andredecourt's Foto von 01.02.07

Rumo a Zona Sul.

Vemos o movimento de carros no sinal da Av. Beira Mar com Rua Teixeira de Freitas no final dos anos 20.
O prédio em destaque é o conjunto Teatro e Cassino Beira Mar, construído em 1921 para Exposição do Centenário da Independência em 1922 por cima do antigo Terraço do Passeio Público. O prédio foi construído com a finalidade, servir como hotel para turistas estrangeiros e sendo aparelhado com restaurante, salões de festas e jogos e gabinete de leitura, além do pergulato superior com vista para a Baía de Guanabara, o que não deu certo.
A firma que conseguiu a permissão de construção, a Rio-Cassino quebrou deixando o prédio inacabado, tendo ele sido adquirido pelo município em um leilão.
Em 1924 as obras começaram adaptando o conjunto de prédios em teatro e cassino, tendo a firma Viggiani & Lapport ganho a permissão de exploração por arrendamento do conjunto por 9 anos sendo a inauguração deles nestas funções em 1926.
As obras foram mais longas que se imaginava e também muito mais custosas a Viggiani & Laport pleiteou um aumento no prazo de concessão, e esta foi estendida por mais 9 anos, ou seja, em 1944 o prédio deveria ser devolvido à municipalidade por extinção do contrato que tinha tempo determinado.
Porém em 1934 a prefeitura através de decreto extinguiu o contrato e retomou o controle dos prédios, porém não sem custos a administração. O Teatro foi então cedido à Escola Dramática do Theatro Escola, por apenas 2 anos.
Em 1937 na administração Dodsworth o prédio foi demolido, pois além de estranqular a saída do Centro via Beira Mar, tampava a vista do Passeio Público, o que foi comemorado por muitos urbanistas, pois afinal o bolo de noiva neo-colonial, que nunca deveria ter sido ali construído ia ao chão.
Do prédio projetado pelo escritório de Arquimedes Memória, no típico estilo neo-colonial exagerado da Expo de 1922 nada sobrou, sendo ano passado na restauração do Passeio Público achados em prospecção arqueológica restos de pisos e salas do prédio.
Mas infelizmente, o belo Terraço do Passeio nunca mais foi reconstruído.

Comments (13)

Derani 01.02.07 09:31 …
Era um belo prédio, apesar de tudo.
Mas não era para ter sido construído.
Já que foi, não deviam ter derrubado.
É um desperdício danado de dinheiro!
Luiz D’ 01.02.07 09:34 …
Gostei da fotol
Fico impressionado com todos os prédios das exposições de 1908 e 1922 que vieram abaixo.
http://fotolog.terra.com.br/luizd
jban 01.02.07 09:52 …
Uma loucura de dinheiro posto fora !
AG 01.02.07 10:03 …
Já imaginou o “toma-lá-dá-cá” que isto gerou e quanta gente papou uns cobres nessas negociações todas ?
André Costa 01.02.07 10:03 …
Não tinha visto essa, angulo novo.
http://www.flickr.com/photos/andre_so_rio/
alo_helo 01.02.07 10:19 …
Que crime derrubarem um prédio tão belo!!
girlcrystal1 01.02.07 10:36 …
Adorei a foto e a história tbm.
;D
rockrj 01.02.07 12:54 …
Mas que ele era bonito, ele era…
Marcelo Almirante 01.02.07 19:15 …
Estou maravilhado com o ônibus e o semáforo. Será que haveria a possibilidade de colocar a imagem em alta na minha página ?
Memória do Transporte Público
www.rota.notlong
row701@yahoo.com.br
andredecourt 01.02.07 21:12 …
Estou te enviando, não é grande coisa em termos de qualidade, mas acho que quebra um galho !!!
Abraços
Williams 02.02.07 07:41 …
O que está escrito na fachada?
FlavioM 02.02.07 22:56 …
A demolição foi rapidíssima, acompanhada dia-a-dia pelos jornais. Coisa de muito poucos dias. Um feito de engenharia para a época.
(Embora eu concorde com o Derani: não deveriam ter sido construídos, não deveriam ter sido demolidos)
Jason 03.02.07 22:55 …
Desapropriaram o prédio com a desculpa de que sua estrutura estava frágil. Para evitar recursos na Justiça e uma batalha nos tribunais com a proprietária, a Prefeitura decidiu fazer uma demolição bem rápida. O monstrengo, contudo, resistiu bravamente a várias cargas de dinamite, durante semanas…
Tenho um livro sobre o Teatro e Cassino Beira Mar. Se achar, te empresto.