Nossas duas fotos mostram em sentidos diversos a boca do Túnel Major Rubens Vaz na Rua Pompeu Loreiro, onde este quarteirão foi criado com as obras da abertura do túnel, ao contrário do outro lado onde a Rua Tonelero tinha um cull de sac  junto a encosta do morro.
A criação deste quarteirão se deu com a demolição de pelo menos 3 imóveis na Rua Constante Ramos e a desapropriação parcial de uma vila (hoje desaparecida) na Rua 5 de julho e dos terrenos de algumas outras casas na mesma via.
Com as demolições além da abertura da rua foi entregue ao EGB uma área considerável de sobra de lotes entre o novo quarteirão e as fraldas do morro dos Cabritos, onde no início dos anos 70 foi instalada a Gerência da DLU para o bairro, aliviando as condições precárias de velha gerência ( fatiada para a instalação do posto de saúde), que foi então reformada e entregue já  a PMERJ para a construção da primeira sede do 19 BPM na Rua Tonelero, permitindo também que houvesse espaço para a Gerência de Conservação da Sec. de Obras. Todas estas instalações foram ao chão nos anos 90, juntamente com o Posto de Saúde José Carlos Barreto  para a  construção da Estação Siqueira Campos e no início dos anos 2000 para o sistema de ventilação e fuga dos túneis entre  as Estações Siqueira Campos e Cantagalo.
Com o passar dos anos, as casas da Rua 5 de Julho, privadas de grande parte dos seus terrenos e debruçadas em duas frentes foram praticamente todas vendidas para a Construtora EME para a construção de seus edifícios que tinha a curiosidade de serem todos nomeados de Chatteus franceses.
As fotos tem algumas curiosidades, a primeira é a troca do vetor de iluminação pública, inicialmente com luminárias com 4X40W lâmpadas fluorescentes e depois os mesmos postes com luminárias pequenas a vapor de mercúrio, que também em breve seriam trocadas, quando da implantação do sistema de iluminação do resto  da Pompeu Loureiro por luminárias Osram.
A outra mostra a mudança da mão da rua ao longo dos anos e a utilização do terreno público pela Churrascaria Galeto Gaúcho, na Rua Conste Ramos 140, que anos depois foi sede da Casa Sambão  começou como um evento e engoliu a churrascaria com a compra do imóvel por Ivon Cury) depois   Sambão e Sinhá, lugar de shows de mulatas e afins , o Vaca Sagrada (churrascaria gourmet) também de Ivon Cury, todos fechados no final de 1984, a tentativa de se fazer uma casa de jogos durante o vai ou não vai da legalização dos casinos durante a feitura da Constituição de 88 ( imóvel foi vendido por Ivon Cury ao bicheiro Miro e seu filho Maninho), o abandono do imóvel semi pronto ( na realidade praticamente pronto para ser uma churrascaria, a “Porteira do Sul” e uma casa de mulatas a “Rio Show” até letreiros tiveram instalados mas prontos para virarem casino, mas nunca funcionaram)  durante mais de década e sua demolição já em ruínas e a construção de um Apart Hotel no início do séc. XXI