antes da instalação,porém,ele morreu,no dia 8 de outubro.continuarei depois para desfazer alguns mitos com relação ao prédio.A propósito,a lanchonete se chamava Top Top.

    2. Caríssimos Decourt,
      Sou historiador e inicio pesquisa sobre a construção do Guarujá. Já obtive dados importantes, mas preciso conversar com alguém da família do Dr. Paulino Ribeiro Campos. Sei que o edifício segue a linha da Art Déco francesa, mas gostaria de confirmar alguma possível viagem do Dr. Ribeiro Campos ao sul da França.
      E tenho outras perguntas…
      Cordialmente,
      Luis

  3. No filme “Raízes do Brasil”,sobre a vida de Sérgio Buarque de Holanda,existe uma tomada aérea da praia de Copacabana nos anos 30,na qual aparece o Guarujá imponente e solitário em meio as casas da Atlântica.No dvd cortaram uma parte(mas ainda assim aparece bem).No filme,que assisti no cinema,parece que o piloto se impressiona com o prédio,pois,faz um sobrevôo filmando-o de todos os ângulos.

  4. Ele realmente era dono do carro que estava na garagem.Não era um Mercury,tinha um nome que não me lembro direito,talvez Oldsmobile…

  5. Caríssimo André Decourt,
    Escrevo novamente para “consertar” meu nome… É Luis Eduardo!
    Aproveito para parabenizá-lo pelas fotos e pelas histórias.
    Obrigado!

  6. Como fiquei feliz em ver essa foto. Minha família morou décadas no Guarujá, sendo que eu desde que nasci, em 1950. Só mudamos em 1969, quando foi iniciada a construção do edifício na pracinha que havia na frente. Nosso apartamento, de frente para a praia, no terceiro andar, à direita de quem olha de frente, ficaria emparedado e no escuro. Não havia outra opção que não fosse deixar o velho Guarujá. Parabéns pelo site, que não conhecia, e que agora vou estudar com cuidado. Abraços.

  7. O Edifício Palacete São Paulo, na Praça do Lido é anterior ao Guarujá… Em 1929 já estava de pé. Meus avós viveram muitos anos neste belíssimo edifício!

    1. Eduardo o Guarujá é de 1927, construção inciada por volta de 1925, os prédios na orla do Lido, como exceção do Palacete Atlântico, hoje demolido e de 5 pavimentos, só começaram a subir por volta de 1928

  8. Caro Decourt,
    Obrigado pelas informações! Não sabia a época do início do Palacete São Paulo e estou surpreso.
    Mas morria de medo de cair na privada da minha avó e desaparecer no Atlântico… O vaso era muito alto para uma criança usar – era uma dificuldade danada! Radical mesmo! As maçanetas eram antigas e giravam ao contrário… Do azulejo à caixa d´água, tudo era importado da França.
    Também lembro dos moradores… Muitos franceses e judeus. Tinha o Monsieur Bueno(?), pessoa muito simpática e distinta, que contava seus casos de heroísmo na resistência francesa contra os Nazistas – um herói de verdade!
    Muitas pessoas andaram pelo Palacete SP… Oscar Niemeyer, Fidel Castro e até um mafioso Italiano… Tinha (quase) de tudo por lá!
    abraços,
    Eduardo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

What is 7 + 4 ?
Please leave these two fields as-is:
IMPORTANTE! Para evitar a quantidade enorme de spams, você precisa responder a conta para provar que você é gente de verdade...