Nessa imagem de Malta tirada em 22 de Julho de 1922 vemos o tecido urbano da velha região portuária da cidade, que em pequenas enseadas e sacos abrigava por meio de trapiches e ancoradouros toda a movimentação de carga  do porto antes das obras de modernização de Rodrigues Alves e Passos.
Mas nos anos 20, mesmo passados bons anos das radicais modificações no litoral daquela região, os vestígios da ocupação colonial ainda permaneciam, principalmente nos imóveis que acompanhavam a antiga linha d’água.
Nossa foto mostra um pequeno pedaço desse passado colinal não tão distante, que continuaria a existir, pelo menos nesse pedaço, por pouco tempo.
Em breve esse trecho da Rua do Livramento que vemos à frente, serviria de passagem para o Túnel João Ricardo, que estava sendo aberto lentamente desde o séc XIX, e seria finalmente terminado na Adm. de Paulo de Frontin, conhecido como prefeito de densidade máxima, pelo grande número de obras que vez em curtíssimo espaço de tempo.
Malta certamente fotografava, como fazia desde de Passos, os imóveis que seriam demolidos e um acompanhamento de antes, durante e depois das obras.
Além do belíssimo sobradão a direita da imagem, chamam a atenção a aristocrática casa que está na base do Morro da Providência, com grande terreno e um belo portão e o imóvem em péssimo estado na parte esquerda da foto, aparentemente já com o edital de interdição na porta.
Parce ser uma velha casa térrea que foi construído um pavimento, com um pé direito bem menor que o pavimento inferior, uma antepassado dos puxadinhos de hoje em dia.
Com a abertura do túnel esse cotovelo da Rua do Livramento deixou de existir sendo incorporado a Rua Rivadávia Correia.