Noturna, Ministério da Fazenda, visto dos pilotis do MEC, anos 40

Continuamos com nossos post relacionados ao conjunto ministerial da Esplanada do Castelo.
Nossa foto de hoje é uma bela noturna, tirada dos pilotis do MEC, onde inclusive aparece parte do corpo do anexo do auditório, mirando o novíssimo prédio do Ministério da Fazenda, com seu coroamento totalmente iluminado, que compunha a decoração da fachada, justamente com as luminárias da escada monumental, algumas em forma de pira.
A foto faz um contraponto interessante com essa imagem, do arquivo da família, tirada alguns anos antes, que mostra a construção do conjunto dos prédios governamentais, potada aqui em 2004 ( http://www.rioquepassou.com.br/2004/05/03/ ), nas duas imagens vemos a Rua Debret bloqueada, na primeira foto por fazer parte do canteiro de obras, e na de hoje por duas hipóteses.
Ou as obras do gigantesco prédio ainda não tinham terminado de todo, fazendo a Debret ainda parte das obras, ou a rua, por ser de segurança ministerial, ainda mais envolvendo o prédio do tesouro era bloqueada na parte da noite, embora mesmo pelo tamanho da foto vislumbro a linha do meio-fio da Araújo Porto Alegre, no traçado da via transversal, o que nos dá como plausível da primeira hipótese.
É muito curioso analisar como o prédio do Ministério da Fazenda nasceu com um estilo já defasado para sua época. Se o Min. do Trabalho respeitava rigidamente o estilo de prédios públicos à época e o MEC estava pelo menos uma década à frente o da Fazenda foi uma volta a pelo menos os anos 20, como um ecleticismo neo-clássico, em todos os seus detalhes.
A foto ainda nos mostra um pequeno pedaço do prédio da ACM, à época deixado de abrigar a Faculdade de Direito do Rio de Janeiro, embrião da atual UERJ, que em 1943 já tinha ido para o histórico prédio da Rua do Catete, que jaz em ruínas.

7 comentários em “Noturna, Ministério da Fazenda, visto dos pilotis do MEC, anos 40”

  1. Esses costume de deixar as luzes acesas dos prédios públicos e comerciais à noite no centro da cidade, foi-se com a primeira crise de energia.
    Mas que fica bonito, isso fica.

  2. Na época da feitura dos Ministérios sempre havia controvérsias quanto aos projetos. O projeto vencedor do M.da Fazenda, de Wladimir A.de Souza(Niemeyer ficou em segundo)foi rejeitado e foi determinado que o prédio deveria ser em estilo Neo-classico e uma turma de profissionais do próprio Ministério sob o comando de Luiz de Moura faria o projeto.

  3. O pior é que o local anteriormente escolhido para o Ministério era onde funcionava a antiga Escola de Belas Artes de Grandjean de Montigny. Demoliram tudo, preservaram só o pórtico e depois o local foi mudado para onde está hoje.

  4. Minha mãe trabalhou durante 28 anos nesse prédio e me lembro, quando era criança, cor
    ria pelos corredores com suas paredes enormes e não me perdia.Tomei tanto tombo em seu chão liso e não era só eu tinha tambem filhos de outros servidores do Ministério que
    faziam bagunça.Depois de tantos anos, entrei no prédio e recordei os tempos da bagunça
    Bons tempos aqueles!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

What is 3 + 5 ?
Please leave these two fields as-is:
IMPORTANTE! Para evitar a quantidade enorme de spams, você precisa responder a conta para provar que você é gente de verdade...